MINHA HISTÓRIA

 

Aida Polimeni

Eu nunca segui a ordem convencional das coisas. Minha presença sempre foi um ato político, mesmo que eu não soubesse. Fui uma menina preta criada em um ambiente branco, que estudou e frequentou lugares em que minha imagem sempre chocou, por mais embranquecida que fosse. Na vida adulta, ganhei uma gravidez não planejada e um mundo que me apresentou a violência obstétrica, a solidão da mulher preta e os desafios de uma criação humanizada e não-racista. A minha história pode parecer romantizada, mas não é. Ocupar os espaços é a missão mais difícil da minha vida, mas estou aqui para existir-resistir. Sei que desde sempre fui exceção, mas não esqueço quem sou.

4 Comments

  • Reply Thais Passos 23 de Maio de 2016 at 19:11

    Oi Aida!
    Pesquisando muito por aí, encontrei seu blog. Pesquisando advinha porque?! Aos 23 anos descobri que estou grávida, agora com 3 meses. Bom, preciso nem explicar todos os pensamentos, inseguranças, preocupações, ansiedades, emoções… né? rs Difícil definir.
    Você não tem ideia de como ler seu blog está me fazendo bem!! Até o momento só meu namorido e minha mãe sabem, mas estamos nos preparando pra divulgar a novidade. Estou com medo sim, tenho um defeito feio de me preocupar muito com o que os outros pensam de mim (mesmo que nem saibam meu nome!) e isso me faz ter medo do que vão dizer (até pq sou daquelas que tem 23 mas todos pensam que tem 15, 16~carinha de criança~). Ao mesmo tempo é curioso como a gravidez vai nos invadindo aos poucos e criando uma coragem onde não existia. Coragem pra aprender na marra que sempre alguém vai falar mal da gente, coragem pra virar mulher (olha, às vezes acho que 23 é só um número mesmo), coragem até mesmo pra ser mãe mesmo que essa já não seja mais uma “opção” à essa altura (como você disse, acho que se fosse planejada engravidaria com uns 200 anos).
    Bom, posso ficar horas escrevendo aqui rs. Mas apenas queria dizer OBRIGADA por “aparecer” na minha vida mesmo que não saiba o quanto tá me fazendo bem nesse momento delicado e novo.
    Beijão,
    Thais

    • Reply Aida Polimeni 29 de junho de 2016 at 12:07

      Nossa, Thais. <3 Nossas histórias são muuuito parecidas! Só posso te dizer que os capítulos que estão chegando são lindos e transformadores. Vocês vai ver. Também tenho esse defeito de me preocupar com o que os outros falam. Por acaso você também é libriana? KKKKKKKKKKK. Volta aqui pra me contar como está indo tudo. <3

  • Reply Fabiana Camilotti 14 de Abril de 2016 at 11:52

    Oi Aida, tudo bem?!
    Nossa, fazia um tempo que não lia seu blog, e justo hoje me atualizei, vi que vocês mudaram de cidade, que estão levando uma vida mais leve! Que maravilha… nossa, ter lido isso reacendeu esse desejo em mim, de viver mais e melhor, viver no mundo que eu acredito ser melhor.
    Estou no caminho de construção, de desejar muito uma nova realidade.

    Sou a Fabiana, de Lajeado, RS, mãe do Paolo (lembra?!), dois anos e cinco meses.

    Sabe que estou sempre por dentro do que acontece em um projeto chamado Cidade Escola Ayni, que fica em Guaporé (cidade a 90 Km de Lajeado)

    http://fundacaoayni.org/

    Beijo, beijo beijo!

    • Reply Aida Polimeni 29 de junho de 2016 at 12:13

      Fabianaaaaa <3 Como está seu Paolo? HHAHAHAAHAH
      Vamos conversar mais sobre esse caminho de construção que vai dar numa nova realidade? 🙂
      Amei ler sobre a AYNI. Deu vontade de conhecer mais e mais e escrever sobre!
      Vamos trocar uma ideia por email? mecontaumacoisa@gmail.com Fala comiiiiigo. hehe

      Beijão!

    Leave a Reply