Browsing Category

Preparo ao Parto

Empoderamento, Gestação, Preparo ao Parto, Receitas Naturais

De bumbum pra Lua

Já falei aqui um pouco sobre os bebês sentados, até quando ficam assim, quando esperamos que mudem e porque alguns bebês insistem em ficar nessa posição.

Agora vamos para a parte prática, como a mãe pode auxiliar o bebê para se posicionar de cabecinha para baixo e bumbum para a lua.

Vale lembrar, você pode trabalhar com esse bebê a partir da 30 semana de gestação, antes não adianta se angustiar, o bebê é pequeno e o espaço grande para que ele possa virar e desvirar muitas vezes ainda.

Antes de começar:

  • O estomago não pode estar cheio, as posições podem causal ânsia caso esteja
  • Faça nos horários em que o bebê esteja mais ativo, a movimentação dele vai ajudar
  • Tenha alguém com você para oferecer amparo e evitar escorregões
  • Não realize esses exercícios caso bebê já esteja de cabecinha para baixo
  • Quanto mais líquidos você ingerir durante o dia, mais fácil será a movimentação do seu bebê
  • Todas as opções podem e são recomendadas para serem feitas diariamente até que o bebê se posicione de forma “ideal”

 

1: Inversão com apoio

Breech tilt position Photo by Tanya Villano. As seen on SpinningBabies; Parent Class video

Breech tilt position Photo by Tanya Villano. As seen on SpinningBabies; Parent Class video

Com o amparo de uma superfície resistente e reta (na foto usaram uma tábua de passar roupas mesmo) e almofadas a mãe se posiciona a uma inclinação mais ou menos de sessenta graus.

Esse exercício trabalha com dois fatores, equilíbrio e gravidade, e pode ser realizado de 1 a 3 vezes por dia, a permanência ideal é de 20 minutos, mas pode mudar caso você não se sinta bem.

É importante que a mãe esteja relaxada e respirando profundamente (respiração abdominal) durante o exercício, que irá proporcionar apoio para a coluna e alongamento dos ligamentos uterinos (que irão relaxar quando a mãe se levantar).

A gravidade auxilia no posicionamento do bebê que posiciona o queixo junto ao peito e tem aí muitas vezes a mãozinha que faltava para completar o giro (da mesma forma que fazemos ao virar uma cambalhota).

 

2: Inversão Suspensa

Diferente da anterior aqui você mesma vai se sustentar contando ainda com o auxílio de um sofá e uma superfície macia para que possa apoiar os braços.

Da mesma forma que o exercício anterior, é fundamental o relaxamento muscular de todo o corpo, para liberar tensões e favorecer  a movimentação do bebê.

Pernas levemente abertas e o relaxamento muscular melhoram o posicionamento da bacia e liberam espaço interno.

Pode ser realizado de 1 a 3 vezes por dia, por +/- 20 minutos, ou enquanto você se sentir confortável na posição

Lembre-se de respirar profundamente durante todo o exercício, a respiração é chave para o seu relaxamento e para a boa oxigenação do bebê, além da movimentação do diafragma estimular a movimentação do bebê.

3: De 4 apoios

spin3

Coluna bem alongada, braços estendidos, as pernas com os joelhos afastados e voltados para “fora” e bumbum bem empinado, dos três exercícios de inversão esse é o mais fácil de se posicionar.

Pode ser feito de 1 a 3 vezes por dia, tempo de permanência de 20 minutos  (ou enquanto você se sentir confortável)

 

5: Quente ou Frio?

terapia do quente-frioAinda dentro do útero o bebê é capaz de sentir a temperatura externa, mesmo sem saber o que é, vai sempre buscar ficar com o rostinho afastado do gelado.

Deitada de barriga para cima, você pode coloca ruma bolsa de água quente no pé da barriga, e uma com água gelada logo abaixo do diafragma.

Quanto tempo: Em torno de 20 minutos

Quando: Nos horários em que o bebê estiver mais ativo

IMPORTANTE: Sua pele não deve ser queimada, nem pelo frio nem pelo calor.

6: Música

Assim como a temperatura, os bebês já ouvem dentro do útero e há quem afirme terem uma grande sensibilidade para música.

Colocar fones de ouvido com músicas que você goste próximo à barriga pode ser um estimulo muito bacana para seu bebê, que irá buscar ficar mais perto do local de onde vem o som.  O que mais gosto dessa alternativa é que mesmo durante o trabalho muitas vezes é possível fazer, com auxilio de pequenos fones (passei a gestação toda com musica na barriga, hoje minha filha já com 4 anos adora as musicas que eu colocava, são as que ela se acalma sempre)

 

7: Acupuntura

Eu sou fã dos pontos mágicos da medicina chinesa, são os mais recomendados quando o assunto é indução e apresenta também na inversão dos melhores estímulos.

Não vá em qualquer acupunturista  Já vi também alguns resultados ruins quando os estímulos são oferecidos por profissionais que não tem conhecimento mais intimo com gestação e parto normal. Então se for experimentar as agulhas mágicas, faça com um profissional que trabalhe se não exclusivamente, especialmente com gestantes.

 

8: Versão Cefálica Externa

A VCE pode seVCEr feita em consultórios ou no hospital, esse sempre que a gestante solicitar por analgesia durante o procedimento.

É a alternativa a partir de 37 semanas e o procedimento é realizado por um médico (apesar de existirem estudos estimulando obstetrizes à realizarem) que com as mãos e o apoio de ultrassom e acompanhamento dos batimentos fetais gentilmente acomoda o bebê na posição cefálica (de cabeça para baixo).

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: http://spinningbabies.com/learn-more/techniques/other-techniques/breech-tilt/

 

 

 

Doula, Parto, Plano de Parto, Preparo ao Parto, Trabalho de Parto

Unimed Itapetininga – SIM ao PN digno

Unimed Itapetininga, diz sim ao parto normal digno e é referência Brasil em redução de numero de cesáreas desnecessárias.

Não é ironia, nem título “pega clique”, como ativista e Doula tenho acompanhado de perto as transformações na assistência oferecida à gestante dentro do hospital-maternidade Unimed de Itapetininga.

De acordo com reportagem concedida à TV Tem de Itapetininga, desde a implantação do Projeto Nascer (Projeto de estímulo ao parto normal iniciado na unidade em Março-2015) até o mês de Agosto-2015 as taxas de cesárea caíram de 95%  para 65%. Ainda longe dos 15% recomendados pela OMS porém, um grande marco dentro de uma instituição de saúde suplementar particular.

 

O que mudou?

  • Plantonistas

A partir da 36 semana de gestação todas as parturientes passam a ser atendidas no hospital-maternidade, cada consulta com um dos obstetras plantonistas. Dessa forma, podem conhecer todos antes da data prevista para o nascimento, a qualquer momento que precisem de assistência qualificada terão um médico à disposição dentro da unidade.

  • Curso para Casais com presença de Doula

Só acredito porque a Doula em questão sou eu rs, a convite da diretoria da unidade Itapetininga, ofereço em um encontro de 3 horas orientações sobre sinais de trabalho de parto, como aliviar as dores do trabalho de parto e (minha parte preferida) orientações sobre o Plano de Parto.

  • Plano de Parto

Todos os casais que participam do curso recebem um Plano de Parto básico desenvolvido pela instituição, com todas as recomendações da ANS, para livre escolha da parturiente.  Assim que dá entrada na maternidade o plano é entregue à Enfermeira Obstetra responsável e seguido por toda equipe envolvida. Em caso de necessidade de intervenções as parturientes são consultadas.

  • Acompanhamento contínuo de Enfermeiras Obstetras/Obstetrizes altamente qualificadas

Todas as parturientes que desejam o parto normal são avaliadas por um médico obstetra, plantonista, e em seguida permanecem sob cuidado contínuo das Enfermeiras Obstetras. Todas com formação e vivencia direcionada a partos normais humanizados, ou seja, respeitam os desejos e vontades da parturiente sem perder o acompanhamento clínico imprescindível.

  • Liberdade

De  movimentação durante todo o trabalho de parto, alimentação, consumo de líquidos, de uso de chuveiro, bola suiça e banqueta.

 

Semana passada, pude acompanhar uma gestante, que pariu de forma linda seu bebê, na banqueta.

Sem oxitocina sintética de rotina.

Sem episiotomia de rotina.

Sem nenhum tipo de violência, verbal, emocional ou física.

Isso, acredito, ser o básico. Toda mulher deveria ter o direito de viver isso no dia do nascimento do seu bebê, porém infelizmente está muito longe de ser a realidade em grande parte do nosso país.

Meus parabéns à Unimed Itapetininga por essa transformação, apesar da resistência, tiveram coragem em tornar real a possibilidade de um parto digno para toda mulher.

“Para mudar o mundo, é preciso primeiro mudar a forma de nascer”, sim, estamos fazendo nossa parte para um mundo melhor.

Parto, Preparo ao Parto

Cedo demais para pensar?

Já perdi as contas quantas vezes me perguntaram “Sá, quando devo começar a planejar o parto? Acabei de sair da primeira consulta de pré natal…”

Vamos pensar na lógica das coisas um pouco, vem comigo.

Qual o evento mais popular (ainda) na vida de uma mulher adulta? Casamento.

Há quem discorde, respeito, tamo junta! MAS ainda para a maioria das mulheres o dia do “SIM” é o mais importante da vida adulta.

 

TEmpo

Quanto tempo se gasta preparando um casamento, de acordo com uma pesquisa informal feita por mim com 100 mulheres nas redes sociais.

Afinal é um dia importante, está no sonho da família da noiva desde que descobriram ser uma menina ainda na barriga da mãe…Quanto maior a importância dada à data, maior a antecedência na organização, com tudo o que tem direito.

“Mas Sá… é diferente! O parto é muito caro, imagina… !”

Você gosta de números? Vamos então, ver alguns números…

Quanto custa um casamento

Valor investido, desde convites, até a recepção.

A maioria das pessoas não se assusta com isso, porque: se trata de um sonho! Um sonho de princesa que temos o “direito” de viver.

E o sonho da Mulher?

Afinal o que impede a mulher pensar, planejar e investir (SIM investir!) no dia do nascimento do seu bebê, sendo que diferente de um casamento, será um evento que com certeza ela vai comemorar todos os dias de sua vida?

“Ah Sá, mas sabe o que é que é… pode acontecer tudo diferente de como planejei, como sonhei… e ficaria muito frustrada”

Sim, mas isso também pode acontecer em todos os momentos importantes da nossa vida, e não desmerece em nada o nosso prazer em planejar, pesquisar, se envolver, chamar amigos e parentes para vivenciar esse sonho se realizando!

Independente da sua condição financeira, você pode sonhar com o seu parto, quanto antes MELHOR.

Planejando com antecedência você:

  • Consegue visualizar o parto sonhado e o parto REAL dentro de suas possibilidades (e na melhor forma possível)
  • ECONOMIZA , existem sempre alternativas, inclusive gratuitas! Nada como negociar valores e prazos, não é?
  • Pode encontra uma rede de apoio em que você se sinta realmente acolhida (grupo de gestantes, doula, GO, EO)
  • Consegue trazer as pessoas mais importantes da sua vida para esse mundão lindo dos nascimentos respeitosos, em doses homeopáticas e com carinho
  • Torna o parto respeitoso tão palpável que dificilmente as pessoas a sua volta não te apoiarão, vão lutar junto com você pois farão parte do seu sonho (e estou para conhecer momento mais emocionante!)
  • Pode saber tudo sobre sua gestação, conhecer seu corpo sem stress e como tudo pode funcionar no grande dia.

 

Assuma às rédeas, não deixe pensarem por você ou decidirem o que será feito com o seu corpo no dia mais memorável para toda sua família.

 

Vem acompanhar também no facebook 🙂 https://www.facebook.com/casadadoula

 

Empoderamento, Plano de Parto, Preparo ao Parto

Socorro! Não posso mais agendar minha cesárea.

 

Dia 7 de janeiro de 2015 a ANS, Agência Nacional de Saúde Suplementar apresentou a resolução que determina o fim dos agendamentos prévios de cesárea através de Convênios de Saúde, sem indicações clínicas reais.

Essa medida foi tomada devido aos altíssimos índices de cesáreas realizadas no Brasil, em alguns hospitais superior a 98% dos casos quando o máximo aceitado pela OMS é de 15%

 

“Não podemos aceitar que as cesarianas sejam realizadas em função do poder econômico ou por comodidade. O normal é o parto normal. Não há justificativa de nenhuma ordem, financeira, técnica, científica, que possa continuar dando validade a essa taxa alta de cesáreas na saúde suplementar. Temos que reverter essa situação que se instalou no país”, enfatizou o ministro da Saúde, Arthur Chioro. O Ministro reforçou ainda que a redução de cesáreas não é uma responsabilidade exclusiva do poder público, mas de toda a sociedade brasileira. “É inaceitável a epidemia de cesáreas que há hoje no país e não há outra forma de tratá-la senão como um problema de saúde pública”, destacou.

 

Segue abaixo, algumas indicações para cesárea, você pode ver mais detalhadamente AQUI.

 

1) Prolapso de cordão – com dilatação não completa;

2) Descolamento prematuro da placenta com feto vivo – fora do período expulsivo;

3) Placenta prévia parcial ou total (total ou centro-parcial);

4) Apresentação córmica (situação transversa) – durante o trabalho de parto (antes pode ser tentada a versão);

5) Ruptura de vasa previa;

6) Herpes genital com lesão ativa no momento em que se inicia o trabalho de parto (em algumas diretrizes, somente se for a primoinfecção herpética).

 

Não apresentar, nenhum desses itens é sem dúvida motivo de grande alegria para qualquer mãe, mas como lidar com o trabalho de parto e parto normal quando não se espera por isso?

 

1: Confie no seu CORPO

Se você foi capaz de gestar um bebê durante nove meses, suas chances de ter um parto ótimo são enormes, você foi feita para dar luz, você é capaz.

 

2: Busque por informações

Como a mais ou menos 50 anos a cesárea tem sido a  principal opção de nascimento no Brasil, medos e informações equivocadas fazem parte do nosso dia a dia.

Ah a dor é horrível, você não vai aguentar é muito sofrido!!!//O bebê tava com cordão enrolado no pescoço, não respirava!//Parto normal é coisa de índia!/Seu primeiro filho, vai arriscar no normal? Que maluca!!//Você vaificar toda larga, seu marido vai te trocar por outra depois, vai ver só!” 

Tudo isso é a mais pura e linda BOBAGEM, como a crença que comer manga com leite faz mal! Clique na desculpa que já ouviu, fiz uma seleção de ótimos textos falando sobre cada assunto!

Relatos de parto são ótimas formas de ler, nas palavras de outra mulher, sobre a experiência real de um parto normal.

 

3: Busque pessoas que te acolham

Ultima coisa que qualquer mulher precisa é de dedos apontados, olhares inquisitores e histórias horrorosas sobres partos. FUJA para as colinas, não perca energia ouvindo ou argumentando só fará você se sentir ainda mais pressionada.

Procure por grupos de Apoio! Só uma gestante entende outra!

Procure por uma Doula, elas entendem o momento que você vive e vão te ajudar com indicações de leituras e exercícios que te tranquilizarão, elas auxiliam antes do parto, durante o parto e depois, com amamentação e cuidados com o bebê, você pode conversar com a sua e contratar apenas nos momentos que você desejar.

 

4: Converse com seu parceiro

Sempre que buscar informações, discuta com o seu parceiro ou pessoas mais próximas, assim você cria um verdadeiro muro contra palpiteiros agourentos de plantão, além de passar a ter um super apoio dentro de casa com as pessoas que você mais ama.

 

5: Questione! Muito e SEMPRE

O mais prazeroso e assustador do parto normal, não é a dor, ou a espera. É que pela primeira vez na sua vida você vai se ver completamente no comando da sua própria vida e corpo.

De inicio, isso assusta, mas aos poucos você verá que se descobrirá muito mais poderosa e forte do que imagina.

Pergunte, busque por respostas a todos os seus medos, mas lembre-se se a resposta parecer meio estranha…desconfie, busque por outra…  as vezes repetir em voz alta ajuda para nos darmos conta dos absurdos que nos dizem!

 

6: Respeite o tempo do seu bebê e o SEU

Já reparou que a data prevista para sue parto, é calculada com base na data da sua ultima menstruação? Mas o bebê é gerado apenas quando você ovula (ou seja até 15 dias depois a menstruação!) Sim,  o calculo do tempo de gestação é aproximado, e pode ter uma semana de erro para mais.

Uma gestação normal, pode ir até 42 semanas,  a partir da 41 semana exames dia sim dia não são feitos para monitorar o bebê. NENHUM profissional vai te forçar a um parto normal se seu bebê apresentar sinais de sofrimento fetal.

Trabalho de parto, é trabalho mesmo, só inicia quando tem contrações de 5 em 5 minutos durante mais de uma hora. Cada mulher tem seu tempo próprio para parir e ritmo também, seu corpo é sábio!

 

Vem acompanhar também no facebook 🙂 https://www.facebook.com/casadadoula

 

 

Fontes: http://www.ans.gov.br/aans/noticias-ans/consumidor/2718-ministerio-da-saude-e-ans-publicam-resolucao-para-estimular-parto-normal-na-saude-suplementar#sthash.JnxfXBG1.dpuf

http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/indicacoes-reais-e-ficticias-de.html

http://www.ans.gov.br/aans/noticias-ans/consumidor/2718-ministerio-da-saude-e-ans-publicam-resolucao-para-estimular-parto-normal-na-saude-suplementar

Preparo ao Parto

Tudo o que você precisa para parir

Hoje pela manhã conversando com uma amiga, fui apresentada à fotos de duas mulheres bonitas mas muito diferentes.

As duas, irmãs gêmeas com sobrepeso, porém uma irradiava alegria, sorria com o olhar, toda arrumada e com uma postura bem arranjada, os olhos brilhavam e faziam os olhos se perderem entre o sorriso largo e os profundos olhos castanhos, um deslumbre de mulher. Daquelas que a gente vê na rua e já simpatiza de cara.

Já a outra, com cabelos mal cuidados, olhar tenso de quem mais apanhou na vida do que sorriu, parecia ser muito mais velha, com o brilho nos olhos anuviados pela falta de leveza no encarar a vida.

O que elas tinham de diferente é o que pode fazer um parto ser bom, ou ruim.

Tudo o que nós precisamos, para ter uma vida e parto legal, já vem de fábrica. Já é nosso. Precisa apenas da leveza e de se permitir ser.

O que saber para um PN

O que vai pesar, para o parto ser uma experiência boa ou não é a mesma coisa que diferenciou as irmãs, lá da foto que minha amiga mostrou, a auto confiança, alegria, estar bem consigo mesma.

Pilates, hidroginástica, Yôga, cursos de preparo ao parto, pintura de ventre, massagens relaxantes, dança do ventre, epi-no, chá da Naoli, chá de canela, despedida da barriga….

Poderia escrever uma página inteira de “itens de preparo” que são opcionais, não são essenciais, não garantem um parto maravilhoso, rápido e perfeito. Não.

Esses recursos podem te ajudar a se conectar com você mesma mesma e com o bebê, se curtir, conhecer o próprio corpo, seus pontos de conforto e limites. Dão um “up” autoconfiança e empoderamento que já existe dentro de você. Vão reforçar suas escolhas e te apresentar ferramentas que você pode usar quando, como e onde quiser.

Por isso são indicados, não com obrigatoriedade, mas como caminhos a serem experimentados.

A escolha, das atividades a serem feitas, é muito pessoal, eu –particularmente- apenas fazia caminhadas, não muito curtas eu acho, coisa de 1 ou 2 horas (voltando do trabalho e vendo lojas no caminho), gostava de ir andar na Av Paulista, sair dançar as vezes…. Só!

Engordei muito mais do que é saudável se engordar… e mesmo assim, conquistei um parto de 6 horas, muito meu, e períneo íntegro.

Hoje, se pudesse me ver grávida e aconselhar diria: Tire mais fotos! Compre roupas que deixem ainda mais em evidencia sua barriga. Saia dançar mais. Vá viajar para outro estado passar as férias. Se preocupe menos, se divirta e viva mais.

Olhe para seu corpo com ternura, seja gentil com seu reflexo no espelho.

Períneo, Preparo ao Parto

Exercícios para Fortalecimento Pélvico #4

Esse exercício achei bem tranquilo, fiz em casa sem o aparelho e gostei bastante!

O mais difícil é manter a tensão de 30%, se você não lembra como chegar lá clica aqui para rever 🙂

Tenho mais 5 exercícios para postar, que aumentam a intensidade e dificuldade gradativamente. Assine o feed do blog para não perder o próximo!

A Borboleta

 

Posição inicial: Deitada de barriga para cima com travesseiro possivelmente dobrado sob sua cabeça, quadril e joelho relaxados, baixos perto do chão:

1. Puxe o ar para preparar

2. Expire, abra o joelho direito para o lado lentamente (joelho esquerdo permanece orientada para o teto)

3. Inspire novamente, nessa posição

4. Expire enquanto o joelho direito fecha para cima

 

Figurativamente outro lado: Uma ponte móvel e sua base no lado oposto

 

Com que frequência? 5 vezes cada lado

 

Notas: No momento o que conta é, frações de segundo antes de abrir o joelho para o lado – ou fechá-lo novamente – sempre definir a tensão básica de 30% para que a pélvis permanece estável durante o movimento. Este exercício requer uma superfície firme.

 

Agora, com o EPI-NO Delphine Plus:

 

Rotina de exercícios:

 

  • Você insere a meio caminho balão vazio na vagina
  • Inflar o balão com calma, até sentir uma resistência mínima (dependendo do assoalho pélvico antecedentes lacuna do ponteiro entre 1 e 5)
  • Agora, a sequência de exercícios 1. a 4. como descrito acima
  • A agulha ponteiro na tensão básica de 30% vai se mover ligeiramente para cima. (Eles são apenas um nível 1 / 4-1 / 2)
  • O difícil é manter a agulha do ponteiro nesta posição fundamental de tensão enquanto o movimento executando.

 

Objetivo: Este exercício fortalece e sensibiliza os músculos do assoalho pélvico.