Browsing Category

Plano de Parto

Graças a D-eus
Parto, Plano de Parto

Animalizado sim, graças a D-eus!

Essa semana eu, como tantas outras pessoas, tive o desprazer de ler o texto de um senhor, onde ele sem o mínimo de pudor critica de forma inescrupulosa uma mulher e sua opção de parto.

Particularmente adoro críticas, costumam nos mostrar pontos  de vistas diferentes, nos fazem pensar, mas não nesse caso onde uma realidade paralela foi descrita de forma tendenciosa e fantasiosa.

A humanização do nascimento não representa um retorno romântico ao passado, nem uma desvalorização da tecnologia. Em vez disso, oferece uma via ecológica e sustentável para o futuro.” Ricardo Herbert Jones

O parto em questão era um Domiciliar Planejado assistido por Parteiras, que são as profissionais habilitadas para dar todo suporte técnico necessário, a mãe também contava com o apoio de Doulas, profissionais que como qualquer um que seja capaz de acessar o Google sabe que tem a função de dar suporte físico e emocional à parturiente mas não realizam nenhum procedimento clínico, ou seja não realizam parto.

Essa é a principal diferença de um parto domiciliar planejado, “o plano B” existe, uma equipe habilitada para assistência existe, e principalmente, embasamento cientifico existe.

Acredito que apenas por ignorância sobre o assunto, o senhor que escreveu sobre esse caso, afirma que “abrem mão de tudo que a humanidade desenvolveu para segurança de mãe e bebê”.  Uma pena que esse senhor, abra mão de usar seu senso crítico, seus muitos neurônios e o mínimo de boa vontade para pesquisar sobre o que escreve. A disponibilidade da equipe, comentários descabidos sobre o peso da parturiente, não vou me dar ao trabalho de comentar pois sensacionalismo não é meu forte, vou focar aqui no parto.

Nós, da humanização gostamos disso, pesquisa, evidencias científicas, dados atualizados. Não somos do time da preguiça e do “já que tá, que vá”.

O parto, ainda nas palavras do Dr Ric Jones, envolve as três coisas mais temidas na humanidade: vida, morte e sexualidade. É um processo fisiológico, e como tudo que é natural, não tem regras inflexíveis, cada caso pode e deve ser avaliado individualmente. Por isso a assistência de profissionais habilitados é fundamental.

Alguém completamente leigo realmente se assusta. Somos criados acreditando que sangue é sinal de morte, gritos sinal de sofrimento e mulher é frágil e sensível como as pétalas de uma flor.

Sangue é vida, gritos são libertadores e mulheres são donas de uma força visceral que só descobrem parindo, e gostam MUITO de conhecer essa força. Relatos e imagens de parto como o dessa mulher são importantes, representatividade importa, o parto dela importa. E sua bebê passa muito bem obrigada, é linda e muito saudável.

 

Que tal pontuar os descabimentos daquele texto animalizado e levar um pouco de unção baseada em evidencias científicas atualizadas?

 

-Episiotomia, trata-se de um corte realizado no períneo, àrea entre vagina e anus, em sentido determinado, podendo alcançar desde a mucosa até a musculatura do assoalho pélvico, não existe nenhuma evidencia que seja um procedimento necessário ou que proporcione qualquer benefício à parturiente ou ao bebê.

-Mecônio, primeiro cocô do bebê, comum estar presente em gestações a termo, pode ser encontrado em diferentes quantidades. A quantidade, espessura e vitalidade do bebê, evolução do parto, entre outros fatores são monitorados e avaliados para afirmar a viabilidade ou não do parto normal ou se existe necessidade de cesárea.

-Sobre médicos, contamos nos país com um índice superior à 80% de cesáreas por ano, número muito maior que os 15% recomendados pela OMS. Nossos médicos são muito bons, sim, mas talvez, essa falta de atualização na área, falta de prática na assistência à partos normais naturais, nenhuma busca por melhoria na assistência oferecida, fazem com que muitos fiquem a quem de acompanhar um nascimento respeitando a autonomia da mulher e seguindo todas as diretrizes técnicas necessárias para uma assistência de qualidade.

Para nossa alegria, a cada dia mais e mais médicos buscam por atualização, a pedido de… é das mulheres.

 

D-eus abençoe as evidencias cientificas!

 

Fontes:

Sobre Episiotomia:http://estudamelania.blogspot.com.br/2015/07/serie-videos-numero-1-episiotomia.html

Sobre taxa de transferência: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342013000100002

Capa
Empoderamento, Parto, Plano de Parto

Vamos construir o parto Real?

Ainda na série “experiencias na internê” em Maio eu estava animadíssima na pegada de video-resposta sobre as coisas.

Tirando o fato de eu ser bem ruim na produção de vídeos, esse foi um dos temas mais legais e acabou sento o start para que eu desenvolvesse um exercício para elaboração personalizada do plano de parto.

O que acaba sendo uma grande redundância, todo plano de parto deveria ser elaborado de forma única e exclusiva, mas sei também que as vezes é mais fácil copiar aqui e colar alí… é? É sim!

O parto acontece apenas em algumas horas, sim é verdade, também é verdade que durante essas horas TUDO NO MUNDO pode acontecer. Desde a aparição do segundo Sol até uma invasão apocalítica zumbi.

Vale a pena se dedicar algumas horas, sentar e ir visualizando desde o inicio do trabalho de parto até o retorno para casa depois do nascimento.  Em que momento quer ir para o hospital, o que gostaria de comer, músicas que quer ouvir, quem quer ter por perto….

Na época perguntaram também se quem está super empoderada com equipe 5 estrelas humanizada também precisa fazer o plano de parto. SIM, faça sim.

Mesmo dentro de uma equipe humanizada cada profissional irá agir como ele acredita ser melhor para a parturiente, se ela não pontuar claramente suas vontades e desejos, isso pode gerar uma profunda decepção com a equipe posteriormente.

Confiram o vídeo aqui, que apesar de não ser digno de uma produção de Steven Spielberg está recheado de informações boas.

E aqui, tem o exercício que criei e desenvolvi durante um curso em Itapetininga-SP :)

São perguntas simples, mas que vão te ajudar lá no final a visualizar com o que você precisa se preocupar e o que pode fazer para que não se torne um fator de tensão real no parto.

Responda item a item e no quaro final coloque os pontos principais levantados,com base nesse quadro poderá fazer seu plano de parto de forma bem mais consciente.

Discutir com seu acompanhante (quando tiver) é sempre importante, tanto para aliviar a tensão que alguns questionamentos poderão provocar quanto para trazer o outro junto com você para dentro do parto Real.

 

 

**Para saber detalhes sobre direito à assistência humanizada no SUS consulte a lei 15.759 (de 25/03/2015) http://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei/2015/lei-15759-25.03.2015.html

Unimed Itapetininga
Doula, Parto, Plano de Parto, Preparo ao Parto, Trabalho de Parto

Unimed Itapetininga – SIM ao PN digno

Unimed Itapetininga, diz sim ao parto normal digno e é referência Brasil em redução de numero de cesáreas desnecessárias.

Não é ironia, nem título “pega clique”, como ativista e Doula tenho acompanhado de perto as transformações na assistência oferecida à gestante dentro do hospital-maternidade Unimed de Itapetininga.

De acordo com reportagem concedida à TV Tem de Itapetininga, desde a implantação do Projeto Nascer (Projeto de estímulo ao parto normal iniciado na unidade em Março-2015) até o mês de Agosto-2015 as taxas de cesárea caíram de 95%  para 65%. Ainda longe dos 15% recomendados pela OMS porém, um grande marco dentro de uma instituição de saúde suplementar particular.

 

O que mudou?

  • Plantonistas

A partir da 36 semana de gestação todas as parturientes passam a ser atendidas no hospital-maternidade, cada consulta com um dos obstetras plantonistas. Dessa forma, podem conhecer todos antes da data prevista para o nascimento, a qualquer momento que precisem de assistência qualificada terão um médico à disposição dentro da unidade.

  • Curso para Casais com presença de Doula

Só acredito porque a Doula em questão sou eu rs, a convite da diretoria da unidade Itapetininga, ofereço em um encontro de 3 horas orientações sobre sinais de trabalho de parto, como aliviar as dores do trabalho de parto e (minha parte preferida) orientações sobre o Plano de Parto.

  • Plano de Parto

Todos os casais que participam do curso recebem um Plano de Parto básico desenvolvido pela instituição, com todas as recomendações da ANS, para livre escolha da parturiente.  Assim que dá entrada na maternidade o plano é entregue à Enfermeira Obstetra responsável e seguido por toda equipe envolvida. Em caso de necessidade de intervenções as parturientes são consultadas.

  • Acompanhamento contínuo de Enfermeiras Obstetras/Obstetrizes altamente qualificadas

Todas as parturientes que desejam o parto normal são avaliadas por um médico obstetra, plantonista, e em seguida permanecem sob cuidado contínuo das Enfermeiras Obstetras. Todas com formação e vivencia direcionada a partos normais humanizados, ou seja, respeitam os desejos e vontades da parturiente sem perder o acompanhamento clínico imprescindível.

  • Liberdade

De  movimentação durante todo o trabalho de parto, alimentação, consumo de líquidos, de uso de chuveiro, bola suiça e banqueta.

 

Semana passada, pude acompanhar uma gestante, que pariu de forma linda seu bebê, na banqueta.

Sem oxitocina sintética de rotina.

Sem episiotomia de rotina.

Sem nenhum tipo de violência, verbal, emocional ou física.

Isso, acredito, ser o básico. Toda mulher deveria ter o direito de viver isso no dia do nascimento do seu bebê, porém infelizmente está muito longe de ser a realidade em grande parte do nosso país.

Meus parabéns à Unimed Itapetininga por essa transformação, apesar da resistência, tiveram coragem em tornar real a possibilidade de um parto digno para toda mulher.

“Para mudar o mundo, é preciso primeiro mudar a forma de nascer”, sim, estamos fazendo nossa parte para um mundo melhor.

cesaria
Empoderamento, Plano de Parto, Preparo ao Parto

Socorro! Não posso mais agendar minha cesárea.

 

Dia 7 de janeiro de 2015 a ANS, Agência Nacional de Saúde Suplementar apresentou a resolução que determina o fim dos agendamentos prévios de cesárea através de Convênios de Saúde, sem indicações clínicas reais.

Essa medida foi tomada devido aos altíssimos índices de cesáreas realizadas no Brasil, em alguns hospitais superior a 98% dos casos quando o máximo aceitado pela OMS é de 15%

 

“Não podemos aceitar que as cesarianas sejam realizadas em função do poder econômico ou por comodidade. O normal é o parto normal. Não há justificativa de nenhuma ordem, financeira, técnica, científica, que possa continuar dando validade a essa taxa alta de cesáreas na saúde suplementar. Temos que reverter essa situação que se instalou no país”, enfatizou o ministro da Saúde, Arthur Chioro. O Ministro reforçou ainda que a redução de cesáreas não é uma responsabilidade exclusiva do poder público, mas de toda a sociedade brasileira. “É inaceitável a epidemia de cesáreas que há hoje no país e não há outra forma de tratá-la senão como um problema de saúde pública”, destacou.

 

Segue abaixo, algumas indicações para cesárea, você pode ver mais detalhadamente AQUI.

 

1) Prolapso de cordão – com dilatação não completa;

2) Descolamento prematuro da placenta com feto vivo – fora do período expulsivo;

3) Placenta prévia parcial ou total (total ou centro-parcial);

4) Apresentação córmica (situação transversa) – durante o trabalho de parto (antes pode ser tentada a versão);

5) Ruptura de vasa previa;

6) Herpes genital com lesão ativa no momento em que se inicia o trabalho de parto (em algumas diretrizes, somente se for a primoinfecção herpética).

 

Não apresentar, nenhum desses itens é sem dúvida motivo de grande alegria para qualquer mãe, mas como lidar com o trabalho de parto e parto normal quando não se espera por isso?

 

1: Confie no seu CORPO

Se você foi capaz de gestar um bebê durante nove meses, suas chances de ter um parto ótimo são enormes, você foi feita para dar luz, você é capaz.

 

2: Busque por informações

Como a mais ou menos 50 anos a cesárea tem sido a  principal opção de nascimento no Brasil, medos e informações equivocadas fazem parte do nosso dia a dia.

Ah a dor é horrível, você não vai aguentar é muito sofrido!!!//O bebê tava com cordão enrolado no pescoço, não respirava!//Parto normal é coisa de índia!/Seu primeiro filho, vai arriscar no normal? Que maluca!!//Você vaificar toda larga, seu marido vai te trocar por outra depois, vai ver só!” 

Tudo isso é a mais pura e linda BOBAGEM, como a crença que comer manga com leite faz mal! Clique na desculpa que já ouviu, fiz uma seleção de ótimos textos falando sobre cada assunto!

Relatos de parto são ótimas formas de ler, nas palavras de outra mulher, sobre a experiência real de um parto normal.

 

3: Busque pessoas que te acolham

Ultima coisa que qualquer mulher precisa é de dedos apontados, olhares inquisitores e histórias horrorosas sobres partos. FUJA para as colinas, não perca energia ouvindo ou argumentando só fará você se sentir ainda mais pressionada.

Procure por grupos de Apoio! Só uma gestante entende outra!

Procure por uma Doula, elas entendem o momento que você vive e vão te ajudar com indicações de leituras e exercícios que te tranquilizarão, elas auxiliam antes do parto, durante o parto e depois, com amamentação e cuidados com o bebê, você pode conversar com a sua e contratar apenas nos momentos que você desejar.

 

4: Converse com seu parceiro

Sempre que buscar informações, discuta com o seu parceiro ou pessoas mais próximas, assim você cria um verdadeiro muro contra palpiteiros agourentos de plantão, além de passar a ter um super apoio dentro de casa com as pessoas que você mais ama.

 

5: Questione! Muito e SEMPRE

O mais prazeroso e assustador do parto normal, não é a dor, ou a espera. É que pela primeira vez na sua vida você vai se ver completamente no comando da sua própria vida e corpo.

De inicio, isso assusta, mas aos poucos você verá que se descobrirá muito mais poderosa e forte do que imagina.

Pergunte, busque por respostas a todos os seus medos, mas lembre-se se a resposta parecer meio estranha…desconfie, busque por outra…  as vezes repetir em voz alta ajuda para nos darmos conta dos absurdos que nos dizem!

 

6: Respeite o tempo do seu bebê e o SEU

Já reparou que a data prevista para sue parto, é calculada com base na data da sua ultima menstruação? Mas o bebê é gerado apenas quando você ovula (ou seja até 15 dias depois a menstruação!) Sim,  o calculo do tempo de gestação é aproximado, e pode ter uma semana de erro para mais.

Uma gestação normal, pode ir até 42 semanas,  a partir da 41 semana exames dia sim dia não são feitos para monitorar o bebê. NENHUM profissional vai te forçar a um parto normal se seu bebê apresentar sinais de sofrimento fetal.

Trabalho de parto, é trabalho mesmo, só inicia quando tem contrações de 5 em 5 minutos durante mais de uma hora. Cada mulher tem seu tempo próprio para parir e ritmo também, seu corpo é sábio!

 

Vem acompanhar também no facebook :) https://www.facebook.com/casadadoula

 

 

Fontes: http://www.ans.gov.br/aans/noticias-ans/consumidor/2718-ministerio-da-saude-e-ans-publicam-resolucao-para-estimular-parto-normal-na-saude-suplementar#sthash.JnxfXBG1.dpuf

http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/indicacoes-reais-e-ficticias-de.html

http://www.ans.gov.br/aans/noticias-ans/consumidor/2718-ministerio-da-saude-e-ans-publicam-resolucao-para-estimular-parto-normal-na-saude-suplementar

Plano de Parto

Um pouco de tudo: O Plano de Parto

Comecei esse mês na minha página Casa da Doula postagem semanal de vídeos respostas.

Funciona assim, eu pergunto, vocês me mandam até 5 perguntas sobre o assunto, se tudo conspirar a favor, no máximo em 7 dias posto o vídeo resposta. :)

Comecei falando sobre Plano de Parto, sou Super-blogueira-fazedora-de-vídeos  quebro bem um galho rs

O Plano de parto é uma ferramenta de empoderamento, onde você coloca em palavras tudo o que você quer que aconteça antes, durante e logo após o seu parto, desde a saída de casa até postura de equipe, posicionamento, ambiente…

Cada casal deve elaborar seu plano de parto de forma individual, pode e deve-se utilizar modelos como base, mas sempre questionar o que é relevante para você.

Depois de feito o Plano de parto, discuta com seu médico e antes das 37 semanas de gestação vá até o hospital (ou casa de parto/clinica) escolhido para o nascimento e questione sobre como você pode protocolar seu plano, tenha sempre em mãos 3 vias, uma para protocolar, uma para você entregar no momento da internação e uma terceira para manter contigo.

Mesmo que você (e/ou o casal) esteja super empoderada, a LEOA Parideira, é importante sim elaborar seu plano, para discutir e apresentar para sua equipe, mesmo em caso de partos domiciliares, assim cada um da equipe irá trabalhar para atender às suas necessidades específicas e não fazer o que cada um acredita ser o melhor (é algo muito subjetivo e particular).

A cesárea DEVE estar presente, afinal é uma cirurgia salvadora de vidas SIM e se for necessária durante o parto não vai causar tanto assombramento, pensar antes, definir limites e condutas, faz com que a experiencia seja melhor vivenciada.

 

Quer sugerir temas para outros vídeos? Mande para doula.samara@gmail.com :)