Browsing Category

Doula

Doula

Sobre a Falácia da Doula “Bisca”

Para ser uma doula, você não precisa obrigatoriamente fazer um curso. Porém, a Doula trabalha com pessoas, em momento delicado, o nascer é o limiar entre a vida e a morte, como um fio resistente porém muito fino.

Por isso, um curso bom é recomendado.

O curso de formação pode variar, de R$300,00 a 2 mil reais.
Um curso de extensão, pode chegar a 5 mil
Um congresso, não sai por menos de R$700,00

E não para por aí…

É uma formação contínua, atualização contínua, estudo contínuo, leitura contínua e trabalho, muito trabalho.

E Doula, que é Doula, trabalha sim por e com prazer, porque tem que ser, para passar até 40 horas seguidas com uma única mulher, acolher, amparar, dar suporte. Que outra profissão oferece esse atendimento individual e contínuo?

Ouvir e acolher medos, indicar caminhos, apoiar decisões sempre baseadas em evidencias científicas confiáveis.

Quem em sã consciência abre mão de noites de sono tranquilas (sem dormir com o celular em baixo do travesseiro), viagens, férias com a família sem preocupações, salário fixo, décimo terceiro, férias remuneradas, se não for por realmente AMAR o que faz?

 

O trabalho tem valor, o fazemos com o maior amor do mundo e receber por isso não é feio, sujo, imoral ou ilegal.

 

Ok, está na nossa cultura a crença que “Se faz com prazer, deveria fazer de graça”,  e isso é tão válido e real quanto o bom e tão velho quanto “Faz mal comer Manga com Leite”.

 

Doula querida, seu trabalho vale muito.

Obrigada por existir e persistir. 

Doula, Parto, Plano de Parto, Preparo ao Parto, Trabalho de Parto

Unimed Itapetininga – SIM ao PN digno

Unimed Itapetininga, diz sim ao parto normal digno e é referência Brasil em redução de numero de cesáreas desnecessárias.

Não é ironia, nem título “pega clique”, como ativista e Doula tenho acompanhado de perto as transformações na assistência oferecida à gestante dentro do hospital-maternidade Unimed de Itapetininga.

De acordo com reportagem concedida à TV Tem de Itapetininga, desde a implantação do Projeto Nascer (Projeto de estímulo ao parto normal iniciado na unidade em Março-2015) até o mês de Agosto-2015 as taxas de cesárea caíram de 95%  para 65%. Ainda longe dos 15% recomendados pela OMS porém, um grande marco dentro de uma instituição de saúde suplementar particular.

 

O que mudou?

  • Plantonistas

A partir da 36 semana de gestação todas as parturientes passam a ser atendidas no hospital-maternidade, cada consulta com um dos obstetras plantonistas. Dessa forma, podem conhecer todos antes da data prevista para o nascimento, a qualquer momento que precisem de assistência qualificada terão um médico à disposição dentro da unidade.

  • Curso para Casais com presença de Doula

Só acredito porque a Doula em questão sou eu rs, a convite da diretoria da unidade Itapetininga, ofereço em um encontro de 3 horas orientações sobre sinais de trabalho de parto, como aliviar as dores do trabalho de parto e (minha parte preferida) orientações sobre o Plano de Parto.

  • Plano de Parto

Todos os casais que participam do curso recebem um Plano de Parto básico desenvolvido pela instituição, com todas as recomendações da ANS, para livre escolha da parturiente.  Assim que dá entrada na maternidade o plano é entregue à Enfermeira Obstetra responsável e seguido por toda equipe envolvida. Em caso de necessidade de intervenções as parturientes são consultadas.

  • Acompanhamento contínuo de Enfermeiras Obstetras/Obstetrizes altamente qualificadas

Todas as parturientes que desejam o parto normal são avaliadas por um médico obstetra, plantonista, e em seguida permanecem sob cuidado contínuo das Enfermeiras Obstetras. Todas com formação e vivencia direcionada a partos normais humanizados, ou seja, respeitam os desejos e vontades da parturiente sem perder o acompanhamento clínico imprescindível.

  • Liberdade

De  movimentação durante todo o trabalho de parto, alimentação, consumo de líquidos, de uso de chuveiro, bola suiça e banqueta.

 

Semana passada, pude acompanhar uma gestante, que pariu de forma linda seu bebê, na banqueta.

Sem oxitocina sintética de rotina.

Sem episiotomia de rotina.

Sem nenhum tipo de violência, verbal, emocional ou física.

Isso, acredito, ser o básico. Toda mulher deveria ter o direito de viver isso no dia do nascimento do seu bebê, porém infelizmente está muito longe de ser a realidade em grande parte do nosso país.

Meus parabéns à Unimed Itapetininga por essa transformação, apesar da resistência, tiveram coragem em tornar real a possibilidade de um parto digno para toda mulher.

“Para mudar o mundo, é preciso primeiro mudar a forma de nascer”, sim, estamos fazendo nossa parte para um mundo melhor.

Doula

Se eu for sua Doula- Carta a quem quer parir

A parte que me cabe aqui nessa sala é ao seu lado, apenas.

Ou em qualquer posição que você precise do meu corpo, para apoiar o seu no ímpeto arrebatador das ondas nascidas em seu ventre.

O que me cabe, é mergulhar, no negro da sua pupila e te lembrar a mulher selvagem sedenta por vida com saudades da cria que ainda não reconheceu do lado de fora.

Eu não te julgo

Eu não te examino

Não te aponto dedos nem defeitos

Apenas te repito: “olha, você consegue!”

Sou aquela lembrança boa de infância com cheiro de domingo de sol, grama cortada e bolo saindo do forno. Te  ajudo a continuar quando o cansaço é demais e a esperança quase se esvai.

O caminho quem escolhe e percorre é você.

A entrega, a força, os gritos, as lágrimas, a cria, o parto. Quem faz é você.

Eu por todo caminho estarei,a amparar, te fazer rir ou silenciar, de braços e coração abertos para não te deixar esquecer:

Você consegue.

E mesmo que nada aconteça como você sonhou.

Tudo dê tantas voltas que fiquemos sem chão.

Terás ainda meus braços e ombros, para descansar e deixar escorrerem as lágrimas pelo que poderia ter sido.

Nos meus olhos, por você que me escolheu para ao seu lado estar, nunca piedade.  Apenas orgulho da sua luta e gratidão.

Vem acompanhar também no facebook 🙂 https://www.facebook.com/casadadoula

Doula, Preparo ao Parto

Afirmações de Parto, como reprogramar a mente

 É na mente que primeiro nasce o Sonho, o amor. Onde nasce a criança, a vida e o impensável

Antes, muito antes  de sentir com o toque, cheiro ou olhar, os mais profundos desejos são nutridos na nossa mente.

A carreira, o casamento, o filho…E é ela também quem comanda o trabalho de parto.

Ao manter a mente tranquila, a gestante fica relaxada, sem medo e de forma alguma se sente ameaçada. Instintivamente seu corpo todo se abre, “solta” o bebê ao mesmo tempo que os músculos trabalham involuntariamente para expeli-lo.

Isso acontece quando a mulher se mantém fora da “tríade maldita” Medo-Tensão-Dor, teoria desenvolvida por Grantly Dick-Read obstetra britânico “pai” no primeiro programa de Nascimento Natural em 1930 na Inglaterra. Grantly defende que, se durante o trabalho de parto a mulher estiver com medo, vai tensionar os músculos e essa tensão por ser justamente oposta ao movimento do corpo (abertura e expulsão) causa dores fortes, que por sua vez geram mais medo e o ciclo continua….

“Nós sabemos que os neurotransmissores do estresse liberados pelo corpo (catecolaminas) podem interferir com o trabalho de parto, diminuindo o fluxo de sangue para o útero e da placenta, diminuindo as contrações uterinas, e diminui o oxigênio para o bebê.”

 

O ideal é que ao longo da gestação, identifique, e desconstrua os medos, que sim, aparecem sempre para todas!

Você pode preparar sua mente junto com o enxoval, com cuidado especial aos detalhes, desde o começo da gestação, vai se surpreender como a ansiedade diminui e os sentimentos fluem com mais leveza!

Durante os dois Primeiros Trimestres:

Experimente  montar um diário de gestação e a cada mês concluído escrever bilhetes para você mesma com as respostas para suas angustias

“Meu bebê está se desenvolvendo Perfeitamente”

“Sou uma ótima mãe”

“Amo o meu corpo”

“As mudanças da gravidez me deixam ainda mais bonita”

“Sou amada pelo meu companheiro e família”

“Confio no meu corpo”

“Sou corajosa e estou amparada por quem amo”

“Fui escolhida para gerar uma vida, sou merecedora dessa alegria!”

 

No terceiro Trimestre é bacana já trabalhar com carinho para o parto, com palavras de força e apoio que te fortalecerão durante essas últimas semanas e durante o trabalho de parto ajudarão a respirar fundo e se concentrar!

Afirmações de Parto #1

Afirmações de Parto #1

 

 “Meu bebê sabe nascer”

“Aceito, confio e me entrego, à força do meu corpo”

“Sou merecedora de um parto lindo”

“Com amor meu bebê foi concebido, com amor será recebido”

“Cada onda vivida, é uma a menos a espera”

“Cada onda, traz o meu bebê aos meus braços”

“Eu sei Parir”

 

Escreva seus bilhetes de força, sozinha ou em dupla com a ajuda do seu companheiro e/ou sua  Doula.

Deixe eles bonitos, letras grandes, que chamem a sua atenção. Coloque em lugares que você olhe todos os dias, vale espelho do banheiro, no lado de dentro da porta do guarda-roupa, na penteadeira… 

 O importante é que você todos os dias veja e se lembre do quanto é amada, forte e capaz de vivenciar sua gestação e parto da MELHOR forma possível!

Toda mulher sente medo, ou frágil, em vários momentos da vida, é normal. Não se deixe abater, és muito mais forte do que imagina!

Fiz aqui algumas frases de apoio, que você pode imprimir se desejar.

 

“Em Atlanta, Angela Cavallo, de 65 kg, 51 anos de idade, de 1,76 metros de altura, alheia ao mundo do treinamento, no entanto, também deu mostras de uma força extraordinária na sexta-feira santa de 1982, quando seu filho ficou preso sob o Chevrolet Impala que estava consertando. O macaco que segurava o carro falhou e o carro desabou deixando o garoto preso e inconsciente bem no vão da roda que previamente tinha retirado.Angela não titubeou, de modo que meteu os braços por debaixo do carro e agarrou o brilhante parachoque de metal. O Impala pesava 1.500 quilos, mas ela conseguiu levantá-lo alguns centímetros com a intenção de “aliviar a pressão” sobre seu filho que saiu debaixo do veículo sem nenhum arranhão.” -a mente sem barreiras conquista o inimaginável-

 

Doula

Quem doula a Doula?!

 

Tudo pode ter começado em um processo lento, se envolvendo com gestantes, partos lindos ou assustadores.

Ou o desejo veio com tudo, inundando o peito junto com o leite após um parto maravilhoso.

Ou ainda veio como um contínuo processo de cura, pelas falsas verdades que aceitaram, pelo não parto vivido.

O que têm todas em comum é que antes de ser a Doula,  de voz suave e toque certeiro, são mulheres, mães, filhas, amigas. E para exercer bem a profissão precisam de apoio, suporte e orientações contínuos como qualquer profissional. Parimos todos os dias.

Sim querida colega de vocação, quem cuida de você?

Tão importante quanto nosso amor e conhecimentos é uma boa rede de contatos e um bocado bom de organização, principalmente às mulheres que abriram mão do antigo emprego para se dedicar exclusivamente a doulagem.

Dicas para Doulas

Trocar experiências: com outras doulas é sempre enriquecedor, existem diversos grupos no facebook para suporte, são essenciais principalmente quando não tem outras na mesma cidade. Se na sua cidade tem outras doulas se juntem para conversar! Vale lembrar que apesar de inicialmente parecerem concorrentes a escolha é da mulher, que fará isso por afinidade. Cada doula é única, no seu modo de agir, falar, etc.

Rede de Apoio: Se você tem filhos é essencial ter com quem contar, afinal partos acontecem muito no período da noite, ter quem cuide da sua cria é vital. Conheça também os profissionais da sua cidade que possam dar suporte às gestantes, como nutricionista, Gos, Eos, fisioterapeutas, psicólogos. Tenha uma lista também de taxis caso precise.

Metas e planejamentos: Agora você é um profissional autônomo, precisa saber onde você está e onde quer chegar, metas de atendimentos, planejamento de encontros, divulgação, palestras é fundamental. Com tudo organizado seu tempo e trabalho rendem muito mais sem sacrificar sua vida pessoal.

Contabilizar: Doulas não vivem de AMOR, infelizmente. Coloque no papel seus gastos e entradas, uma planilha financeira pode te ajudar muito a visualizar a curto e longo prazo se sua vida financeira está saudável.

Cuide de você: Como poderá oferecer suporte à mulheres se estiver cansada, doente ou fragilizada? Ter um psicólogo para conversar sobre as experiências de parto podem ser uma boa, como também reservar um tempo para atividades físicas, leitura (sem ser sobre parto e afins), namorar e se divertir. Seu corpo e mente são suas principais ferramentas de trabalho, cuide deles com carinho.

Toda Doula precisa de uma Doula, ou várias 😉