Empoderamento, parto

Mulher, empodere-se.

Informação é poder! Separei com todo o cuidado o material que consumi durante a gravidez. Claro que tudo vai muito além disso, você tem que sair fuçando, clicando, perguntando, pesquisando autores, artigos. Mas já é um bom começo 🙂

Durante a gravidez eu fiz muita, muita, muita pergunta por aí. As amigas mães que o digam (e as amigas das amigas das amigas das amigas). Estudar é muito importante, claro. Mas conversar com mães experientes tem um gostinho melhor de realidade. Tem uma sinceridade que muitas vezes não tá ali naquele blog tal. Graças a isso também pude conhecer mulheres fortes e decididas. Cada uma com a sua história, seu jeito de criar. Claro que depois que Amora nasceu eu percebi que, como num passe de mágicas, eu estava lá com o meu próprio jeito de criar.

O  período de gestação é muito louco mesmo. Além de te dar o maior presente de todos os tempos, dá de brinde umas companheiras-de-barriga, umas parteiras-que-ficaram-no-coração, a doula-amor-da-vida-inteira, o obstetra-companheiro-fiel. A família inteira fica mais unida, um clima-de-véspera-de-natal invade a cara das pessoas assim que avistam seu barrigão.

Mas, como tudo na vida tem dois lados, a gravidez também é um momento super delicado, em que por vezes as pessoas se aproveitam de uma certa insegurança da mulher para plantar terrorismo dizer coisas (que muitas vezes são lendas ou simplesmente opiniões pessoais, sem qualquer base científica) para confundir você. Acredito que muitas situações não são por mal, mas por puro conformismo cultural. Por sorte, existe um escudo poderoso que pode te proteger dessas armadilhas: informação. 

Desde que Amora nasceu, várias mulheres já me procuraram para contar da gravidez, das dúvidas, de como eu fiz isso e aquilo, de como será lá e acolá. EXATAMENTE como eu fiz a pouco mais de um ano. É uma troca tão bonita que obviamente cria-se instantaneamente uma relação de super afetividade entre nós. Sempre disparo mil links, especialmente aqueles que marcaram muito as minhas decisões. É tanta informação de uma vez só, tanta pílulazinha-da-matrix que precisa ser tomada, que, sim, a mulher vira uma louca-monotemática. A família absorve, os amigos também. Meses depois, vejo que aquela mulher, antes toda confusa, agora está absolutamente consciente de tudo, fazendo suas próprias escolhas. Escolheu sua equipe, tem apoio de uma doula e de profissionais que sabem bem o que estão fazendo. E aí eu entendo a alegria daquelas que me guiaram. É por ser totalmente agradecida a essa forma-ativa-coletiva de espalhar as coisas lindas (para que as outras possam viver também) ou horríveis (para que nenhuma  passe mais por isso) da maternidade, que sempre faço questão de seguir adiante com a ideia.

Separei com todo o cuidado o material que consumi durante a gravidez. Claro que tudo vai muito além disso, você tem que sair fuçando, clicando, perguntando, pesquisando autores, artigos. Mas já é um bom começo 🙂

Obs: Se você não está grávida (ou nem é mulher), não quer ter filhos, nunca ouviu falar de outras formas de cuidados na gravidez e parto, aproveite para ler tudo também. Esses assuntos são de interesse da sociedade como um todo, pois é dever dela cuidar bem desse processo especial das mulheres e das crianças que estão por vir. 

Obs 2: Você vai se deparar com informações que, muitas vezes, irão causar espanto. Alguma dessas histórias podem ter acontecido com familiares ou amigas suas. Até aqui, você pode ter achado tudo normal. A intenção deste texto não é ofender a história de ninguém e sim abrir os olhos para uma realidade que pode nunca ter estado ao seu alcance. Abra o coração <3


GRAVIDEZ

Fique calma, você tem uns bons meses pela frente. É hora de descobrir tudo, mesmo pra quem não é mãe de primeira viagem. Cada gestação é única, e é super comum a mulher se deparar com novas situações. A ansiedade é grande para fazer o enxoval que, claro, é lindo. Mas acredite: não é tão importante assim.

Você vai escolher um obstetra pra te acompanhar, está louca para a hora da primeira ultra, imagina se é menino ou menina. São tantas coisas que passam pela sua cabeça. É gostoso ter um diário, um caderninho, um .doc, enfim. Algo para jogar lá suas dúvidas (é massa ter um check list pra ir cortando/adicionando). Eu ganhei de Paolo o Diário Mothern da Gravidez, ele é lindo, e cheio de textinhos legais pra inspirar. Tem espaço pra anotar as consultas, sintomas, enxoval, e até pra colocar o nome da doula #acheidiferenciado. Mas confesso que qualquer guardanapo servia pra mim.

Eu demorei para achar um obstetra, pois:

  • Não é correto marcar cesárea na primeira consulta. Muitas águas ainda vão rolar, você acabou de ficar grávida e, mesmo que já tenha pensado numa cesárea, ainda vai mergulhar em muita informação até o bebê chegar. Lembre-se: A ESCOLHA É SEMPRE SUA. Mas é estranho quando alguém quer te induzir, não é verdade? Se ao falar da preferência pelo parto normal, você ouvir um ”Ok, se estiver tudo bem…”, já abra os olhos e não deixe de ler estes textos:

COMO ASSIM O MEU MÉDICO ME ENGANOU? PQ ELA TÁ FALANDO DA MINHA CESÁREA?

Obs: Mesmo se você quiser uma cesárea, não é estranho um médico usar uma mentira para convencer outras mulheres que não querem? Pense nisso. 
  • Consulta de 15 minutos não é normal. Você merece, sim, atenção completa do seu médico, independente do tempo da consulta dele. Vocês devem ter alguma afinidade, pois ele também vai te acompanhar nessa jornada. Imagina que coisa chata ir todo mês encontrar uma pessoa que não te olha nos olhos, ausculta o bebê, passa uma série de exames e simplesmente te manda embora?
  • Ele não deve dar opiniões pessoais. A base do cientista é a ciência, não é? Então você não precisa aceitar opiniões pessoais do seu médico. Lembre do mantra: as escolhas são suas.

 

PARTO

É exame A,B e C. É taxa 1,2,3. Tá tudo bem com o bebê? Quando vai começar a mexer? Vou ficar com estrias? Qual é o hidratante milagroso? Minha barriga é normal? Cadê os desejos? Até quando vou aguentar esses enjoos? Fiz todas essas perguntas, mas mal sabia eu que uma das partes mais importantes dessa história toda precisava ser planejada: o parto. Foi muito bom descobrir coisas como:

  • Parto normal de verdade não é aquele dos filmes e novelas. Não, não é. O parto pode, sim, ser lindo, tranquilo e até silencioso. Tem mulher que vai parir sorrindo, tem mulher que vai controlar a dor tão bem que nem incomoda, tem mulher que curte a dor, tem mulher que a sente da forma mais intensa possível e depois sai gritando o quanto valeu a pena.
  • Você não precisa ter a vagina cortada. Episiotomia é uma violência e você tem como fugir dela. Você vai ouvir que ela ajuda, que é normal, que evita que você fique ”frouxa” (outro mito absurdo que nós, mulheres, temos que aguentar). Tudo mentira e machismo (lembre disso ao ouvir de alguém sobre o tal ”pontinho do marido”).

CAMPANHA PELA ABOLIÇÃO DA EPISIOTOMIA DE ROTINA.

EPISIOTOMIA: PELO FIM DO CORTE MUTILADOR. 

  • Falar mal da cesárea não é perseguição. Acredite, não é normal tirar seu filho através de uma cirurgia. Cada caso é um caso. A cesárea salva vidas todos os dias. Mas a forma com que ela está sendo usada no Brasil está prejudicando milhões de mulheres e bebês. Não se sinta atingida ou diminuída por ter feito uma. Se ela foi feita por uma indicação real, com certeza foi boa para você e para a cria. Mas se não foi, você foi vítima de uma mentira, e isso não pode ser aceitável. Sabemos que o parto normal também não é tratado como deveria por aqui, por isso muitas mulheres tem medo de parir naturalmente, pois já ouviram tantas histórias horríveis que preferem não correr esse risco. Isso é perfeitamente compreensível, mas a informação existe para você descobrir que pode viver uma história diferente. Se você não gostou desta parte do texto, leia isso.

NÚMERO DE CESÁREAS NO BRASIL ULTRAPASSA O ÍNDICE RECOMENDADO PELA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. 

CESÁREA x PARTO NORMAL: ÍNDICES DE SEGURANÇA BASEADOS EM EVIDÊNCIAS.

NÃO EXISTE NENHUM PROBLEMA COM CORDÃO UMBILICAL ENROLADO NO PESCOÇO. 

BEBÊ GRANDE NÃO É PROBLEMA. 

BEBÊ PÉLVICO NÃO É PROBLEMA. 

  • A hora do seu filho chegar ao mundo deve ser respeitada. É o bebê que escolhe a hora de nascer. É ele que se sente pronto e inicia a jornada. Não se sabe ao certo o que ativa o botãozinho de start, mas já é comprovado que um bebê que nasce na hora certa, nasce melhor. Toda mulher entra em trabalho de parto, o negócio é esperar. As vezes não é na trigésima oitava semana, as vezes é antes, as vezes é só depois das quarenta, ou mais. A gente não tem como saber o momento exato da fecundação, então não dá pra prever o momento exato do bebê nascer, simples.
  • Humanização não é pedir demais. Existem vários tipos de parto, mas em todos eles você deve ser tratada de forma sensível, tendo os seus medos e vontades absolutamente respeitados. É estranho quando isso não acontece, não o contrário. Você sempre tem direito a um acompanhante na hora do parto, você pode e DEVE receber o seu filho nos braços assim que ele nasce. Você pode, sim, escolher a melhor posição para parir. Pode ter doula ou não, pode estar nua ou não, depilada ou não, pode gritar sempre que tiver vontade, ou não. O contrário disso é errado e desrespeitoso. Lembre-se: não é pedir demais ser bem tratada.
  • Escolha o parto que te deixe a vontade. O melhor lugar para você parir é o que você quer. Você pode ter um parto respeitoso no hospital, em casa de parto (infelizmente essa opção ainda não existe em todo o Brasil) ou, porque não, na sua própria casa. O livro Parto com Amor é perfeito pra quem está decidindo. Ele é cheio das mais diferentes histórias, todas lindas, como a sua com certeza será. O Parto Ativo também me ajudou bastante, pois me deixou tranquila para esperar a dor e consciente de todos os processos que eu iria passar.

PERGUNTAS FREQUENTES PARTE 1

PERGUNTAS FREQUENTES PARTE 2

ESTUDANDO PARTO DOMICILIAR.

  • Faça um plano de parto. Você pode deixar por escrito todas as suas vontades e preferências. A hora do trabalho de parto exige concentração, então você não deve se preocupar com nada que está acontecendo ao redor. Uma equipe confiável e um plano de parto podem garantir que seus desejos sejam todos atendidos.

ESPECIALMENTE PARA OS PAIS

  • Pai é parte super importante. Ele deve ser inserido em tudo, pois faz parte daquilo. Quanto mais informação mostramos a eles, mais apoiadas ficamos. Vale dizer que existem casos em que o homem toma a iniciativa e abre os olhos da mulher. E existem casos em que o homem não estará presente. Cada um tem suas particularidades e nós, mulheres, somos fortes para lidar com todas elas.

DE PAI PARA PAI: AMAMENTAÇÃO.

O VÍNCULO COMEÇA NO ÚTERO PARA PAPAIS TAMBÉM. 

 

RELATOS

  • A história das outras pode ajudar a construir a sua. A minha atividade preferida, com certeza, era ler relatos de parto. Hoje em dia me emociono mais ainda a cada vez que leio um. O meu tá aqui. E separei os preferidos também <3

NASCIMENTO DE CONSTANÇA 

NASCIMENTO DE RAFAELA

VIDEOS QUE VÃO MUDAR TUDO.

  • Chame a família para ver. Posso dizer que ter assistindo ao Renascimento do Parto junto com a minha foi um divisor de águas.

O texto ficou grande, mas acredite: é só o começo mesmo. Explore, converse, pesquise. Vá a grupos de apoio ao parto, encontre uma doula (não perca a chance de ter uma doula <3). Encontre bons profissionais que vão te guiar de acordo com as suas necessidades. Gente que entende do assunto. Reservei o tema para outro post, mas não esqueça de estudar amamentação e puerpério. É gostoso demais entrar nesse mundo de descobertas. Espero ter ajudado, bjs.

Chá de Bebê
Previous Post Next Post

You Might Also Like

5 Comments

  • Reply Valéria 15 de julho de 2015 at 10:30

    Depois de entrar pela 10ª vez no mesmo post, quero lhe dar os parabéns por ele!
    muito informativo, esclarecedor e super me ajuda hahaha
    Estou planejando um parto domiciliar e por coincidência descobri teu blog e AMEI.
    e a pouco descobri que tua filha tem o mesmo nome que eu escolhi para a minha _o/
    e tomara que tenha sorte de ter um parto como o seu!

    mas uma vez, parabéns pelo blog, pela filha e pelo parto!
    Viva as Amoras 😀

    • Reply Aida Polimeni 15 de julho de 2015 at 12:03

      É muita amor(a) no mundo <3 Parabéns pelas escolhas, Valéria. E muito, muito, muito obrigada pelo carinho. Sua Amora já tem muita sorte. <3

  • Reply Maria Julia 23 de Maio de 2015 at 20:37

    Sabe o que é triste? Eu faço medicina…e tudo isso o que vc fala aqui, deveria ser ensinado no pré-Natal. Ele não é só pra pedir exame e examinar. É um período de troca de informações -pelo menos aprendemos assim na graduação.
    Nos bairros onde tem unidades básicas de saúde que funcionam (grande minoria), isso acontece.

    • Reply Aida Polimeni 15 de julho de 2015 at 14:26

      Ainda bem que tem gente que faz medicina sabendo disso, Maria Julia. Pessoas como você podem mudar muita coisa nesse Brasil 🙂

  • Reply 5 Motivos para frequentar um grupo de apoio ao parto humanizado - Começando Errado 2 de Março de 2015 at 18:22

    […] artigos pra te mostrar e, principalmente, coração para te apoiar é importantíssimo. Esse post aqui pode te interessar […]

  • Leave a Reply