Cada gesto, cada dedinho que aparecia na tela do ultrassom me paralisava. Não chorei, não pisquei. Não queria perder nenhum movimento. Ali estava meu filho. Pouco me importava se era menino ou menina. Ali estava ele. Tão lindo e tão perfeito. Ali, aqui. Ali na tela do ultrassom mas aqui, dentro de mim.

Rodava, mexia, virava de costas, levantava as mãos. Era como se estivesse brincando. Tão a vontade dentro de mim. Tão tranquilo no seu cantinho. Tão lindo e tão perfeito.

Meu marido sorri, me olha, me acomoda, me beija. Sorrio de volta. Viramos logo pra tela. Não queremos perder nenhum segundo.

A médica diz: “Quer palpite de sexo?”. Ah! Sim, o sexo! Mas, o que importa? Já é tão lindo e tão perfeito.

“Grandes chances de ser menino”. Brilho nos olhos do meu marido. Sorrio e penso: “Meu aguçado instinto feminino e materno me trapaceiou”.  A Doutora das Máquinas faz cálculos, mede, mostra as estatísticas. Como desconfiar de tantos números? Acredito e rio para meu marido: “Um molequinho!”.

Saio de lá com o coração mais cheio do que nunca. Estou completamente apaixonada pelo meu filho.


_______________________________________

Dica: Ganhe presentes para seu bebê fazendo também o Chá de Bebê Online. Seus amigos irão adorar conhecer sua lista.
Veja as sugestões de listas de Chá de Bebê e faça a sua gratuitamente. Experimente fazer aqui o seu Chá de Bebê e me conte o que achou.

 

Vamos discutir este conteúdo? Deixe um comentário