Browsing Category

Saúde

barriga
Gestação, Saúde

Tamanho da barriga é documento?

“A barriga da minha vizinha estava o dobro da sua e…”

“Ah mas tem certeza que não são gêmeos?”

“Tá tão pequenininha, certeza que o bebê está saudável?”

“Não nasce hoje não, está super alta!!”
200w_d (1)

É impressionante a quantidade de pessoas especialistas em avaliação de barriga de gestante, tudo obviamente com embasamento cientifico vindo “da filha, da amiga da vizinha da prima da minha conhecida”

Acontece que o tamanho da barriga da mãe não é sinal de saúde ou falta dela, isso porque pode variar muito de mulher para mulher e também de acordo com as posições  do bebê no útero.

Grande ou Pequena?

Tamanho não é documento MESMO quado se trata de barrigas de gestantes. Fatores como obesidade, musculação, diabetes gestacional, pressão alta e alterações na tireoide interferem muito no físico materno. Normalmente gestantes na segunda gravidez e que não costumam exercitar os musculos abdominais tem uma distensão maior da barriga e ela parece muito maior logo nas primeiras semanas. Isso porque os músculos não estão fortes o suficiente para oferecer sustentação para o peso extra que está recebendo.

O que garante a saúde e bom desenvolvimento do bebê é o pré-natal bem feito e boa alimentação materna, nada de excessos , nem de exercícios, descanso ou alimentação.

 

Alta ou baixa?

A altura do bebê no útero é uma das coisas muito observadas. É isso que vai deixar visualmente a barriga mais alta (mais próxima às mamas) ou mais baixa (você consegue apoiar a mão entre as mamas e a barriga). Mesmo assim fora de trabalho de parto não exite motivo para comemorar ou ficar triste com uma barriga “alta ou baixa”.  Essa posição pode se manter por dias ou semanas, ou até mesmo mudar em questão de horas com o inicio do trabalho de parto ativo.

 

Pode uma mãe com barriga super alta ter um parto muito rápido.

Pode uma mãe com a barriga super baixa ter um parto muito lento.

Pode uma mãe com barriga pequena ter um bebê de mais de três quilos

Pode uma mãe com barriga grande ter um bebê de pouco mais de dois quilos.

 

Mulheres: Confiem nos seus instintos, pesquisem, estudem para se sentirem mais seguras e exercitem-se respeitando seus limites.

Palpiteiros de plantão: deixem as barrigas alheias em paz

pressão
Gestação, Saúde

Por que essa dor nos quadris?

No terceiro trimestre, mais ou menos a partir da 30 semana de gestação, a famosa “pressão na pelve” aparece com força total, dificilmente vamos encontrar alguma mãe que não reclame de dor nos quadris. Muitas mulheres se queixam também de agulhadas na vagina e a sensação contante que “alguma coisa está forçando para baixo”.

Vão podemos esquecer das caibras, inflamações no nervo ciático e em muitas mulheres surgem também as hemorroidas.

giphy (2)

Mas não se desespere, vamos primeiro entender porque isso acontece?

O peso do bebê aumenta muito nesse final e exige mais de músculos, coluna e sistema circulatório da mãe.
É nessa fase que o bebê costuma virar de cabeça para baixo e se ajeita na posição ideal para o nascimento, o que é um ÓTIMO sinal, mas força naturalmente a abertura dos ossos da bacia com a cabeça e com o peso que cresce muito semana a semana.
Seu corpo produz hormônios que tornam os ligamentos mais flexíveis, ou seja, ajuda ainda mais a bacia a se  abrir

 

Para aliviar esses desconfortos invista em:

  • Massagens relaxantes
  • Alongamentos diários
  • Yoga ou Pilates
  • Caminhadas leves
  • Bolsas de água quente nas regiões mais doloridas
  • Prestar sempre atenção na sua postura, postura errada mais sobrepeso do bebê pode forçar articulações e provocar inflamações.

 

Não precisa se preocupar ou achar que a criança vai nascer super rápido por conta dessa sensação constante de pressão.  O trabalho de parto normal é normalmente lento para que ocorra bem, como o desabrochar de uma rosa, e só acontece com contrações a cada 3 minutos e com um minuto de duração cada uma*. Sem contrações- sem nascimento

 

 

 

*Na grande maioria das gestações a fase ativa do trabalho de parto se dá com esse período de intervalo e frequencia. 

ultrassom
Gestação, Saúde

Ultrassom, para que?

É delicioso ver nosso bebê, bracinhos e perninhas pulantes dentro da gente, mas o ultrassom não é uma necessidade mensal. O recomendado em gestações de baixo risco é no máximo 3 ultras. Um em cada trimestre. O Ministério da Saúde preconiza a realização de apenas 2 durante toda a gestação.

Como e quais são?


Ultrassom Obstétrico: A gente só vê peso do bebê, tamanho, quantidade de líquido e placenta.
Ultrassom Morfológico: É o exame que a gente consegue ver as estruturas do bebê por dentro detalhadamente e observar má formações.
Ultrassom com Doppler: Observa-se tamanho dos ossos e funcionamento de coração, placenta e veias.


Quando são feitos


Normalmente entre 4-8 semanas: Ultrassom Obstétrico Transvaginal, é o primeiro exame feito e identifica a idade gestacional através de observação do desenvolvimento de bolsa embrionária, coraçãozinho e peso. Vai ser a primeira vez que você vai ouvir o tum tum do coraçãozinho.

Entre 11 e 14 semanas: Ultrassom Morfológico, principal ultrassom de toda gestação, é o primeiro exame de desenvolvimento do bebê. Pode ser realizado a translucência nucal (ou TN), medida realizada na região da nuca do feto. Esta medida ajuda a estimar o risco do feto ter algumas doenças, entre elas a Síndrome de Down e as cardiopatias congênitas.

Entre 18 e 24 semanas: Ultrassom Morfológico, neste exame será avaliada a formação e o desenvolvimento dos órgãos e das estruturas do bebê, sendo possível observar o crânio, as estruturas do cérebro, a coluna, a face, o coração, o estomago, os rins, o fígado, a bexiga, a genitália externa, os braços , as mãos, as pernas e os pés. A confirmação do sexo do bebê normalmente acontece aqui :)

Entre 26 e 28 semanas: Ultrassom com doppler é o ultra mais esperado pelas mães e pais. No exame é possível medir as estruturas ósseas e orgãos do bebê, avaliar seu desenvolvimento, observar o fluxo sanguíneo e funcionamento de placenta e coração.

Apoio nas informações da Dra Natália Carvalho

Leite Materno
Amamentação, Saúde

Nosso TOP 10 curiosidades sobre o LM

“GOT MILK” foi uma campanha norte americana que literalmente estimulava o consumo de leite com celebridades das telonas ostentando um lindo bigodinho branco.

o-gotmilk-facebookE é nessa linha divertida e saudável que vou falar hoje sobre o Leite Materno e algumas maravilhas curiosidades.

(Para não ficar repetitivo aqui, vou usar a sigla LM para leite materno, ok?)

 

 

  1. A OMS recomenda que até os 6 meses de idade o bebê consuma LM exclusivamente e que continue a consumir até pelo menos os dois anos de idade
  2. Você pode utilizar o LM para cicatrizar assaduras, depois de lavar o bumbum do bebê com água e sabão passe algodão embebido em LM nas partes vermelhas e deixe sem fralda por alguns instantes Tira com a mão todo vermelhão
  3. Sabe aquela conjuntivite chata que a maioria dos bebês tem quando nascem? Algodão com LM nela, sempre passar do sentido das têmporas até o nariz e não utilizar o mesmo algodão para os dois olhos
  4. SEDE, sim melhor forma de bebês matarem sua sede é com o leite anterior (o primeiro que sai) que costuma ser rico em líquidos e nutrientes mas com baixa concentração de gordura
  5. Engorda, depois do primeiro leite que mata a sede, o corpo produz o leite Posterior, rico em gorduras e maravilhoso para auxiliar no ganho de peso do bebê. Você pode inclusive ordenhar um pouco a mama para descartar o primeiro leite e oferecer o peito em seguida.
  6. Melhor remédio do mundo, é beijo de mãe seguido de LM. Quando a mãe beija o bebê absorve também vírus e bactérias presentes, isso faz com que seu corpo produza anticorpos específicos que PASSAM DIRETO PARA O LEITE e fazem o bebê sarar rapidinho . Mães são farmácias ambulantes.
  7. Mães adotivas e até avós são capazes de produzir LM, através do auxílio de uma sondinha e um copo com leite, processo conhecido também como Relactação através de sonda.
  8. O Colostro, primeiro leite que sai após o parto, é riquíssimo em anticorpos e essencial para a saúde do recém nascido que tem seu sistema imunológico completamente em branco.
  9. Apojatura , ou descida do leite, pode acontecer até 7 dias depois do parto.
  10. Quanto mais o bebê mamar, mais o peito vai produzir leite (isso vale para qualquer tipo de retirada do LM)

1393264132000-xxx-do-people-laramilk-17-got-milk

Incrível, não é? E tudo isso sendo produzido no nosso corpo gratuitamente e na melhor qualidade. Não tem complemento no mundo que supere o Leite Materno.

 

Se você quer ler muito mais sobre indico o GVA (Grupo Virtual de Amamentação) Blog incrível que aborda a amamentação com embasamento cientifico e muita empatia.

depressão gestacional, puerpério
Gestação, Maternagem, Puerpério, Saúde

Depressão e Maternidade – Vamos falar sobre isso?

Engravidar, no consenso geral, é sinônimo de alegria.

Ah que bonito!

Uma nova vida sendo gerada, uma família que está crescendo.

Acontece que junto com esse novo ser, cheio de fragilidade e amor, vem uma série de mudanças intensas na vida de todos os diretamente envolvidos. Principalmente na vida dessa mulher que no decorrer de 9 meses deixará de ser filha para se tornar mãe e plenamente responsável por outra vida além da sua.

Sentimentos como ansiedade, angustia, insegurança, medo, solidão, parecem não fazer parte do vocabulário aceitável da gestante para os outros meros mortais.

Não podemos senti-los?

Podemos sim! Podemos muito e deveríamos poder falar sobre esses sentimentos abertamente.

Infelizmente são poucos os ambientes que vão acolher sem julgamentos, mas o erro é deles, não nosso.

No pós parto, com noites seguidas mal dormidas, alterações corporais e hormonais a avalanche de sentimentos pode se tronar ainda mais intensa e densa.

Vamos ser honestas? Parece que parte da gente morreu, morreu e se perdeu. Agora dentro da gente (daquela barriga ainda grande e oca) vive um luto, embebido em lágrimas e leite.

E tudo bem. Ninguém é monstro por isso ou uma péssima mãe.

Aqui o que salvou de me afogar dentro de mim mesma e do monte de expectativas e cobranças que colocaram e coloquei sob mim e a maternagem no geral foi falar.

   1- Primeiro parei de mentir para meu médico, dizendo que estava tudo bem

“Olha Dr, tá HORRÍVEL, mas ta ruim MESMO. Eu estou com medo, acho que não vou dar conta, estou comendo compulsivamente e todos os dias eu choro pelo menos por uma hora. Me odeio por sentir assim e sei que faço mal a minha bebê estar assim, não aguento mais”

2- Depois falei para meus amigos (Aliás foram meus amores, me acolheram de uma forma que ainda hoje meus olhos ficam marejados)

“Não to bem gente, não quero sair para balada com vocês mas me sinto só. Será que rola fazer coisas em casa como “esquenta” e dai vocês saem?”

 3-Abri a real para minha família

“TudoQueVocêPodeImaginar e muitas muitas lágrimas”

 4- Encontrei um terapeuta para chamar de meu

Mesmo que todos ao meu redor aparentemente tenham me entendido, não eram pessoas imparciais, que poderia falar o que eu sinto sem medo de ferir os sentimentos deles ou ser julgada. Eu precisava disso, precisava por para fora e as sessões de terapia foram maravilhosas para minha saúde física e emocional.

 5- Entendi e aceitei  

  • Que a gestação e maternagem não é comercial de margarina.
  • Tudo bem chorar, minha filha não seria infeliz por isso, só ia saber que a mãe dela é humana
  • Que meu empoderamento teria que ser para tudo na minha vida, porque eu mesma era minha maior força
  • Ficar de pijama por dias seguidos, tudo bem, mas banho e escovar os dentes é fundamental
  • Estava passando por uma fase dura como nenhuma outra que já tinha vivido até então, mas muitas outras mulheres também passaram pela mesma fase e conseguiram seguir em frente, tinha fim! A minha também teria.

 

Bem, esse foi daqueles textos doloridinhos para sair… mas que aqui me aliviou a alma, mais uma vez, falar sobre isso. Espero que minhas palavras tenham chego ai em forma de abraços demorados e um sincero “estamos juntas”. Depressão gestacional, Baby Blues, Depressão pós parto, fazem parte do pacote, mas nunca deveriam ser enfrentados sem apoio.

 

 

 

 


 

Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. Têm se a estimativa que no Brasil todos os dias em média 35 pessoas cometam suicídio todos os dias, o que o torna mais letal do que o Câncer e a Aids no nosso pais. 9 a cada 10 suicídios poderiam ser evitados, com conversas francas e apoio de profissionais qualificados.

Fonte: http://www.setembroamarelo.org.br/


 

Contrações fora do tempo
Gestação, Saúde, Sinal de Trabalho de Parto

Contrações antes dos 9 meses: Sinais de Alerta

Contrações doloridas e contínuas. É tudo o que esperamos sentir como trabalho de parto, mas quando acontecem antes do nono mês pode ser um sinal  de que algo não está bem.

Se você que me lê estiver grávida, já deve ter percebido que parece ter ficado doente com mais frequência por esses tempos, pequenos resfriados, sangramento da gengiva ao escovar os dentes ou até mesmo o aparecimento de espinhas pelo corpo. Certo?

Isso acontece porque para a gestação evoluir bem o nosso sistema imunológico precisa ficar mais “fraco” para não entender o feto como um corpo estranho e expulsá-lo.

Ainda assim,  ele continua trabalhando e dá sinais de alerta se algo não está bem.  Dificilmente é um só, então antes de se angustiar observe com calma o que e como se sente. Diários de gestação podem ajudar bastante a conhecer o próprio corpo e identificar o que é normal, o que é novo devido a gestação e o que é um sinal de alerta.

 

Pode ser apenas Infecção Urinária

 

Possíveis sintomas

  • Ardência ao fazer xixi
  • Aumento de frequencia das idas ao banheiro
  • Febre
  • Dor na lombar
  • Barriga fica dura e dói (contrações)
  • Nauseas
  • Calafrios
  • Sangue na urina

O processo infeccioso é provocado por bactérias  e estimula a ação do sistema imunológico, que reage combatendo todo corpo estranho, inclusive o bebê e tenta expulsá-lo.

Muito comum em gestantes, a IU muitas vezes começam quietinhas, quase sem sintoma nenhuma aparente. A mulher pode não sentir dor nenhuma ao urinar, não vai estranhar fazer mais xixi por conta da gestação e acaba que apenas vai buscar identificar e tratar quando as contrações aparecem. Esse momento pode ser assustador.

É importante identificar e tratar rapidamente para evitar a possibilidade de parto pre-maturo. Ao sinal de contrações com DOR procure sempre um médico ou unidade de saúde mais próxima , você pode pedir para investigarem a possibilidade de infecção.

O tratamento é bem simples e feito com antibióticos que podem ser indicados para uso por até 14 dias ou em dose única dependendo do caso.

Como previnir

  • Usar calcinhas de algodão
  • Evitar roupas muito apertadas e quentes
  • Tomar bastante água
  • Não segurar muito o xixi 
  • Manter uma boa higiene pessoal
  • Se enxugar sempre “de frente para trás”

 

 

 

 

 

 

sexy
Gestação, Saúde, Sexo

Será que engravida?

Será????

3

Claro que não, nós nem fizemos sexo, só ficamos dando uns beijos mais quentes sem roupa…

Olha, acho que não, ele tirou na hora de gozar

Uso pilula há um tempão e acabei de trocar por uma marca ainda melhor

Minha amiga disse, que se depois do sexo a gente se lavar por dentro com o chuveirinho não tem erro…

Imagina! Eu tomo pílula, ok, as vezes me esqueço, mas normalmente assim que eu lembro tomo, as vezes de manhã, as vezes à noite…

Eu só faço sexo sem camisinha quando estou menstruada.

Tenho endometriose

Continuo amamentando em livre demanda…

Sou obesa….

Acontece que,  em todas essas situações acima é sim possível que ocorra uma gravidez.

4

O ciclo de cada mulher (dias de sangrar, dias de preparo do útero para receber o embrião, dias férteis e fase lútea) pode ser muito diferente em duração para cada uma, outro motivo que até a boa e velha tabelinha pode nos trair.

Se você está me lendo e pensando “ha ha ha mas esses casos são raros”  posso deixar sua risada menos gostosa.  50% das gestações não planejadas acontecem com o uso de um – único-método anticoncepcional. (dados IPEA)

1

É recomendado sempre o uso de duas formas de proteção simultânea, já que nenhuma delas tem 100% de eficácia.

Camisinha + Pílula

Camisinha + Diu

Camisinha + Adesivo anticoncepcional

Camisinha + Injeção anticoncepcional

6

Sexo é bom. Sexo é MUITO bom. Se existe algo nesse mundo que pode ser chamado de BOM pra caramba, é sexo bem feito e com segurança.  Se você não pretende ser mãe por enquanto e evitar diferentes formas de DST, sexo sem camisinha não é uma opção.

Por mais que ele te ame

Por mais que ele jure que “não pega nada”

Por mais que seja “só um pouquinho”

Por mais que você tenha certeza que ele saia só com você

Por mais que você não duvide da saúde impecável dele e sua

Por mais que vocês dois estejam morrendo de vontade


5

SE ame mais do que qualquer argumento. 

Filhos são verdadeiros presentes, mas são presentes que mudam nossa rotina, mudam nosso corpo, mudam nossas responsabilidades, mudam nossa disposição, mudam nosso círculos de amigos, mudam nossa rotina. Maternagem é coisa linda e séria, deveria ser algo escolhido de forma consciente. Escolha ser mãe, ou não o ser. ES-CO-LHA