Browsing Tag

Vagina

19554170_1765753210382543_2304536737969959130_n
Gestação

Lubrificação vaginal durante a gestação

O corpo quando grávido vive um montanha russa hormonal TO-DOS OS DI-AS. A pele muda, o cabelo muda, o funcionamento do intestino muda e muda também o que?
Isso mesmo, tudo “lá em baixo”, tamanho, forma e umidade.

A primeira coisa que costuma ser percebido é a lubrificação natural da vagina graças a quantidade alta do hormônio Progesterona. Logo nas primeiras semanas de gestação e depois volta a mudar bastante nas ultimas semanas.

Molhada de mais ou de menos?

Varia muito de mulher para mulher, em caso de aumento do volume, enquanto o fluído não tiver cor ou cheiro, não há com o que se preocupar. Apenas evitar uso de sabonetes íntimos que alterem o Ph e possam provocar candidíase e dar preferencia para calcinhas de algodão e uso de roupas que deixem o corpo respirar.

Qual o cheiro?
Cheirar suas calcinhas pode não ser a realização de um sonho, mas é uma forma fácil e simples de descobrir se está apenas com lubrificação natural aumentada, se está tendo escape de xixi (muito comum no final da gestação!) e até mesmo se a bolsa rompeu (quando acontece ruptura alta das membranas o liquido sai aos poucos e sempre!).

Para ajudar a descobrir passe algumas horas com uma fraldinha de tecido branca dobrada como usa o absorvente com externo. Mantenha as atividades normais diárias e depois observe a cor e o cheiro do liquido.

Quando a bolsa rompe o liquido tem um leve cheiro de água sanitária, inconfundível. O liquido é transparente e pode apresentar “melequinhas” brancas chamadas de grumos, também normal e esperado quando o bebê está a termo (a partir de 38 semanas. Se o liquido tiver esverdeado entre em contato imediatamente com sua equipe, pode ser sinal de mecônio e você precisa de acompanhamento clínico.

Quando o que escapa é xixi existe a tranquilidade da gestação estar bem, mas é um sinal bem claro que a sua musculatura perineal não está. Perda de xixi quando tosse, rí, ou sem nenhum motivo não é saudável, apesar de comum.
Você pode e deve praticar atividades físicas que fortaleçam o períneo, como yoga ou pilates durante a gestação e depois, mas nesses casos o ideal é procurar por uma fisioterapeuta perineal para avaliar e te orientar na forma ideal de resolver seu problema.

19059687_1760144214276776_5877271875061375316_n
Parto, Períneo

Parto normal não estraga a perereca de ninguém

Pois é, as terríveis histórias das vísceras que “caem”, da vagina larga, da incontinência urinária e fecal depois do parto normal tem outros responsáveis que não O terrível, animalesco e destruidor parto normal.

A função de controle e apoio de órgãos é de uma malha muscular chamada MAP que pode enfraquecer e ser danificada nas seguintes situações:

* Comprometimento da musculatura dos esfíncteres ou do assoalho pélvico; ( ex : Episiotomia. Após feito o corte na vagina da mulher no momento do nascimento do bebê, é necessário reparar os danos à área. A Episiorrafia é a sutura da Episiotomia. É muito difícil estabelecer o tamanho normal de uma Episiorrafia, já que o tamanho da Episiotomia pode ser bastante variável.)

* Gravidez e parto com assistência deficiente;

* Tumores malignos e benignos;

* Doenças que comprimem a bexiga;

* Obesidade;

* Tosse crônica dos fumantes;

* Quadros pulmonares obstrutivos que geram pressão abdominal;

* Bexigas hiperativas que contraem independentemente da vontade do portador;

* Procedimentos cirúrgicos ou irradiação que lesem os nervos do esfíncter masculino.

*Constipação intestinal.

*Enfraquecimento muscular causado perda da enervação que ocorre com a idade (a partir de 40 anos)

Os músculos do assoalho pélvico (a MAP) são os responsáveis pela sustentação da uretra, a vagina e o ânus, são também conhecidos como “músculos de Kegel”.

Eles foram detalhados pela primeira vez pelo médico Arnold Kegel em 1948, um ginecologista que desenvolveu exercícios para corrigir a frouxidão vaginal sem cirurgia. A prática dos exercícios de Kegel ou Cinesioterapia previne e recupera o tônus muscular, é o fim da incontinência e *prolapsos, além de melhora significativa na vida sexual, há relatos de mulheres que após os exercícios sentiram orgasmos mais intensos e até que pela primeira vez os sentiram.

Ou seja, com filhos, sem filhos, cesárea ou parto normal todas as mulheres estão sujeitas a passarem por problemas íntimos por culpa do enfraquecimento muscular, principalmente depois dos 30 anos de idade e podem reverter esse quadro com avaliação de fisioterapia perineal e evitar praticando exercícios constantes como Yoga, Pilates e o próprio Kegel