10 coisas sobre gestação e parto proibidas de dizer neste blog

Eu sou a poderosa-mestra-proprietária-dona-e-ditadora deste bloguinho. Quem manda aqui sou eu. Acabei de criar um decreto. Vamos evitar a fadiga?

Aí vão dez coisas proibidas de dizer neste blog, a partir de hoje. Quem teimar vai ser deixado chorando no berço, não vai comer brigadeiro, vai ser colocado para pensar. E tenho dito!

1.      “Vou ter que fazer cesárea porque estou com 38 semanas e não tenho dilatação.”

Repete comigo:

NÃO EXISTE FALTA DE DILATAÇÃO.

NÃO EXISTE FALTA DE DILATAÇÃO.

NÃO EXISTE FALTA DE DILATAÇÃO.

NÃO EXISTE FALTA DE DILATAÇÃO.

NÃO EXISTE FALTA DE DILATAÇÃO.

NÃO EXISTE FALTA DE DILATAÇÃO.

NÃO EXISTE FALTA DE DILATAÇÃO.

NÃO EXISTE FALTA DE DILATAÇÃO.

NÃO EXISTE FALTA DE DILATAÇÃO.

NÃO EXISTE FALTA DE DILATAÇÃO

É o trabalho de parto que faz o colo do seu útero dilatar. Se você vai à consulta de 38, 39, 40, 41 semanas e não está em trabalho de parto é absolutamente normal que não tenha dilatação.

Em regra, durante o tp, TODAS as mulheres dilatam; algumas mais rápido, outras menos. Pode ser que você passe hhhhooooorrras, ou diiiiiiias com quatro centímetros de dilatação, mas você vai dilatar. Confia.

Geralmente, o nome correto da “falta de dilatação” é “falta de paciência”.

2.     “Já estou no 3º trimestre, não dá para trocar de médico!”

Dá sim. Sempre dá. Dá, inclusive, para trocar na hora de parir (mas não deixe para esta hora, pelo-amor-de-deus!).

Vou te contar um caso! Tenho uma conhecida que ligou para o obstetra, quando a bolsa estourou. Ele falou para ela ir para o hospital. Ela retrucou: mas não tô sentindo nada! Ele disse: “chega lá a gente vê se você tem dilatação, senão…” (aquele papinho furado)

Veio o estalo: “ele vai me fazer uma cesárea! Não vou, não vou, não vou.”

A bonitona ligou para uma amiga índia, arrumou uma enfermeira obstetra de última hora, esperou começar o trabalho de parto e foi para o plantão do Sofia. Teve um parto lindo.

Só é tarde quando a sua barriga já foi cortada. Comece o quanto antes, mas se a ficha demorou a cair, corra atrás que dá tempo!!!

3.     “Meu bebê vai morrer porque o cordão está enrolado no pescoço!”

Você é uma mulher inteligente. Faz um exercício comigo: dentro da barriga, o bebê está mergulhado no líquido amniótico, certo? Certo!!!

Nós, os humanos, não respiramos em ambiente aquoso, certo?? Todo mundo concorda??  Siiiiimmmm!!!!

Bebês não respiram pelo nariz e a boca. É IMPOSSÍVEL QUE O CORDÃO UMBILICAL OS ASFIXIE, PORQUE ELES NÃO RESPIRAM PELO PESCOÇO!

Fim deste papo, por caridade.

4.     “Pela numerologia, astrologia, ou beleza da data, meu filho tem que nascer na data tal.”

Não. Simplesmente não.

5.     “Se não nascer até a DPP, tenho que fazer cesárea, senão ‘passa da hora’!”

Mais de 51% das gestações chega a 41 semanas, segundo um estudo inglês (no Reino Unido é prática deixar os nenéns nascerem quando querem). É simples: se mais da metade das gravidezes dura mais que 40 semanas, quer dizer que isso é absolutamente normal e característico da nossa espécie, né?

Seu bebê não é atum em lata. Ele não vai ficar absolutamente podre no dia seguinte à DPP. Faça um pré-natal de qualidade, tenha uma equipe zelosa e confie que seu filho sabe a hora de nascer.

6.     “Tenho que confiar no meu médico!”

Confiar não é entregar. Você pode ter uma relação ótima com seu médico, mas não dá para dar para ele a sua vida e a do seu filho. Esta responsabilidade é sua. Acredite, amiguinha, ninguém vai cuidar bem das suas escolhas como você.

7.     “Sou velha-nova-gorda-magra-pequena-azul-amarela

A espécie humana não teria chegado ao tamanho que chegou se as nossas características pessoais fossem incompatíveis com a reprodução. Toda mulher saudável pode parir. E ponto.

  1. 8.     “Meu bebê é grande demais para nascer de parto normal”

Eu meço 1,63m. Francisco nasceu com 4,160kg e eu não tive nem laceração.

Próxima!!!

9.     “Minha mãe não conseguiu, eu não vou conseguir.”

Ter uma mãe que tem uma história feliz com seus partos é maravilhoso e ajuda muito. Não ter não é uma condenação à faca.

O fato de sua mãe não ter parido não é atestado biológico incontestável da incompetência da sua família. Mil de razões podem ter determinado isto. Você pode romper com cada uma delas.

10. “Não sou menas mãe!!!!!”

Você não é. Eu sei. Não precisa falar.

É proibido

Crie o site do seu Neném

Sobre Gabi Sallit

Gabriella Sallit virou Gabi ainda pequenininha. E, para não ter um filho que tivesse que explicar a vida inteira a grafia do seu nome (aprendeu a falar "meu Gabriela é com 2 Ls" antes de papai e mamãe), escolheu um nome pequenininho para o seu filhote. João está começando a falar e já escolheu como prefere ser chamado: Jão!

VENHA, e CONECTE-SE COM A VILA!

Receba as novidades em primeira mão!

Esta entrada foi publicada em Parto, Quiprocó, Saúde, Violência obstétrica e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

98 respostas a 10 coisas sobre gestação e parto proibidas de dizer neste blog

  1. Oi sou a josimara ,Gabi será qe pode me ajudar ,estou com dúvidas eu não tenho convênio médico mas meu esposo sim ,estou com contrações e dilatando já fui três vezes ao hospital e o BB já está na posição pra nascer ,mas ele no público não querem me interna estou de 39 semanas e 5 dias com fotos dores e perdendo liquido ,não sei mais oqe eu faço ,me ajuda por favor . A minha médica disse qe é perigoso qe seria bom já fazer uma cesariana .Então me ajude por favor
    …..Grata

  2. Aline disse:

    Gostei da opinião de cada uma.

    Estou com dúvida!
    Tive duas cesáreas, a primeira por perda de liquido. A segunda pq fazia 1 ano e 4 meses da primeira cesárea.
    Minha caçula está com 5 anos 8 meses

    Grávida de 38 semanas. Alguém tem algum relato de que após duas cesáreas teve parto normal?

    Lembrando que minha dúvida é esta ai acima e não qualquer outro tipo . não quero opinião maldosa OK. Obrigado.

  3. Tatiane disse:

    Eu acho que cabe a mãe decidir o que é melhor já estou indo para a segunda cesárea nnem por isso fiz um blog para expor minha opinião ridículo cada um faz o que achar melhor se vc quer ter parto normal ótimo não precisa fazer tanta cena por conta das mulheres que escolhem cesárea

  4. Carol Coimbra disse:

    Caramba, tirou as palavras da minha boca! Haha…
    Ótimo post, mas aposto que vc deve ter recebido algumas críticas também, não? Toda vez que posto algo nesse sentido, vem alguém com a síndrome de “menas” criticar rs.

  5. Alê disse:

    Adorei o post!
    E ajudando,na questão sobre o cordão, realmente não tem como a circular de cordão causar problemas de oxigenação, não só pelo fato do bebê não respirar pela traquéia, mas também o cordão umbilical é gelatinoso, ou seja,por mais que se torça ou dobre a circulação não interrompe de jeito nenhum.a única forma da oxigenação ser comprometida no bebê é através de algum problema na placenta, por vezes pode acontecer de ela ficar “seca, e não fornecer oxigênio e ou nutrientes suficiente para o bebê. O cordão é apenas o mensageiro, não o julguem hahahahaha! Espero ter ajudado!

  6. Marina disse:

    Eu A-M-E-I essa postagem. AMEI! Estou rindo ainda com o #cesaristadetected do outro post, mas essa foi perfeita. A gente estuda estuda estuda e não é pra cair na mão de um zé faquinha depois.
    Meu primeiro foi de PN quase totalmente natural (isso é possivel?) Tive episio, precisei entrar na sala de parto na maca (mesmo gritando aos sete ventos que podia caminhar) e não pude parir na posição que eu quis. Fora isso, foi tudo bem, tudo beleza. Sou feliz da vida por ter dado tudo certo. Ah… marido também não cortou o cordão pq na hora eu tava em transe com o baby nos braços e não lembrei de falar. Ele também não falou e eu não tinha LEVADO o plano de parto (dessa vez não vai acontecer de esquecer). Meu médico na época é desses que tem ultrassom no consultório rs. Mas era da família e eu consegui convencê-lo de QUASE tudo. Agora no segundo baby por vir…34 semanas… troquei de médico por que meu convenio não cobria meu cesarista-fofinho-influenciavel-pelo-conhecimento-da-mamae-aqui. O atual, um senhor já, apesar de não se atrasar nas consultas (risos) até agora aceitou abertamente tudo o que eu falei. Meu filho tem uma leve cardiopatia e eu achei que ele fosse se aproveitar disso para me levar pra faca, massss… ele disse que AINDA POR ISSO é mais importante que eu siga na minha idéia de PN. To achando lindo. Ele me deixa tão a vontade que até desconfio. Semana que vem nos veremos e levarei o plano impresso para discutir detalhes. Em seguida levo na maternidade pra protocolar. A maternidade já é “meio” humanizada. Eles tem até doulas, bolas, chuveiro é liberado, não fiquei no soro nem nenhum acompanhamento continuo, tive 2 toques apenas (no primeiro filho).. então só tem umas coisinhas que preciso ajustar.

    Sobre esse post.. “Seu bebê não é atum em lata.” Foi o melhor comentário. Parabéns pelo blog!

  7. diana disse:

    Minha vontade era sair com isso em mãos e esfregar na cara de alguns médicos por ai.. Mas como sou educada vou apenas trabalhar meu empoderamento. Eu fiquei gravida e infelizmente perdi o bebe, mas ja tive uma impressão muito negativa da médica que me atendeu, sabe o que ela fez ??? Eu estava com apenas 5 semanas de gestação e ela já havia marcado a data do meu parto agendado a cesária vê se pode?? ai quando eu questionei ela sobre isso e argumentei que o parto normal era melhor para o bebe e que eu realmente queria parto normal ela disse:
    – Isso é só marketing do governo, não tem nada haver de que um parto e melhor que o outro , e ainda disse que tem muitas que chegam la pra ganhar neném de parto normal não aguentam e pedem a cesariana, e que era pra eu poupar meu tempo. Gente quase tive um treco ! sai da sala horrorizada.

  8. Tassia disse:

    Ai meu Deus! Queria curtir mil vezes! Troquei de obstetra com 35 semanas(graças!) e tive a Isadora linda e respeitosamente! Que delicia de empoderamento essas mulheres! Obrigada por disseminar tanto amor e informação! Amei seu blog! 24 horas de TP ,40 semanas, 10 horas de bolsa rota, 6 acompanhantes, no quarto do hospital! Sambando na cara da sociedade cesarista!

  9. Michelle disse:

    Meninas, desculpe a ignorância, mas sempre tive vontade de perguntar isso. Sei que os bebês não respiram no útero, mas sempre achei que o cordão não podia enrolar no pescoço pq faltava circulação de sangue. Não é isso?

    • Arielle disse:

      Michelle, eu tb acho que sim… Quero dizer, o problema não é a falta de respiração, mas sim a falta de oxigenação por conta da interrupção do fluxo sanguíneo… Mas não sei quais as chances disso acontecer e, que eu me lembre, se o cordão enrolar, não deve apertar. Se estiver ok até nascer, não deve dar problema bem no parto. Minha tia perdeu o bb com 6 meses de gestação assim, mas ele veio à óbito na barriga por falta de oxigenação já que o cordão prendeu mesmo muito forte. É isso mesmo, Gabi? Esclarece aí pra gente, rsrs.

  10. Carol Cardoso disse:

    É isso ai Gabi! bota ordem nessa porra! kkk
    Agora falando sério, esses são medos reais que as gestantes tem e que, sem informação, caem na confiança do médico/familiares e se estrepam.
    Trabalhei duro os 9 meses de gestação me informando e empoderando. Porém, durante o TP lento, o item 9 veio nitidamente na minha cabeça: “Minha mãe não conseguiu, eu não vou conseguir.”. Implorei pela cesárea, quis desistir e acabar com tudo logo, tinha CERTEZA de que não conseguiria, que aquilo não era possível pra mim. Se não estivesse com pessoas que acreditavam em mim, que foram calmas e pacientes, teria entrado na faca bonito!
    A bíblia tem uma passagem que diz: a boca fala o que o coração está cheio, e se a mãe fala isso no blog é porque realmente ela acredita, tem esse conceito e tals. Nada melhor do que espaços como esse para reforçar o conhecimento e empoderamento das mulheres. Parabéns pelas divulgações, sempre! Até quando é pra descer o sarrafo! rsrs

  11. Daiane Paim disse:

    Adorei o texto e ainda não sou mãe, mas venho pesquisando o máximo possivel, pois quero muito ter um parto normal. E minha mãe é minha maio inspiração para isso, sete filhos de parto normal. Sou a caçula e cheguei quando ela estava com 47 anos (isso há 28 anos) acima do peso e diabética. Por isso adorei a parte “Sou velha-nova-gorda-magra-pequena-azul-amarela”.
    Parabéns pelo post.

  12. Polyana disse:

    Estou a procura do novo motivo da morte do bebê da minha tia então. Ela esperou pelo normal e as 42 semanas e 4 dias a bolsa estourou. Esperaram a dilatação, por horas e horas e horas, quando os médicos perceberam a ausencia total de movimento do feto fizeram a cirurgia de emergência. O bebê ja estava morto.
    Minha família infelizmente é recheada de casos em que o parto normal foi infeliz. E bota infeliz nisso.
    Estou de 39 semanas esperando o bebe querer sair, mas não passo das 41. Ou ele escolhe nascer até 41 semanas, ou eu faço mesmo a cesariana e não me sinto ‘menasmain’ por isso.

    • TATIANA NASCIMENTO SANTOS OLIVEIRA disse:

      Pois é… Todo EXTREMO é perigoso… Muito radical esse post para um assunto com tantas nuances. Claro que a humanidade, ao longo dos anos, se multiplicou pelo parto normal (até por isso é chamado de normal), mas cada caso é um caso. Eu nasci de parto normal, meu irmão caçula também, mas minha irmã do meio teve que ser uma cesariana porque estava passando das 40 semanas sem sinais de que iria nascer. Será que ela teria sobrevivido se minha mãe tivesse esperado? Não sei, não sou médica, mas na dúvida, foi de cesariana.

  13. Naianne disse:

    Achei hoje seu blog procurando sobre prontuário médico e aqui é ótimo para se manter informada em vários outros assuntos. No meu caso passei 12h em trabalho de parto e até ai dilatei 3cm, quando a médica do plantão examinou o liquido e estourou minha bolsa viu que tinha mecônio, eu disse que estava preocupada e ela falou que ia decidir com a junta médica para autorizar a cesária, quando voltou veio com a negativa e fiquei mais 1h até mudar o plantão, o médico logo que me examinou me mandou direto para sala de cirurgia e graças a Deus minha bebê nasceu muito bem com 4,650kg, 51cm e minha gestação foi até 40s e 6 dias. Também
    gostaria de parto normal, pois a recuperação da cesária é horrível, mas acho que cada caso é um caso, pode ser que eu conseguiria um parto normal se caso não houvesse mecônio, mas sinceramente tem que prevalecer a vida e saúde do bebê e da mãe. Meu parto foi em uma maternidade do SUS referencia aqui em SP, a Maternidade Vila Nova Cachoeirinha, e como todo hospital do SUS eles forçam o parto normal, além do que eles mais usam o fórceps, quando eu, particularmente acho arriscado, como o da minha mãe que também teve minha irmã lá, ela tinha pressão alta, diabetes na gestação, minha irmã nasceu com 5,500kg, 51 cm, parto normal e com 30 pontos em cruz, imaginem, 15 pontos vertical e mais 15 na horizontal, e isso tudo porque, mesmo com a pressão dela nas alturas a médica forçou o parto normal até a minha irmã ficar entalada com o nariz para dentro e o resto da cabeça para fora, já sei que o bebê não respira ar antes de nascer, mas a minha irmã começou a ficar roxa e minha mãe não sentia mais dor, ai a medica, que já tinha feito aquele corte do períneo na vertical, teve que cortar na horizontal para finalmente ela conseguir sair. Foi horrível para minha mãe, a recuperação dela foi praticamente igual da cesária, passou dias sentindo dor. Quando se tem a possibilidade de conseguir um bom hospital, bom profissionais capazes de te ajudar em parto normal é ótimo, mas como disse na minha opinião cada caso é um caso, não sou de acordo fazer a mãe e o bebê sofrerem desse jeito e arriscar a vida e a saúde dos dois, como também acho desnecessário fazer uma cesária sem um real motivo.
    Se é uma coisa que acho lindo e admiro são as mães que fazem o parto natural, mas todas que eu já vi e ouvi falar, tanto na casa delas como em maternidades, elas tem a disposição uma equipe profissional que sabe exatamente se vai ser possível chegar até o final com o PN ou se vai precisar de alguma intervenção médica, e que geralmente é particular, pelo SUS eu já ouvi falar que tem mas não deve ser muito divulgado, não sei porque pois já que agora estão com essa proposta de diminuir a cesária.
    Enfim, é um assunto polêmico mas que relaciona vida e saúde, e isso é sério, pena que para alguns seja questão de lucro (como algumas maternidades que já fecharam ao longo dos anos) e de que “ah, é apenas um parto, é tudo natural!”, nem sempre é assim!

  14. Saulo Goulart disse:

    Sou médico veterinário, embora não seja minha área, parabéns pelo seu ótimo trabalho onde a obrigatoriedade de cesáreas se tornou regra em nosso pais, especialmente nos sistemas particulares. Parabéns pelo ótimo trabalho.

  15. Helen disse:

    Querida Gabi!
    Estou amando seu blog, parabéns pelo humor e engajamento numa causa tão linda. Recentemente sofri um aborto, mas logo vou poder tentar de novo…se Deus quiser…rssrsrs.
    Quanto a questão do parto humanizado, confesso que tenho um pouco de medo, não por causa da dor, mas em razão dos inúmeros casos de abusos presenciados por minha sogra que é enfermeira. Algumas vezes ela expulsou o médico da sala de parto. Quando minha hora chegar, acho que esquecerei tudo isso…bjus

  16. Luciana Maia disse:

    Adorei!! Muito bom mesmo! E ainda dá pra rir com os comentários das desavusadas que vêm falar mal da ‘menas’ ou contestar seus ‘conhecimentos médicos’… kkkkkkk. Vamo estudar mulherada, senão vai tudo virar mãezinha na mão dos açougueiros. Gabi ainda é fofa nas respostas… hahaha. Tenho paciência não!

  17. tamarapizoni disse:

    Quero engravidar, mas tenho medo do parto normal. Nem cogito a hipotese de ter em casa. Mas amei o texto. Gosto muito da informação que você passa de forma clara. Não ligue pra comentários desnecessários de gente que não sabe interpretar a bondade da sua ação aos escrever essas palavras.
    Quanto a história do cordão enrrolado, também tenho 2 casos conhecidos de bebês que nasceram com deficiência pela falta de sangue no cérebro durante a gestação. Não é a falta de ar que mata, pelo que li, é o cérebro que não oxigenado, perdi a capacidade de buscar mais ar e “falece” ou fica com sequelas.

    Obrigada

  18. Betyane Castelan disse:

    Ótimo, Gabi!
    Amei! Vontade de imprimir e panfletar no sinaleiro rssss.
    Um beijo!

  19. Elaine Eurides disse:

    Gostei n amei seu blog sou de 3 filhos foram 3 normais e um Cesário. Gostei muito das barrigas meus partos foram otimos nunca coloquei na cabeça q nunca teria dilatação pra ter meus filhos sou muito feliz por isso. Queria saber se vc tem facebook?

  20. Evelin disse:

    Thami Hull, peso não impossibilita o parto de forma alguma!!! Procure no facebook a página “Mãe de peso” e comprove. Em tempo: tenho 1,58, engravidei já obesa (86kg), pari com 99kg num lindo parto domiciliar com tp de cerca de 6 horas… 😉

  21. Daniela disse:

    Quero ter parto normal e vou. Mas como lidar com esta pressão desta que acabou virando uma militância de “não é uma mãe de verdade se não faz o parto humanizado”, se não conseguir ou tiver algum problema REAL de saúde na hora do parto? Antes mesmo de nascer, já me sinto pressionada por amigas que “preciso isso” ou “tenho que aquilo”.

    • Gabi Sallit disse:

      Querida, lutamos para que as mulheres não sejam enganadas. Para que todas tenham garantido o seu direito de parirem, se quiserem. Para problemas reais, existe a cesárea, que é uma cirurgia muito importante, quando bem indicada! :)

  22. Carol disse:

    Vc tem toda razão! Nunca é tarde demais para mudar de médico. Mudei de GO com exatas 38 semanas depois que ela me disse que eu não apresentava dilatação entre outras pérolas para me desanimar. Sabia que não fazia sentido e encontrei um GO humanizado que fez meu parto. Melhor coisa que fiz! Infelizmente não tive tempo suficiente para ter uma doula, a bolsa estourou no dia anterior que tinhamos marcado um café da manhã para nos conhecer. O parto natural é sem dúvida uma forma de respeitar o tempo do bebê. Fora que o pai tb consegue participar bastante. Acho fundamental o marido estar envolvido, ou alguém de confiança para dar força a mulher no momento de parir. Abs e parabens pelo blog

  23. Tenho uma dúvida… é vdd esse papo q qnd a mulher já teve filho d parto cesáreo o próximo tb tem q ser cesáreo? Pq eu tive dois meninos ( um de 8 anos e outro com 10 meses) d parto cesáreo, e como estou com 30 anos, kero tentar um último filho e ver se tenho uma menina. Mas não kero cesáreo, achei horrível, minha recuperação nos dois foi péssima, e até hj sinto a pelve dolorida. Sera q eu poderia tentar no 3° filho parto normal?

    • Gabi Sallit disse:

      Não tem, Beatriz. O nome do parto normal após cesárea é VBAC (sigla para Vaginal Birth After Cesarean). Há relatos de lindos Vbacs na internet. Há páginas no facebook sobre o tema. Procure se informar! :)

    • Foster Minner disse:

      E a liberdade de expressão?
      Se intitula ditadora, da sua opinião, lavando mentes, forçando barra.
      O direito de escolha é de cada um, não vai sair um ET caso seja uma cesárea.
      Discussão bem tola esta

      • Gabi Sallit disse:

        Foster, quem está sempre aqui sabe que defendo com unhas e dentes o direito de as mulheres fazerem o que quiserem com seus corpos. Entretanto, não existe escolha sem informação de qualidade. Alguém que é convencida a fazer cesárea pelos motivos que citei aqui não está escolhendo, está sendo enganada. Isto é uma tristeza.

  24. Rebeca disse:

    Não sou menas, ….nao sou menos doutora, eita gramatica boa

  25. Alice disse:

    E quem tem uma pré eclampicia ou é soro positivo…grande responsabilidade vc escrever certas coisas….

  26. TAIS GABRIEL disse:

    Adorei o site….só queria saber como ficam as mãezinhas que tem alguma patologia (doença) e vc é médica??? Obrigada.

  27. Tais Gabriel de Almeida disse:

    Minha bolsa estourou em casa aos 7 meses..minha pressão é alta e não tive dilatação…foi um parto cesária de risco e meu bebe por ser prematuro de36 semanas ficou 21 dias na uti…existem casos e casos…e sim existem mulheres q NÃO tem dilatação…essa é. Minha segunda cesária infelizmente…tenho medica ginecologista obstetr na família

    • Gabi Sallit disse:

      Tais (ou como for que você se chame), você não teve dilatação porque não estava em trabalho de parto.

      Vou te dar um exemplo interessante, de uma figura pública. A mulher do Márcio Garcia ficou mais de um mês com a bolsa rompida, sabia? Ela esperou as contrações e o bebê, mesmo prematuro, nasceu naturalmente. Veja: http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/indicacoes-reais-e-ficticias-de.html.

      Você já ouviu falar em prematuridade iatrogênica? É, provavelmente, o que aconteceu com o seu bebê.

      • Graziela disse:

        Gabi, então será que no meu caso eu poderia ter esperado o TP? Não que eu esteja desconfiando do meu GO, que era humanizado, mas eu gostaria de saber o que realmente aconteceu e os riscos que realmente corri com a atitude tomada.
        Quando eu estava de 37 semanas e 4 dias, tive um parto normal por indução com ocitocina. A gravidez estava saudável. Acordei às 8h com a bolsa rompida, sem contrações (apenas um “peso” na barriga e cólicas muito leves). Saía pouco líquido. Ao chegar no consultório do GO, saiu um pouco mais de líquido e ele disse que se eu não entrasse em TP até as 17h, teria que fazer indução. Fiz um descolamento de membranas. E assim, fiquei até as 18h sem contrações, e às 18h comecei a tomar ocitocina (12 gotas por minuto) e fazer exercícios. O TP engrenou e meu bebê nasceu às 23h. O bebê nasceu muito bem, mas meio “cansadinho”, demorou 1 minuto pra se mexer e chorar, mas segundo o GO era normal. Eu poderia ter esperado o TP sem fazer indução? A reação do meu bebê foi devido ao uso da ocitocina? Obrigada.

  28. Ale Ribeiro disse:

    Gabi, gostei tanto que repassei na minha página do facebook. Em tempo, você podia fazer os 10 proibidos da amamentação também, né? Porque, vamos combinar, tá aí outro assuntinho que dá pano pra manga de tanta bobagem… 😉 Abraço grande, Alessandra.

  29. Paula disse:

    E a luta continua para ser a primeira, senão unica, entre todas as primas, amigas, conhecidas etc (que ouviram e acreditaram, em todos os 10 argumentos acima) a ter o parto desejado. Mas graças a Deus consegui achar equipe humanizada aqui no Rio, com muita pesquisa. Tenho total confiança que minha GO MARA humanizada, estudada, que pratica medicina baseada em evidências não vai me cortar a não ser que haja uma real necessidade. enquanto isso sigo muda e calada quando alguém fala a razão número 4 como se fosse a coisa mais natural do mundo, pq com esse tipo de razão nem dá para argumentar. Próximo!

  30. Marina disse:

    Amei o texto!
    Sempre discuti essa número 3! Como que o bebê vai sufocar se ele não respira pelo nariz/boca dentro da barriga??
    A da dilatação é campeã! Mas realmente não sabia que todas tinham! Como é bom nos informar!
    Beijos

      • Déborah Valente disse:

        Sobre essa questão, tenho uma dúvida: quando minha mãe teve meu irmão mais velho aconteceu essa situação de ele ficar com o cordão enrolado no pescoço e o bebê não saía de jeito nenhum normal, mesmo com dilatação, e o médico não fez uma cesárea de emergência por uma questão de segundos, pq ele conseguiu retirar o bebê normalmente. Mas ficaram sequelas sim, não por questões de asfixia, como você alegou, mas pq o cordão apertou o pescoço de forma tal que eu acredito que diminuiu o fluxo de sangue na região da cabeça dele ( tanto que minha mãe até pensava que o bebê tinha sido trocado, pq ele passou bem uma semana com a cabeça roxa e escura, e só depois ficou com uma coloração normal) e ele adquiriu problemas de comportamento por conta disso, ele sofre de hiperatividade, e detalhe, o médico nunca nos disse isso, mamãe só foi saber por que ele era problemático e que o arroxo do cordão tinha resultado nisso quando ele já era quase adulto, da boca do próprio médico. Se ela soubesse disso antes, ela teria tratado ele desde pequenininho e teria tido mais controle em relação aos sintomas e ao desenvolvimento da personalidade dele.

  31. Ivis disse:

    Gabi,
    Seu blog é 10! Sempre passo por aqui. Continue com seu bom humor e clareza sobre os assuntos.
    Depois me visite também…
    http://www.balaomagicodaivis.blogspot.com.br/

  32. valeria rezende disse:

    AMEI O POST. Quase tudo aconteceu comigo. Troquei de médico 3 vezes. Só encontrei um em quem confiar com 26 semanas de gestação. O primeiro médico queria me passar o conto do cordão enrolado. meu trabalho de parto durou 28 horas.Meu filho nasceu de parto normal, super saudável e veio direto pros meus braços. Foi o momento mais maravilhoso da minha vida.

    • Gabi Sallit disse:

      Ui! Não precisava de tudo, né!
      Não posso falar nada, somando as duas gestações, fiquei 3 dias em trabalho de parto, abandonei o médico com 36 semanas, já tive um bebê com 41, o outro nasceu com mais de 4kg… Sou quase um manual! Kkk

  33. Elisa disse:

    Gabi, visitei amigos com nenezica de semanas. Gestacao de 41s e 2d, tp de 8h com bolsa estourada. Os medicotudo e eles tb consideraram tudo rapido.
    Faz um post sobre gestacao “prolongada”. Posso dar meus 2 centavos no assunto.
    Minha doula que deve ter 1,67 m e eh magrela pariu 3 bebes de ca. 5 kg cada! Yes we can!
    Bjs!

    • Gabi Sallit disse:

      Com que idade gestacional o Rafa nasceu, Elisa? Esqueci!

      • Elisa disse:

        41 semanas e 2 dias! E talvez tivesse ido mais além se eu (por cansaco, esgotamento e inseguranca) nao tivesse aceitado uma inducao mecânica. Posso explicar direitinho, mas é basicamente colocar um balao/cateter que forca o colo do útero. É um método pouco invasivo novo mesmo aqui na Alemanha. Só aceitei porque nao usa hormonio ou medicao, nao aumenta a taxa de cesariana intraparto, nao precisa de internacao e nao dói. Minha doula já acompanhou um lindo VBAC induzido assim.
        Antes já tinha tentado acupuntura, chá, 3 hot, caminhada, descolamento de membranas. Cada dia era um plano. Nao é fácil a vida de gestante “atrasada”.
        Meu parto foi maravilhoso, natural e rápido, mas fiquei com o gosto amargo na boca de ter “escolhido” a data. Já aceitei que fui até onde eu podia e essa é a nossa história (que é linda!), mas talvez se desde o início eu soubesse DE VERDADE que gestacoes passam das 40 semanas eu teria conseguido lidar melhor com a ansiedade e ter tido mais paciência para esperar entrar naturalmente em TP.
        Bjs!

  34. marua laura disse:

    Um viva a democracia, livre expressao e tolerancia!!!!

  35. Laura Chagad disse:

    Minha mãe teve 3 filhos, todos por cesariana, pois ela não tinha passagem. Eu ja estou com 35 semanas e 5 dias, mais vou esperar o normal, minha GO falou que eu tenho passagem. Tomara que dê tudo certo, não quero uma cesariana.

  36. Luiza disse:

    nao existe minas!! Pelo amor de Deus!! É menos!! Se vc quer bancar a médica pelo menos conheça a língua portuguesa! Se não a credibilidade é zero, ne?!!!

  37. Kelly Frauzino disse:

    Amor à primeira vista com esse texto!!!!!

  38. Mariana disse:

    Gente, que ótima! A resposta do 4 foi uma das melhores.

  39. Bruna disse:

    E o mecônio? Meu médico disse que se demorar muito o trabalho de parto (mais do que 12 horas), existe grande possibilidade da minha filha fazer cocô dentro da barriga e isso significa sofrimento fetal, e consequentemente ele terá que fazer a cesária.

    • Gabi Sallit disse:

      Esqueci o mecônio, o cocô assassino. Argh, vou ter que aumentar a lista!!

      • Bruna disse:

        Então o que ele falou do mecônio é bobagem?

        • Elisa disse:

          Bruna, vou responder porque sei que Gabi dá essas liberdades e deve estar apertada de costura!
          Sofrimento fetal só pode ser diagnostificado quando os batimentos cardíacos do bebê saem de um nível tranquilizador. Outras coisas nao sao levadas em conta por uma equipe de atendimento realmente atualizada conforme a medicina baseada em evidências científicas.
          Ter mecônio (que nao é nada contaminado) só quer dizer que o bebê está maduro. O bebê trabalha bastante durante o TP e o útero comprime mesmo o corpinho, entao nao é difícil de imaginar que, além das vias aéreas, o intestino também seja esvasiado nesse processo.
          Tenho várias amigas aqui na Alemanha que pariram lindamente com muito mais que 12h de bolsa rota e amigas no Brasil que foram cesareadas contra seu desejo inicial pois a bolsa estava rota a muito tempo(menos de 6h) e o médico fez “terrorismo”.
          Vai atrás e te informa. Teu bebê só vai nascer uma vez, tu nao vai se arrepender um segundo de gastar tempo, neurônio, paciência e talvez dinheiro para ter um bom parto!

  40. Gabi Ramalho disse:

    Perfeito!!!
    Pra imprimir e sair “panfletando” por aí!!! Hehehe

    Você arrasa, Gabi!!!

  41. GABRIELA ARRUDA LEITE disse:

    Gabi, não foi à toa que te amei desde o primeiro dia!

  42. Carol Dória disse:

    Simplesmente fantástico….. O mundo precisa de várias Gabis…. Bjs :*

  43. Gente, e pra que saber se tem dilatação ou não com 38 semanas? Se tiver periga você entrar em TP relâmpago e o bebe escorregar vagina a baixo, se estabacando no chão? Eu já correria desse médico que quisesse me dedar com 38, 39 ou 40 semanas.
    x

    • Gabi Sallit disse:

      Nívea, outro dia achei o cartão de gestante da gravidez do João, do pré-natal com GO fofo. Comecei a consultar com ele no 2o trimestre e recebi 13 exames de toque. 13 em seis meses. Explica isso, pelo amor de deus!!!! Eu tinha muito pouco apego à minha vagina, né?

  44. Maitê disse:

    Mulher vc é FODA!!! E mais que isso, inteligentíssima além de MUITO bem informada!! Um murro bem dado na cara de muita mulher que fala tanta merda que dá até sono…

  45. Vania Lucena disse:

    Kkkkkk, adorei o senso de humor!

  46. Milena Gil disse:

    Simplesmente AMEI!!!!!

  47. Thami Hull disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkk
    adorei !
    Eu troquei de médico no oitavo mês…
    mas o número 7 eu ainda penso um pouco o fato de eu está super acima do peso..acho que dificulta na hora de procurar posições confortáveis pra parir…mas…

  48. Isabela disse:

    “Seu bebê não é atum em lata” = genial!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>