Períneo

Ihhh escapou!

Bem, lá vou eu falar sobre mim, para iniciar um texto… mas não vejo outra forma de dar esse ponta pé inicial.

Engravidei, engordei mais de 30kg, pari, não tive laceração (uhú períneo integro!) e depois de dois anos cheguei a 66kg, meu menor peso em uns 7 anos acho.

Músculos que compõem o chamado "oito do assoalho pélvico"

Músculos que compõem o chamado “oito do assoalho pélvico”

Mas, junto com os ossos, outras coisas apareceram. Volta e meia fazia xixi na calça. Tossir era tenso, na primeira vontadezinha de xixi tinha que sair correndo para o banheiro.

Gente, sou mulher, tenho quase 30 anos… quando literalmente molhei minha calça jeans queria sentar e chorar igual criança, de vergonha, desespero…

Passado o dramalhão, fui pesquisar sobre, busquei ajuda profissional porque jurava que o problema era seríssimo e irreversível.

Estava errada.

Incontinência (urinária e fecal) é muito mais comum do que imaginamos, mas por motivos óbvios pouco se fala sobre.

É uma questão de saúde, tanto para homens quanto mulheres.

A eliminação da urina é controlada pelo sistema nervoso autônomo, mas pode ser comprometida nas seguintes situações:

* Comprometimento da musculatura dos esfíncteres ou do assoalho pélvico; ( ex : Episiotomia. Após feito o corte na vagina da mulher no momento do nascimento do bebê, é necessário reparar os danos à área. A Episiorrafia é a sutura da Episiotomia. É muito difícil estabelecer o tamanho normal de uma Episiorrafia, já que o tamanho da Episiotomia pode ser bastante variável.)

* Gravidez e parto;

Episiotomia (corte) e Episiorrafia (costura, pontos) no músculo perineal

Episiotomia (corte) e Episiorrafia (costura, pontos) no músculo perineal

* Tumores malignos e benignos;

* Doenças que comprimem a bexiga;

* Obesidade;

* Tosse crônica dos fumantes;

* Quadros pulmonares obstrutivos que geram pressão abdominal;

* Bexigas hiperativas que contraem independentemente da vontade do portador;

* Procedimentos cirúrgicos ou irradiação que lesem os nervos do esfíncter masculino.

*Constipação intestinal.

*Enfraquecimento muscular causado perda da enervação que ocorre com a idade (a partir de 40 anos)

No meu caso, acredito que o efeito sanfona forte aliado com a falta de exercícios específicos foram os determinantes para a temida Flacidez.

Os músculos do assoalho pélvico são os responsáveis pela sustentação da uretra, a vagina e o ânus, são também conhecidos como “músculos de Kegel”. Eles foram detalhados pela primeira vez pelo médico Arnold Kegel em 1948, um ginecologista que desenvolveu exercícios para corrigir a frouxidão vaginal sem cirurgia. A prática dos exercícios de Kegel ou Cinesioterapia previne e recupera o tônus muscular, é o fim da incontinência e *prolapsos, além de melhora significativa na vida sexual, há relatos de mulheres que após os exercícios sentiram orgasmos mais intensos e até que pela primeira vez os sentiram.

Eu particularmente, em um mês fazendo exercícios de Kegel já estava feliz da vida!

1-    Já nas duas primeiras semanas não tinha medo de tossir

2-    Com 3 semanas, podia sentir vontade de fazer xixi sem ter que correr imediatamente ao banheiro

3-    Na 4 semana fiz sexo…gente! Que diferença!!!! Prazer muito mais intenso, muito mais prazeroso!

 

Importante: Toda mulher a partir dos 18 anos de idade deve exercitar constantemente sua MAP (musculatura do Assoalho Pélvico) mesmo que apenas com os Exercícios de Kegel, para que possam ser prevenidos prolapsos genitais ou incontinências urinárias, bem como gestação e parto mais tranquilos e seguros.

 

Informações que vão mudar sua vida (ou não…)

Esqueleto da região do períneo, fechado pela musculatura  do assoalho pélvico (MAP). Esta abertura é o canal de parto

Esqueleto da região do períneo, fechado pela musculatura
do assoalho pélvico (MAP). Esta abertura é o canal de parto

 

1: Sete em cada dez mulheres não consegue contrair sua MAP (Musculatura do Assoalho Pélvico) Faça o teste clicando aqui

 

2: A MAP é responsável pela pressão intravaginal sentida tanto pela mulher quanto pelo parceiro durante o ato sexual. (Apenas os 3cm da entrada da vagina podem ser contraídos por vontade própria)

 

Os exercícios são bem simples e podem ser feitos em qualquer lugar, você pode recorrer a uma Doula e em casos mais severos um bom fisioterapeuta perineal é essencial.

Os exercícios são bons para:

  • Auxilia na recuperação pós parto.
  • Prepara a musculatura para o parto
  • Prepara o períneo para eventuais gravidezes futuras.
  • Previne a incontinência urinária.
  • Previne o prolapso genital (descida do útero, da vagina, da bexiga ou o reto).
  • Permite usufruir ao máximo a vida sexual.

*Prolapso é quando órgãos saem do seu lugar correto, devido a falta de sustentação muscular.

Gestantes podem preparar a MAP com Kegel, Massagens, Hidratação (com óleo de amêndoas ou de semente de uva), Yôga, Pilates e com o uso do Epi-no.

Aqui alguns exercícios 🙂 #1 #2 #3 #4

 

 

 

Fontes: http://www.perineo.info/wordpress/tratamentos/exercicio-de-kegel/

http://perineo.net/conteudo/kegel.php

http://www.perineo.info/wordpress/incontinencia/prolapso/

Adele http://adeledoula.blogspot.com.br/2012/02/massagem-perineal-exercicios-para-o.html

http://adeledoula.blogspot.com.br/2013/01/episiotomia-mutilacao-genital-brasileira.html

http://drauziovarella.com.br/entrevistas-2/incontinencia-fecal-2/

http://perineo.net/conteudo/massagem-perineal.php

Chá de Bebê
Previous Post Next Post

You Might Also Like

6 Comments

  • Reply Liris wuo 15 de Março de 2016 at 11:25

    Olá parabéns pelo seu blog

    Que história linda a sua

    Sou fisioterapeuta e trabalho com assoalho pélvico a 15 anos

    De cinco anos pra cá tenho enfatizado meu trabalho no cuidado pós parto e cada mulher que acompanho tem sido uma experiência fantástica

    Suas histórias seus relatos de parto
    A experiência do parto humanizado
    A participação da mulher como protagonista desse momento

    Nesses anos muitos dos conceitos do que é a fisioterapia na preparação e recuperação pós parto caíram por terra e outros conceitos novos foram sendo agregados

    Nos da área da saúde e qualquer mulher independente da formação tem o dever de orientar outras mulheres sobre as questões que afetam a sua saúde e qualidade de vida

    Em se tratando de assoalho pélvico, algumas questões são bem delicadas por que não existe infelizmente receita de bolo

    Antes eu orientava muito exercícios sem antes fazer uma avaliação

    Hoje percebo que o exercício sem uma avaliação adequada pode comprometer a saúde desses músculos bem como a vida sexual da mulher

    Ao longo dos anos tenho visto muito mais MAPs tensos do que necessariamente hipotonicos
    Além disso, alguns músculos podem apresentar deficiência de inervação, até mesmo por compressão nervosa por hérnia de disco

    Dai venho questionando sobre se estaríamos criando outros problemas se orientarmos exercícios de Kegel deliberadamente sem uma avaliação adequada

    É delicado quando falamos de saúde pública

    Da necessidade de orientar e informar as mulheres para empodera-las

    É sempre uma linha tênue

    Mas temos sempre que ressaltar a necessidade de uma avaliação completa e orientações adequadas de exercícios direcionadas para cada caso

    O fisioterapeuta pélvico é o profissional que trata dos problemas que afetam os MAP

    a orientação de exercícios deve ser direcionada para cada caso após uma avaliação de um profissional com essa formação

    Kegel teve sua exemplar contribuição, mas graças aos estudos e pesquisas vemos a necessidade de cuidar dos músculos da pelve como um todo tendo como objetivo reabilitar não só a sua força, mas devolver o seu equilíbrio e coordenação, aliados não somente aos problemas que afetam os MAP isoladamente mas as referências de alterações posturais e de exercícios e atividades físicas que podem também comprometer a função desses músculos

    • Reply Doula Sam 15 de Março de 2016 at 19:22

      Oi Liris!
      Concordo em número gênero e grau contigo, vou inclusive rever o texto para ver se pontuo o que disse, de forma clara.
      Infelizmente, não somos todas as que temos o acesso a profissionais aptos a cuidar do assoalho, eu mesma fiz “reabilitação” sem nenhum tipo de avaliação! Só fui saber muito depois como deveria realmente ter sido tratada!
      Muito obrigada pelo seu comentário, enriqueceu demais o post!
      Abraço grande

  • Reply Elisa 8 de junho de 2015 at 6:36

    Sam,
    moro na Alemanha e aqui o plano de saúde paga curso de ginástica pós-parto que é praticamente só de assoalho pélvico. As mulheres amam e eu nao fui diferente. Foram 8 aulas de 1h, uma por semana. Quem ministra os cursos sao normalmente obstetrizes.
    Eu sei que obstetrizes e fisioterapeutas também oferecem cursos e terapias individuais para mulheres com mais comprometimento (normalmente de mais idade).
    O que eu achei interessante é que no meu grupo de 10 alunas, das 3 alunas que mais se queixavam duas delas fizeram cesariana (a 3a tinha 3 filhos e era a única com mais de 40 anos). No grupo só tinha mais uma vinda de casariana. Enfim, a obstetriz afirmou várias vezes que o que compromete mesmo é a gravidez e deve ser isso mesmo.
    A obstetriz do curso sempre nos dizia para jamais fazer abdominais sem contrair o assoalho pélvico junto.
    Hoje em dia eu faco meu pilates (1 vez só na semana) pensando no assoalho pélvico e as vezes faco exercícios no carro. Nada de mais, mas faz uma diferenca enorme (casamento agradece!). Quem dera eu soubesse disso antes.
    Acho engracado que aqui recém-maes que mal se conhecem falam com uma naturalidade incrível sobre a situacao do seu assoalho pélvico e deixar de fazer o curso é totalmente out.
    No Brasil minhas amigas nem sabem o que é assoalho pélvico muito menos exercício para isso e mesmo quando eu explico elas acham que nao é importante, que eu só gostei porque tive parto normal. Pena que é assim.
    Li em algum lugar que 12h após o parto já é bom comecar a exercitar (espero lembrar disso no próximo filho).

    • Reply Doula Sam 8 de junho de 2015 at 8:38

      Imagina só que delícia quando tivermos isso por aqui! #SonharéPreciso
      Infelizmente, no Brasil, a mulher se tocar ainda é tabu, como esperar que conheçam sua MAP?

  • Reply Tassiane 4 de junho de 2015 at 19:29

    Adorei, realmente precisa ser falado sobre isso.
    muito obrigada por expor tua experiência.

    • Reply Doula Sam 6 de junho de 2015 at 13:48

      Obrigada Tassiane!
      Poxa, tanta gente passa ou já passou por isso e não fala por vergonha…
      Temos mesmo que falar, e assim ajudamos umas às outras, né não?
      Beijo grande

    Leave a Reply