Browsing Tag

Orgulho

Empoderamento, Maternagem

Para mudar o mundo, é preciso se permitir ser

Oi! Tudo bem com você?

Escrevo hoje com ar de “Meu querido diário”, porque essa semana aconteceram muitas coisas por aqui.

Como você já deve imaginar, sou Doula e ativista.

Sou também mãe solteira de uma menina linda (rs) de 3 anos de idade.Sou filha de mãe que foi Pãe por anos a fio e sempre senti muito orgulho dela, hoje penso que ela carregou um peso que não era seu…

Taurina, daquelas que encasqueta com alguma coisa vai lá e faz acontecer, mesmo que precise bater a cabeça algumas várias vezes para aprender.

Escuto conselhos e argumentos, argumento/justifico imediatamente e em seguida digiro aos poucos todas as informações, depois de algum tempo aceito o que me é possível, o restante fica lá sendo assimilado.

Nunca fui mulher-perua (no melhor sentido do termo), gostava de uma roupa por ser confortável, não me mostrasse muito e não precisasse passar a ferro.

Maquiagem…rs em casa sempre fui a que menos usava. Lápis, rímel e batom, sempre me bastaram, uma vez na faculdade comprei um duo de sombras, rosa e marrom…rs

Mas quando se trata de trabalho, nunca medi esforços. Abraçava, me jogava mesmo!

Ficava sem almoçar, ficava até mais tarde, já tomei chuva, muita, já reprovei em uma matéria por não conseguir coordenar MEU tempo e tempo do meu trabalho.

Me tornei mãe e voltei para o interior onde mora minha família, fiquei um ano inteiro dedicada apenas a minha filha, não trabalhava fora, não saía passear sozinha… na verdade, hoje em dia fora meu trabalho, continuo vivendo apenas para a maternagem.

Quando me envolvi com a humanização do nascimento não foi muito diferente. Fundei o AGE, junto com a querida E.O. Giovana Fragoso e ele passou a ser meu coração. Era um trabalho voluntário que fazíamos na cidade, que demandava trabalho de verdade, organização de palestras, divulgação, captação de parcerias, desenvolvimento de Blog, Fanpage. Sei que mudei de emprego 3 vezes em um ano, se o emprego não me permitisse “ser AGE” eu saía…

Percebe que até aí, abracei, carreira, ativismo, maternagem e a mim nada? NADA!

Agora me vejo, com 30 anos, com poucos momentos que me faltam o ar de emoção descomprometida, toda trabalhada na flacidez e gordelícia.

É difícil, me olhar, me abraçar… queria uma Doula para mim, só que, né? Doula não empodera ninguém…tem que vir de dentro…

Defini a partir dessa semana, cuidar de mim. Entrar no tal do equilíbrio corpo/coração, aceitação… palavra bonita.

Talvez o que eu lute aqui seja o aceitar que SOU MERECEDORA

De ter um tempo para cuidar do meu corpo

De ter meu quarto da forma mais linda que ele puder ser

De unhas feitas com carinho toda semana

De gastar um tempo no espelho com uma maquiagem delicada

“Para mudar o mundo, é preciso antes mudar a forma de nascer” afirma Michel Odent, humildemente complemento, “Para mudar o mundo, é preciso antes renascer e se permitir ser”.

 

Se me leu até aqui, minha gratidão 🙂 É difícil se achar por aí também? Como tem feito para se encontrar nesse turbilhão que é a vida?

Doula

Se eu for sua Doula- Carta a quem quer parir

A parte que me cabe aqui nessa sala é ao seu lado, apenas.

Ou em qualquer posição que você precise do meu corpo, para apoiar o seu no ímpeto arrebatador das ondas nascidas em seu ventre.

O que me cabe, é mergulhar, no negro da sua pupila e te lembrar a mulher selvagem sedenta por vida com saudades da cria que ainda não reconheceu do lado de fora.

Eu não te julgo

Eu não te examino

Não te aponto dedos nem defeitos

Apenas te repito: “olha, você consegue!”

Sou aquela lembrança boa de infância com cheiro de domingo de sol, grama cortada e bolo saindo do forno. Te  ajudo a continuar quando o cansaço é demais e a esperança quase se esvai.

O caminho quem escolhe e percorre é você.

A entrega, a força, os gritos, as lágrimas, a cria, o parto. Quem faz é você.

Eu por todo caminho estarei,a amparar, te fazer rir ou silenciar, de braços e coração abertos para não te deixar esquecer:

Você consegue.

E mesmo que nada aconteça como você sonhou.

Tudo dê tantas voltas que fiquemos sem chão.

Terás ainda meus braços e ombros, para descansar e deixar escorrerem as lágrimas pelo que poderia ter sido.

Nos meus olhos, por você que me escolheu para ao seu lado estar, nunca piedade.  Apenas orgulho da sua luta e gratidão.

Vem acompanhar também no facebook 🙂 https://www.facebook.com/casadadoula