Browsing Tag

FIV

Empoderamento, Tentantes

É preciso encarar: Infertilidade

Mesmo depois de 6 meses, as tão esperadas duas listras no exame de farmácia não apareceram, em contrapartida o desejo de ser mãe apenas se tornou maior a cada ciclo.

Ter filhos de uma forma planejada é uma decisão do casal, mas dificilmente alguém imagina que possa demorar mais que seis meses para o sonho se concretizar.

Não é uma realidade fácil de ser encarada, é preciso coragem para encarar depois de exames clínicos o diagnóstico: A Infertilidade é real.

Lidar com a infertilidade é inicialmente doloroso para muitas mulheres, que se sentem excluídas da grande maioria, porém não é um diagnóstico sem solução.

Nasce então o Casal Tentante

O sistema reprodutor humano é cíclico, ou seja, todo mês apresenta os mesmos sinais e terá desfechos diferentes se você souber ler o que eles significam. O Empoderamento é essencial. Conhecer seu corpo e seu ciclo melhor que qualquer um te dará parâmetros para discutir o melhor tratamento com seu médico, de forma individualizada e responsável.

Exames clínicos da mulher e do parceiro são importantes e recomendados após um ano de tentativas de gestação ou seis meses caso a mulher tenha mais de trinta e cinco anos de idade.

A Infertilidade é do casal, nunca uma questão isolada e pode existir de forma assintomática muitas vezes.

Questão de bom senso, nunca, jamais, em tempo algum fale para tentantes:  “Quando você desencanar vai engravidar” /”Deus sabe o que faz”/”Cada coisa tem seu tempo”/”Quanto mais preocupada com isso mais vai demorar para engravidar”

Nada disso é verdade, não é culpa da ansiedade, castigo divino, olho gordo ou qualquer coisa do gênero.

Abrir os braços para a maternidade é abrir mão de pesos que não lhe cabem, culpas que não são suas.

A dificuldade em gestar pode vir entre outras de síndrome de ovários policísticos, endometriose, número baixo de esperma do parceiro…

Vencer cada um desses obstáculos, exige do casal confiança, paciência e perseverança. Como manter a calma quando “todo mundo engravida menos a gente?”  Não é culpa de ninguém a dificuldade, mas vocês tem nas mãos responsabilidade de fazer algo a respeito.

 

O Seu corpo é sua melhor Referência

Em paralelo aos exames clínicos você pode acompanhar através da observação como seu corpo funciona e reage a cada fase ( Ovulação, Nidação, Fase Lútea, Descamação). Em outras palavras – você pode armar-se com informações e evitar alguns testes caro e demorados.

“O ciclo de 28 dias e no dia 14 a ovulação é, provavelmente, o maior mito da feminilidade. Isso é um exemplo de “relógio” e simplesmente não é verdade para todas as mulheres. Na verdade, você pode ter um ciclo de 28 dias e ainda não ovular no dia 14. E como aprendemos – o óvulo só é viável por cerca de 24 horas. Se você perder o óvulo, você perdeu – e pensar que você ovula no dia 14 quando você ovula mais cedo ou mais tarde pode significar que você perca o óvulo de novo e de novo.”

Essas são algumas formas de auto-observação que tabeladas tornam a análise de caso muito mais acertiva, você terá argumentos , além de direcionar os melhores períodos para investir em tentativas, não assustar com pequenos atrasos e comemorar o positivo com segurança.

  • Produção de muco cervical
  • Acompanhamento de temperatura basal,
  • Toque de colo do útero,
  • Teste de saliva,
  • Teste de Ovulação

Receitas mágicas da vovó

Evidencias cientificas: São as únicas orientações reais que podem ser seguidas por qualquer mulher. Remédios, águas, chás, fitoterápicos, simpatias etc podem ser bons para uma mulher específica mas fazer muito mal para outra. Nunca siga orientações de ingestão de itens milagrosos que não venham de especialistas que conheçam e acompanhem o seu quadro em particular.

Agora, variações de posições para relação sexual, são sempre bem vindas e divertidas. Não existe evidências que comprovem eficácia, mas também nenhuma que indique qualquer forma de risco para o casal.

A Escolha do Médico/Clínica

É fundamental o acompanhamento de equipe especializada em casos de infertilidade, não basta ser G.O.

Saiba de cara se o médico que escolheu é realmente bom em 7 perguntas simples:

 

1- Incentiva a investigação antes de recorrer à medicação?

(se a resposta for sim, OK)

(se a resposta for não,  vá embora)

2- Faz acompanhamento com ultrassom (ultra seriada) para identificar a ovulação?

(se a resposta for sim, OK)

(se a resposta for não,  vá embora)

3- Está atualizado através de pesquisas científicas das formas de monitoramento/acompanhamento?

(se a resposta for sim, OK)

(se a resposta for não,  vá embora)

4- Só acha necessário fazer exames na mulher? (Não pode esquecer de investigar a outra parte que também é fundamental para que no final tudo dê certo. Homem tem que fazer espermograma!)

(se a resposta for sim, vá embora)

(se a resposta for não,  OK)

5- Explica de forma clara e coerente a situação, riscos e possibilidades, sem terrorismo.

(se a resposta for sim, OK)

(se a resposta for não,  vá embora)

6- Diz para relaxar e que mulher ansiosa não engravida

(se a resposta for sim, vá embora)

(se a resposta for não,  OK)

7-Se monitora o ciclo mesmo que a US seja feita com outro profissional ( no caso se precisar de pgt e estrogênio)

(se a resposta for sim, OK)

(se a resposta for não,  vá embora)

 

Leituras Recomendadas 

* The Mother Magazine {O que oferece pais ao redor mundo!}

* Testando, testando, 1-2-3 {Uma jornada através da infertilidade}

* Carta de uma mãe para seu bebê não nascido {Parte 1; História do nascimento a seguir}

* “A infertilidade é um bicho engraçado.” | Pensamentos sobre a infertilidade, perda, Gravidez e Maternidade

* O que eu aprendi {Cura de Trauma com Nascimento e Maternidade}

Texto desenvolvido com auxílio do grupo “Tentantes Empoderadas” 

 

Relato de Parto

Com 44 anos de idade e hipertensa -Parí !

Eu, Lucy Mara Nicoletti, 44 anos, hipertensa, com endometriose, fiquei grávida por FIV (Fecundação In Vitro) na sétima tentativa,  depois de já desenganada por alguns médicos sobre ser mãe, mas nunca pela promessa de Deus.

Essa promessa se fez e me fez passar por tudo sem desistir, desgaste físico, emocional e financeiro (na última tentativa tomei mais de quarenta injeções)

E se hoje eu estou aqui, com minha filha Luisa, podendo cuidar dela, nós duas com saúde perfeita, eu devo isso primeiro a Deus e a toda uma equipe de profissionais que me fizeram acreditar que seria possível.

Dia 24 de junho às 18h, numa quarta feira, eu estava no hospital Santa Lucinda dando entrada nos papeis da minha internação. Tinha completado as 40 semanas de gestação, fiquei nervosa de cara e minha pressão subiu…na hora de fazer o cardiotoco também.

Estava muito nervosa…pelo momento do “agora é pra valer”. Também porque estranhei os profissionais, que não eram os mesmos do meu pré- natal.

Dr Bráulio veio, me deu atenção, e medicação….era o que eu precisava…..além de um bom banho pra acalmar.

As 20:30 foi introduzido o 1 comprimido para induzir o trabalho de parto. Era necessário porque a pressão alta estava prejudicando o bebe e não podia esperar mais uma reação natural como estourar bolsa, contrações etc….40 semanas era o nosso limite. Estava tudo bem eu muito calma porque agora finamente eu ia relaxar. Estava ali pra parir e mais nada era só esperar e segundo o medico o parto  seria lá pelo dia 26,27 ou 28 (sexta, sábado ou domingo).

Cardiotoco das 2:00am tudo bem.. Luisa mexendo muito que bom!!!! Minha barriga tava ate torta!

Ás 3.00am meu 2 comprimido e dai eu ia dormir….estava sozinha pois tinha dispensado o Junior, meu marido, pra dormir num hotel já que a coisa ia demorar….só que não….kkkk

Logo às 3: 30 deu um estalo  lá dentro. Uma dor que nem exame de colo de útero….fui ao banheiro…um sanguinho….seria o tampão….?

Chamei o enfermeiro, ele não sabia! Ás 3:42 outra cólica…..3:47 outra…..ai pensei…seria a tal contração de 5 em 5 minutos??? Alerta!!!! Luisa está vindooooooo….!

Dr Bráulio me deu boa noite depois da 2.a indução, íamos todos dormir….mas…..todo mundo convocado pelo grupo de whats….minha ultima postagem às 4:09 sentia muito frio,muita dor, eu gritava!

Pressão 18/11… E adeus celular….Dr Bráulio chegou logo. Minha dilatação tinha ido de 0 a 8 em 40 minutos!!!! Pensava,” tenho endometriose minha dor é fora do normal…vai ter q ser cesária!!! Não vou aguentar essa dor ate sexta.” Kkk

Fomos para o centro cirúrgico, eu estava em trabalho de parto mesmo!!!! Não teria que esperar tanto….então me animei …

E quando eu dei por mim estava vivendo o sonho do parto natural. Na verdade foi um pesadelo…rs. Sim na hora foi assim que senti porque me pegou de surpresa. Foi muito rápido!

Não ouvia direito nada. Não pensava em nada…só sentia dor.

Meu esposo chegou e a presença dele foi muito tranquilizante. Mas não conseguia nem falar com ele…o top que levei pra por naquela hora nem lembrei …fui enfiando a camisola que me deram e saindo….a única coisa que consegui pensar foi “Não vai dar tempo da Andrea, nem da Samara, nem da Thais chegarem….que pena!!!!!”

E qual não foi minha alegria quando ouvi uma musica de fundo….a Thais veio!!! Ela ficou de selecionar minhas musicas pro parto! E a doula Samara e a Dra Andrea….minhas divas chegaram, sem menosprezar a presença do medico e do meu esposo, mas elas eram de muita importância completando o quadro do parto humanizado.

Não conseguia pegar na mão da Thais, minha sobrinha, estudante de medicina do 5 ano. A mãozinha dela parecia frágil quando eu apertava na hora da contração. Só a presença dela ali já me bastava.

Também  não conseguia pegar na mão da Andrea…pasmem….eu olhava pra ela e pensava….”foi você que me colocou nessa! Tão mais fácil cortar minha barriga e já estaria com minha filha nos braços!!” Então sobrou meu esposo e a doula pra eu apertar a mão na hora do grito da contração.

Siim a doula!!!

Sabe aqle profissional que você não conhece direito e acha que é desnecessário? Pois eh….a doula Samara me fez massagens, passou óleo, se colocou como apoio ao meu corpo, me deu força, ela aliviava minha dor!!!!! Apoio físico e emocional.

Meu esposo também foi forte …aguentou junto comigo, me deu a mão pra eu apertar e a roupa pra eu morder….quando eu apelava pra ver se ele tomava minhas dores ele me dizia palavras de alegria como ..”logo veremos nossa filha Lu”…”Você aguenta…você é forte”

Na hora até ficava brava por ele não me defender….no fundo eu queria que ele falasse “parem tudo…não estão vendo como ela está com dor?” Porque eu falava para ele, “Ju você não está entendendo, eu vou morrer!”  Mas ele já conhecia a esposa melindrosa e foi orientado pelos profissionais que eu ia chegar nesse ponto.

Ai minha doula querida….te vi só duas vezes… Mas só  você pra me amparar!! E assim foi….de aflição “ranquei” a camisola…fiquei peladona…não liguei pra mais nada…andei de um lado pra outro procurando uma posição, um  lugar pra parir naquela sala.

Todo tempo lembrava da minha cadela Nyla, me sentia como ela quando foi parir….mas ela não gritava…Eu sim gritava muitooooo.e essa energia liberada mais fazia a Luisa descer

….enfim….reta final….falei….”Vocês estão judiando de mim”

” Que você quer Lucy?” Perguntou Dr Bráulio….

“Eu quero aquela anestesia do final…não estou aguentando mais”.

” Se eu disser que você está no final? Que esse bebê vai nascer em mais poucas contrações? “

“Eu não consigo doutooooor”

“E se você disser “eu consigo”?”

“Tá bom…eu consigo!!!” – Ouvi um ehhhhh da equipe….e fui pra maca. E em poucas contrações Luisa nasceu!!!!

Eu já estava exausta, mas sem força nunca, o corpo é maravilhoso!!! Sem anestesia tive força pra ver minha filha nascendo naturalmente!!!! E meu  sorriso se abriu e…..e o paraíso chegou!!!

Saiu primeiro a cabeça da Luisa, ficou alí parada quietinha até a próxima contração quando saiu o corpinho todo. O médico pediu minha mão para sentir a cabeça dela, mas eu tive medo de colocar e ela voltar para trás (rs) foi aí que veioa ultima contração e Luisa chegou. Nunca vou me esquecer da vóz do meu marido “Nasceu amor”

E imediatamente ela já foi colocada em meus braços, e ué?! Cadê a dor??? Só senti mais uma contração para eliminar a placenta…nem sabia que isso aconteceria! Me senti meio índia, meio animal., mas muito mãe!!!!Muito guerreira! Vitoriosa!

Dra.Andreia já veio no meu peito estimular a amamentação, a  bebe já mamou em menos de 5 minutos de nascida!!!!

Que instinto lindo! Que maravilhoso!!! Junior cortou o cordão umbilical….Muitos Beijos, fotos, sorrisos….o premio do final era muito melhor do que eu imaginava!!! Talvez faltasse uma preparação melhor minha para aquele momento….assistir mais vídeos, compartilhar experiências….viver aquele momento com mais tranquilidade…transformar a dor em coisa boa, esperada….mas sei que procurei os profissionais quase no 9  mês e o o meu parto durou apenas 4hs!!!

Luisa chegou as 8.15 do dia 25 de junho de 2015. Havia uma torcida na data.. Meu cunhado fazia aniversario dia 24, meu sogro dia 26, minha sobrinha Thais e meu enteado dia 28…

Mas ela nasceu dia 25. o dia só dela.

Minha recuperação foi rápida, fui ao banheiro sozinha, apenas amparada pelo meu esposo , em 3hs, depois de 6 hs já tomei banho sozinha também,  sai do hospital com a minha filha no colo, andando, subindo escada, entrando no carro tranquilamente.

Meu agradecimento especial a Dra Andrea que me abriu o caminho nessa trilha, nesse caminho que me levou a esse prêmio compensador de tudo no final…LUISA, MINHA FILHA!, NASCIDA DE PARTO NORMAL !!! E O MELHOR, PARTO NORMAL E HUMANIZADO…

Amei minha equipe….meu esposo sempre comigo, Thais minha sobrinha, Dr Bráulio em sua magnânima competência e paciência, Samara Barth, minha doula querida. sem vocês toda emoção  que vivi no parto não seria possível….

Que experiência inesquecível, criou laços afetivos inesquecíveis!  Só vejo coraçõezinhos quando lembro de tudo, mesmo da dor….aliás essa sim é a única a ser esquecida nessa historia,  diante do poder do amor e da  vida !

 

Vem acompanhar também no facebook 🙂 https://www.facebook.com/casadadoula

Luisa Nasceu!