Browsing Category

Amamentação

Leite Materno
Amamentação, Saúde

Nosso TOP 10 curiosidades sobre o LM

“GOT MILK” foi uma campanha norte americana que literalmente estimulava o consumo de leite com celebridades das telonas ostentando um lindo bigodinho branco.

o-gotmilk-facebookE é nessa linha divertida e saudável que vou falar hoje sobre o Leite Materno e algumas maravilhas curiosidades.

(Para não ficar repetitivo aqui, vou usar a sigla LM para leite materno, ok?)

 

 

  1. A OMS recomenda que até os 6 meses de idade o bebê consuma LM exclusivamente e que continue a consumir até pelo menos os dois anos de idade
  2. Você pode utilizar o LM para cicatrizar assaduras, depois de lavar o bumbum do bebê com água e sabão passe algodão embebido em LM nas partes vermelhas e deixe sem fralda por alguns instantes Tira com a mão todo vermelhão
  3. Sabe aquela conjuntivite chata que a maioria dos bebês tem quando nascem? Algodão com LM nela, sempre passar do sentido das têmporas até o nariz e não utilizar o mesmo algodão para os dois olhos
  4. SEDE, sim melhor forma de bebês matarem sua sede é com o leite anterior (o primeiro que sai) que costuma ser rico em líquidos e nutrientes mas com baixa concentração de gordura
  5. Engorda, depois do primeiro leite que mata a sede, o corpo produz o leite Posterior, rico em gorduras e maravilhoso para auxiliar no ganho de peso do bebê. Você pode inclusive ordenhar um pouco a mama para descartar o primeiro leite e oferecer o peito em seguida.
  6. Melhor remédio do mundo, é beijo de mãe seguido de LM. Quando a mãe beija o bebê absorve também vírus e bactérias presentes, isso faz com que seu corpo produza anticorpos específicos que PASSAM DIRETO PARA O LEITE e fazem o bebê sarar rapidinho . Mães são farmácias ambulantes.
  7. Mães adotivas e até avós são capazes de produzir LM, através do auxílio de uma sondinha e um copo com leite, processo conhecido também como Relactação através de sonda.
  8. O Colostro, primeiro leite que sai após o parto, é riquíssimo em anticorpos e essencial para a saúde do recém nascido que tem seu sistema imunológico completamente em branco.
  9. Apojatura , ou descida do leite, pode acontecer até 7 dias depois do parto.
  10. Quanto mais o bebê mamar, mais o peito vai produzir leite (isso vale para qualquer tipo de retirada do LM)

1393264132000-xxx-do-people-laramilk-17-got-milk

Incrível, não é? E tudo isso sendo produzido no nosso corpo gratuitamente e na melhor qualidade. Não tem complemento no mundo que supere o Leite Materno.

 

Se você quer ler muito mais sobre indico o GVA (Grupo Virtual de Amamentação) Blog incrível que aborda a amamentação com embasamento cientifico e muita empatia.

Aleitamento materno Exclusivo
Amamentação

Amamentei, na medida da minha informação

Pode soar como um desabafo, quase um pedido de desculpas, direcionado à quem?

A OMS recomenda o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida do bebê e que se mantenha até os dois anos ou mais. A Organização Mundial da Saúde faz essa recomendação.

Mas e na prática?

No Brasil, 67,7% das crianças mamam na primeira hora de vida e a duração média do aleitamento materno exclusivo é 54 dias. Além disso, 41% dos menores de 6 meses tiveram alimentação exclusivamente por leite materno. Fonte EBC Agencia Brasil

Na prática o aleitamento materno segue os meses na corda bamba, entre sorte, palpites, muita hipocrisia e muitos profissionais da saúde mal informados.

Não saí do hospital sabendo amamentar, colocaram minha filha nos meus braços, meu peito dentro da boca dela, sorriram e disseram “Está ótimo mãe! Parabéns”

Saímos da maternidade, minha filha com uma chupeta na boca. Eu não sabia, não sabia que poderia prejudicar nossos processo de conhecimento e aprendizagem, não sabia que aquela chupeta inocente poderia ser uma grande pedra no nosso caminho. Mas seguimos.

Em casa, com as mamas febris, chorava escondida, minha filha mamava mas nunca parecia satisfeita. Eram várias mamadas, eram muitas horas, eram muitos choros era muita angustia.

Não me receitaram ajuda, receitaram uma lata cheia de um pó que “tinha tudo o que meu bebê precisava”

Olhar para a lata, fechada ainda no armário, era como se eu declarasse minha derrota. “Ok mundo, você venceu, não sou capaz de nutrir minha filha!”

Chorei

Mas reagi, não aceitei minha suposta derrota, busquei quem sabia, mas sabia mesmo o que eu estava passando.

Fui ouvida, me abraçaram sem pressa, abraçaram meu cansaço e meu medo e disseram “está tudo bem”.

Não sai com nenhuma fórmula mágica, nem soluções mirabolantes. Me apresentaram apenas meu corpo, apresentaram a minha filha e me explicaram como nós combinávamos perfeitamente e poderíamos fazer dar certo, juntas.

Nosso caminho foi suave diante de tantas histórias que conheço de mulheres que ouviram e ainda ouvem que “Amamentar mesmo sangrando é bom”, “Normal sofrer para amamentar”, “Seu leite é fraco”, “Seu bico tem problema”, “Seu bebê passa fome”. Queria ter braços suficientes para oferecer a cada uma delas. Eles não sabem de nada, não sabem mesmo.

Se você não tiver a mesma sorte que eu, não conseguir encontrar quem te estenda os braços e te mostre como pode ser linda a amamentação, vamos conversar, vamos juntas fazer isso acontecer.

Você e seu bebê merecem viver em plenitude esse momento.

Cinquenta e quatro dias*, seis meses, um ano, dois ou até mais. Nós amamentamos na medida da nossa informação.

 

*Cinquenta e quatro dias é a média nacional de amamentação exclusiva no Brasil.

 

Fonte: http://www.redeblh.fiocruz.br/media/pamuni.pdf

http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2015-05/ministerio-lanca-campanha-de-doacao-de-leite-materno-para-bebes-prematuros

 

Baixo peso do Recém Nascido
Amamentação, Maternagem

Perda de peso do bebê não é problema

De acordo com a fala de Jack Newman, é um erro relacionarmos diretamente a perda de peso do bebê recém nascido a problemas de saúde ou na amamentação.

Isso porque essa alteração de peso pode acontecer por vários fatores como:

  1. Intervenções durante o parto, o uso de solução líquida intravenosa na mãe reflete também no bebê que receberá mais líquidos e após nascer vai eliminar esse excesso através do xixi
  2. Pesagem em balanças diferentes/desreguladas, o mesmo bebê pode apresentar falsas diferenças de peso significativas em segundos apenas por utilizarmos balanças diferentes
  3. Anotação equivocada, pode acontecer do peso ao nascer ser anotado errado, falhas humanas são possíveis

Antes de qualquer medida externa ser tomada, dar fórmulas ou complementos, foi recomendado fortemente o Apoio e Estimulo à amamentação.

Jack Newman apresentou de forma bem irreverente vários casos onde o problema se resumia a mamadas “pobres”, ou seja, pelo bebê estar mal posicionado no peito, ou o fluxo de leite ser tão pouco  que as mamadas não eram suficientes para alimentar o bebê como necessário.

Para aumentar a Qualidade da mamada (diferente de quantidade!)

  • OBSERVE se o bebê está sugando bem, o queixo dele vai se mover para cima e para baixo a cada gole, bochechas ficarão cheias e é possível ouvir os “guts guts” *sem som de ar
  • Atenção na posição do bebê no peito, a pega correta é fundamental, “boca de peixinho” e queixo do bebê encostando no peito são pontos a se observar
  • Esqueça o papo de “vinte minutos em cada mama”, deixe o bebê mamar até diminuir o ritmo e então troque.sonda de amamentação
  • Bebê que dorme no peito, morde ou briga com o peito pode ser um sinal que o fluxo de leite está pouco, você pode comprimir a mama como na ordenha manual enquanto o bebê suga, isso vai estimular a produção e aumentar o fluxo, se mesmo assim o bebê parecer inquieto, ofereça a outra mama.
  • CALOR, se o bebê estiver muito quente eles acabam dormindo antes mesmo de mamar tudo que precisavam
  • Em caso de baixa produção a mãe pode recorrer ao uso de uma sonda para estimular a produção e o bebê a sugar corretamente.
  • A mãe está se alimentando bem e ingerindo a quantidade suficiente de líquidos? O apoio de um nutricionista pode ser maravilhoso para essas adaptações. Mãe saudável = bebê saudável.

 

Amamentação é uma fase longa de persistência e muita dedicação, informação e paciência são fundamentais. Não entre em desespero, confie no seu corpo, observe seu bebê e procure um profissional especializado (pediatras e nutricionistas não valem. Especialista em Amamentação!)na área para te orientar caso esteja muito difícil.

Amamentação
Amamentação, Maternagem, Puerpério

Somos todas Adele

A cantora -maravilhosa- Adele esbanjando humor falou com todas as letras no meio de um show:

A pressão em cima de nós é absolutamente ridícula. E aquelas pessoas que reforçam essa pressão podem ir se foder, ok? Porque é difícil. Algumas de nós não conseguem fazer. Meu seios aguentaram cerca de nove semanas — disse a cantora ao ser questionado por um dos fãs que assistia ao show.

 


“Ryca” famosa e cheia de recursos. Adele não é como a maioria das puérperas “reles mortais”, e mesmo assim teve dificuldades durante a amamentação. Na verdade, mal conseguiu amamentar.

Bebês não nascem sabendo mamar, é um trabalho diário de aprendizado. Muitas vezes mulheres precisam de apoio e orientações específicas nesse período de adaptação, e por não o terem acabam abrindo mão da amamentação. Como Adele.

Apoio é Fundamental.

Estudos mostram claramente que a presença da doula no pré-parto e parto trazem benefícios de ordem emocional e psicológica para mãe e bebê, incluindo resultados positivos da 4ª a 8ª semanas após o parto, onde foi observado:

·Aumento no sucesso da amamentação;
·Interação satisfatória entre mãe e bebê;
·Satisfação com a experiência do parto;
·Redução da incidência de depressão pós-parto;
·Diminuição nos estados de ansiedade e baixa auto-estima.

 

Você sabia?

  • O leite costuma descer até 7 dias após o nascimento do bebê, nesse período a mama produz o Colostro, muito nutritivo e recheado de anticorpos vitais para o bebê
  • Dores e sangramentos ao amamentar, não são normais, são sinais claros que a pega do bebê não está correta
  • Amamentar consome tantas calorias quanto uma aula de Spinning e estimula todo o corpo a voltar ao normal.

Se você está tendo dificuldades para amamentar, procure por um especialista em amamentação para te ajudar e orientar, sua doula ou nos grupos de apoio à gestação saberão indicar. E se você desistiu, por não encontrar melhor alternativa, meu abraço e beijo na testa. Só você sabe as dores e angustias que passou sozinha.

Família que amamenta unida....permanece unida. Aqui todas nos apoiamos quanto à amamentação, os pitacos são os melhores possíveis, todas ajudando para que a outra tenha força e consiga amamentar.
Amamentação, Maternagem

Ninguém me disse que Amamentar

Seria muito mais que um ato de amor, de entrega e romance durante os olhares infindáveis mãe-bebê?

Amamentar é muito importante mas não é filme-romântico-água-com-açúcar. De Lagoa Azul, não tem nada.

Não sei te dizer, porque raios gostamos de embonitar as coisas ao ponto de torná-las uma princesa Disney, de tão inatingíveis.

“Era o primeiro dia da família completa em casa, após o nascimento de Lola. A mãe Princesa Juli acordou, depois de uma deliciosa noite de sono,  ao som de passarinhos na janela. O café já estava na mesa, preparado pelo incrível Príncipe Tom, com frutas frescas suculentas e sucos naturais refrescantes, granola, yogurte natural, pães variados e chás…Lola, a princesa de olhos gigantes, pele rosada e sorriso banguela encantador, no auge do seu terceiro dia de vida esperava pelo café. Logo que Juli pegou sua bebê, elas já se entenderam, posição das duas perfeitas! Foi apenas mostrar a mama farta, que Lola de imediato a abocanhou (pega perfeita!) e mamou por longos 30 minutos. Barriguinha cheia, de leite e amor, adormeceram as duas enquanto os ratinhos e pássaros e esquilos limpavam a casa, arrumavam as roupas e davam conta dos demais afazeres domésticos….”

 

Amamentar é sim um ato de amor e nutrição, mas muita dedicação e sobretudo paciência.

Mãe e bebê se reconhecem, aprendem e se adaptam a essa nova fase, não nascemos sabendo amamentar, bebês não nascem sabendo mamar.

É aprendizado diário, a paciência de aos poucos se acertar, à mãe cabe noites mal dormidas, cansaço físico e emocional pós parto, ao bebê adaptação à vida fora do útero, com variados estímulos visuais, sonoros e sensações corporais completamente novas.

Agora o bebê é um indivíduo a parte da mãe, é preciso aceitar isso.

E esse pequeno indivíduo tem personalidade desde sempre e a amamentação deixa evidente já, com um choque de realidade para os pais.

 

… “Tipos de Bebês”…

O Bebê Preguiça

Ele nasceu, mas não se ligou ainda disso, “até pega” o peito mas não suga muito, se estiver em contato com a mãe e quentinho Cataploft já cai no sono feliz da vida.

O Bebê Boca Nervosa

Tudo ele põe na boca, mas parece não ter “foco”, se está no peito alguma coisa chama a sua atenção e ele já solta o bico, tenta abocanhar a outra coisa, se perde, não acha mais a pega bacana, fica bravo, cansa e chupa a mão mesmo. 5 minutos depois está chorando, como se tivesse algo medonho acontecido, boca escancarada querendo mamar…

O Bebê anti “pega”

“Pega” é o termo que usamos para falar da forma que o bebe abocanha a mama, na Pega correta o bebê fica com boca “de peixinho”, bochechas cheias, língua abaixo da mama, esse conjunto teoricamente simples faz a sucção mais eficiente…

Lindo, mas tem bebê que não nasce afim. E lá vai a mãe com toda olheira, paciência do mundo e com certeza mamas bem machucadas, buscar por suporte e ajuda de profissionais da área.

O Bebê Alta Demanda

Se está acordado está no peito, se está dormindo… também.

Mama até encher e quando enche põe tudo pra fora e já chora por mais.

A mãe não tem hora de banho, não tem hora de sono, não tem hora de xixi ou cocô (sozinha). É o bebê Piercing de mamilo se não está lá, está aos berros.

É o tipo preferido dos pitaqueiros de plantão, “Leite Fraco” é sempre um apontamento feito.

O Bebê de outros Bicos

“Ah, se eu pudesse não caía na tua
Conversa mole outra vez
Não dava mole a tua pessoa,
Te abandonava prostrado aos meus pés,
Fugia nos braços de um outro rapaz.

Mas acontece que eu sorri para ti
E aí larari larara lariri, lariri…”  

Se Eu Soubesse, Thais Gulin e Chico Buarque

Aquela chupeta inocente, a esperança de acalento e 3 horas seguidas de sono… é… seu bebê AMOU a dita cuja. A chuquinha/mamadeira que a avó, pai, prima, irmã resolveu dar por algum motivo que só faz sentido para elas…

Agora o bebê está lá sofrendo com a “confusão de bicos”, mamar no peito é mais difícil e trabalhoso que tomar na mamadeira, a chupeta tem formato diferente e ele se habituou aquela posição de lábios, língua…

O peito nessa, com a  pega horrorosa que a confusão proporciona, fica em frangalhos…. e a mãe? Dependente daquele pedaço de borracha que se por acaso desaparece, o CAOS se instala na casa.

…”A cara da Amamentação Real”…

Amamentar, vai além, de suor, amor e dedicação. Mas seguimos, firmes, nem sempre tão fortes, normalmente exaustas… mas seguimos.

Essa é a cara da Amamentação Real, participação querida de mulheres, mães do @azíndia.

Vem acompanhar também no facebook :) https://www.facebook.com/casadadoula