Browsing Category

Tentantes

INFERTILIDADE1
Empoderamento, Tentantes

É preciso encarar: Infertilidade

Mesmo depois de 6 meses, as tão esperadas duas listras no exame de farmácia não apareceram, em contrapartida o desejo de ser mãe apenas se tornou maior a cada ciclo.

Ter filhos de uma forma planejada é uma decisão do casal, mas dificilmente alguém imagina que possa demorar mais que seis meses para o sonho se concretizar.

Não é uma realidade fácil de ser encarada, é preciso coragem para encarar depois de exames clínicos o diagnóstico: A Infertilidade é real.

Lidar com a infertilidade é inicialmente doloroso para muitas mulheres, que se sentem excluídas da grande maioria, porém não é um diagnóstico sem solução.

Nasce então o Casal Tentante

O sistema reprodutor humano é cíclico, ou seja, todo mês apresenta os mesmos sinais e terá desfechos diferentes se você souber ler o que eles significam. O Empoderamento é essencial. Conhecer seu corpo e seu ciclo melhor que qualquer um te dará parâmetros para discutir o melhor tratamento com seu médico, de forma individualizada e responsável.

Exames clínicos da mulher e do parceiro são importantes e recomendados após um ano de tentativas de gestação ou seis meses caso a mulher tenha mais de trinta e cinco anos de idade.

A Infertilidade é do casal, nunca uma questão isolada e pode existir de forma assintomática muitas vezes.

Questão de bom senso, nunca, jamais, em tempo algum fale para tentantes:  “Quando você desencanar vai engravidar” /”Deus sabe o que faz”/”Cada coisa tem seu tempo”/”Quanto mais preocupada com isso mais vai demorar para engravidar”

Nada disso é verdade, não é culpa da ansiedade, castigo divino, olho gordo ou qualquer coisa do gênero.

Abrir os braços para a maternidade é abrir mão de pesos que não lhe cabem, culpas que não são suas.

A dificuldade em gestar pode vir entre outras de síndrome de ovários policísticos, endometriose, número baixo de esperma do parceiro…

Vencer cada um desses obstáculos, exige do casal confiança, paciência e perseverança. Como manter a calma quando “todo mundo engravida menos a gente?”  Não é culpa de ninguém a dificuldade, mas vocês tem nas mãos responsabilidade de fazer algo a respeito.

 

O Seu corpo é sua melhor Referência

Em paralelo aos exames clínicos você pode acompanhar através da observação como seu corpo funciona e reage a cada fase ( Ovulação, Nidação, Fase Lútea, Descamação). Em outras palavras – você pode armar-se com informações e evitar alguns testes caro e demorados.

“O ciclo de 28 dias e no dia 14 a ovulação é, provavelmente, o maior mito da feminilidade. Isso é um exemplo de “relógio” e simplesmente não é verdade para todas as mulheres. Na verdade, você pode ter um ciclo de 28 dias e ainda não ovular no dia 14. E como aprendemos – o óvulo só é viável por cerca de 24 horas. Se você perder o óvulo, você perdeu – e pensar que você ovula no dia 14 quando você ovula mais cedo ou mais tarde pode significar que você perca o óvulo de novo e de novo.”

Essas são algumas formas de auto-observação que tabeladas tornam a análise de caso muito mais acertiva, você terá argumentos , além de direcionar os melhores períodos para investir em tentativas, não assustar com pequenos atrasos e comemorar o positivo com segurança.

  • Produção de muco cervical
  • Acompanhamento de temperatura basal,
  • Toque de colo do útero,
  • Teste de saliva,
  • Teste de Ovulação

Receitas mágicas da vovó

Evidencias cientificas: São as únicas orientações reais que podem ser seguidas por qualquer mulher. Remédios, águas, chás, fitoterápicos, simpatias etc podem ser bons para uma mulher específica mas fazer muito mal para outra. Nunca siga orientações de ingestão de itens milagrosos que não venham de especialistas que conheçam e acompanhem o seu quadro em particular.

Agora, variações de posições para relação sexual, são sempre bem vindas e divertidas. Não existe evidências que comprovem eficácia, mas também nenhuma que indique qualquer forma de risco para o casal.

A Escolha do Médico/Clínica

É fundamental o acompanhamento de equipe especializada em casos de infertilidade, não basta ser G.O.

Saiba de cara se o médico que escolheu é realmente bom em 7 perguntas simples:

 

1- Incentiva a investigação antes de recorrer à medicação?

(se a resposta for sim, OK)

(se a resposta for não,  vá embora)

2- Faz acompanhamento com ultrassom (ultra seriada) para identificar a ovulação?

(se a resposta for sim, OK)

(se a resposta for não,  vá embora)

3- Está atualizado através de pesquisas científicas das formas de monitoramento/acompanhamento?

(se a resposta for sim, OK)

(se a resposta for não,  vá embora)

4- Só acha necessário fazer exames na mulher? (Não pode esquecer de investigar a outra parte que também é fundamental para que no final tudo dê certo. Homem tem que fazer espermograma!)

(se a resposta for sim, vá embora)

(se a resposta for não,  OK)

5- Explica de forma clara e coerente a situação, riscos e possibilidades, sem terrorismo.

(se a resposta for sim, OK)

(se a resposta for não,  vá embora)

6- Diz para relaxar e que mulher ansiosa não engravida

(se a resposta for sim, vá embora)

(se a resposta for não,  OK)

7-Se monitora o ciclo mesmo que a US seja feita com outro profissional ( no caso se precisar de pgt e estrogênio)

(se a resposta for sim, OK)

(se a resposta for não,  vá embora)

 

Leituras Recomendadas 

* The Mother Magazine {O que oferece pais ao redor mundo!}

* Testando, testando, 1-2-3 {Uma jornada através da infertilidade}

* Carta de uma mãe para seu bebê não nascido {Parte 1; História do nascimento a seguir}

* “A infertilidade é um bicho engraçado.” | Pensamentos sobre a infertilidade, perda, Gravidez e Maternidade

* O que eu aprendi {Cura de Trauma com Nascimento e Maternidade}

Texto desenvolvido com auxílio do grupo “Tentantes Empoderadas”