Browsing Tag

Bebê prematuro

Gestação

Quando a gravidez acaba

Engravidar são duas alegrias, vamos ser bem sinceras, uma quando acontece e a segunda quando pegamos o bebê todo lindo e quentinho nos nossos braços.

Ok, ok, grávidas são lindas, a gestação é um momento único, muito amor envolvido etc e tal. Mas chega a trigésima semana de gestação a gente já não vê mais a hora dessa criança abençoada nascer e a gente voltar a usar todas as roupas de antes de engravidar botar a cara no mundo.

Ter filhos é legal, estar grávida “pra sempre” não é tanto não.

Que mulher nesse mundo não olhou na net aquele colchão inflável com um circulo vazado no centro e pensou “Preciso!” baseada 100% no prazer de dormir de bruços?

Verdade seja dita, as ultimas semanas são uma série de desconfortos físicos, como crocância de todo o esqueleto, inchaços, falta de ar, bebê pelo amor de Deus saia de baixo da minha costela, com uma pitada de ansiedade nossa e uma enorme de todos os parentes, amigos, vizinhos e porque não, desconhecidos também.

Afinal, quando esse bebê vai nascer?

Quando a gente escolhe o parto normal, praticamente rí das reações das pessoas à essa resposta

“Olha, a previsão é dia 10 de novembro, mas pode nascer a qualquer momento entre 20 de outubro e 20 de Novembro… Sim, eu sei que hoje é dia 25 de outubro… não, não precisa! Juro que estou bem, não precisa me levar pra casa não…”

Nos tornamos verdadeiras “bombas” prestes a explodir. Bem… pelo menos somos vistas assim.

Acontece que, a partir das 37 semanas de gestação o bebê realmente já pode estar pronto e nascer, o intervalo de normalidade vai até 42 semanas de gestação.

Q-U-A-R-E-N-T-A    E     D-U-A-S

O que a maioria dos médicos nos passam durante o pre natal é a nossa DPP, data improvável do parto, que é uma data onde o bebê tem maires chances de nascer. Chances, tá?

Até porque se a gestante teve uma ovulação tardia por ex isso não será contabilizado, não vamos nem saber. Então o bebê que nas nossas contas tem 40 semanas tem na verdade 38 semanas de gestação.

Pareceu confuso?

Vou mostrar então em gráficos quais as chances do seu bebê nascer em cada semana

Quando o parto acontece

Quando o parto acontece

Agora facilitou, não é?

Perceba que mais de 50% dos bebês nascem entre 39 e 40 semanas (40 semanas e 6 dias ainda são “quarenta semanas”) e os demais tem uma porcentagem pequena.

Inclusive os nascimentos depois das 41 semanas.

Por isso vale a pena já na 37 semana de gestação termos definido:

  • Local de parto
  • Equipe clínica que vai te assistir/acompanhar
  • Doula
  • “Mala de maternidade” pronta, inclusive se o parto for domiciliar

Caso a sua família, seja meio ansiosa e essa coisa de “não ter data” possa causar um climão ruim com os parentes no almoço de domingo, dica de amigona, fale para todos que a sua data para o bebê nascer é a limite estabelecida por você e sua equipe.

Sim, vocês podem e devem conversar sobre isso. Até quantas semanas você está afim de aguardar que o parto normal se inicie sozinho?

Tem muitas mulheres que tem as 41 semanas como limite pessoal e a partir daí optam por induções, que são aliás uma alternativa bem bacana nesse período gestacional.

Ser mãe é um aprendizado gigante, começamos assim, aprendendo a esperar nossos pequenos estarem prontos pra vida no mundão aqui fora, e é só o começo.

 

 

Fontes: Induction of labour in women with normal pregnancies at or beyond term (http://www.cochrane.org/CD004945/PREG_induction-of-labour-in-women-with-normal-pregnancies-at-or-beyond-term)

Duração da Gestação (http://www.partolandia.com.br/single-post/2014/11/04/ESTAT%C3%8DSTICAS-Dura%C3%A7%C3%A3o-da-gesta%C3%A7%C3%A3o)

Estudando a gravidez prolongada (http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/estudando-gravidez-prolongada.html)

Gestação, Saúde, Sinal de Trabalho de Parto

Contrações antes dos 9 meses: Sinais de Alerta

Contrações doloridas e contínuas. É tudo o que esperamos sentir como trabalho de parto, mas quando acontecem antes do nono mês pode ser um sinal  de que algo não está bem.

Se você que me lê estiver grávida, já deve ter percebido que parece ter ficado doente com mais frequência por esses tempos, pequenos resfriados, sangramento da gengiva ao escovar os dentes ou até mesmo o aparecimento de espinhas pelo corpo. Certo?

Isso acontece porque para a gestação evoluir bem o nosso sistema imunológico precisa ficar mais “fraco” para não entender o feto como um corpo estranho e expulsá-lo.

Ainda assim,  ele continua trabalhando e dá sinais de alerta se algo não está bem.  Dificilmente é um só, então antes de se angustiar observe com calma o que e como se sente. Diários de gestação podem ajudar bastante a conhecer o próprio corpo e identificar o que é normal, o que é novo devido a gestação e o que é um sinal de alerta.

 

Pode ser apenas Infecção Urinária

 

Possíveis sintomas

  • Ardência ao fazer xixi
  • Aumento de frequencia das idas ao banheiro
  • Febre
  • Dor na lombar
  • Barriga fica dura e dói (contrações)
  • Nauseas
  • Calafrios
  • Sangue na urina

O processo infeccioso é provocado por bactérias  e estimula a ação do sistema imunológico, que reage combatendo todo corpo estranho, inclusive o bebê e tenta expulsá-lo.

Muito comum em gestantes, a IU muitas vezes começam quietinhas, quase sem sintoma nenhuma aparente. A mulher pode não sentir dor nenhuma ao urinar, não vai estranhar fazer mais xixi por conta da gestação e acaba que apenas vai buscar identificar e tratar quando as contrações aparecem. Esse momento pode ser assustador.

É importante identificar e tratar rapidamente para evitar a possibilidade de parto pre-maturo. Ao sinal de contrações com DOR procure sempre um médico ou unidade de saúde mais próxima , você pode pedir para investigarem a possibilidade de infecção.

O tratamento é bem simples e feito com antibióticos que podem ser indicados para uso por até 14 dias ou em dose única dependendo do caso.

Como previnir

  • Usar calcinhas de algodão
  • Evitar roupas muito apertadas e quentes
  • Tomar bastante água
  • Não segurar muito o xixi 
  • Manter uma boa higiene pessoal
  • Se enxugar sempre “de frente para trás”