A Danone, a Margarida e a Pais e Filhos deviam se enterrar num buraco de leite em pó

Que a publicidade é uma terra sem lei, eu já sabia. Que a relação entre o jornalismo e a propaganda é, muitas vezes, promíscua, não é segredo para ninguém. Mas nunca perdemos a oportunidade de nos chocarmos, né, minha gente? Às vezes o povo capricha!!!!!
Vou contar um caso: a Danone quer vender leite em pó. A Pais e Filhos está apertada de dinheiro, afinal, publicações muito melhores andaram fechando. Uma roteirista da Globo quer fazer uma fezinha. Então, unem-se os interesses para propagar a ignorância na internet, sob a indecente forma de publicidade disfarçada. Feio, né??? Horroroso!
Se você está neste mundo, ouviu falar, nas últimas 24 horas, de um post BIZARRO, publicado no site da revista, com o título de “Leite em Pó”. A autora, assumindo a voz de um bebê fictício, a pobre coitada da “Margarida”, diz que está passando fome, que o leite da mãe é pouco, ela precisa é de leite em pó. Só faltou falar que o Milnutri vale por um bifinho. Para coroar a ignorância com preconceito, Margarida deposita sua fé na empregada doméstica, que vai lhe dar a mamadeira escondido da mamãe. Afinal, as domésticas são aquelas que chamam Maria e, além de ignorantes, agem em surdina, né! Grotesto²!
Sabe a razão da Danone não informar que o post é patrocinado? Além de querer contar com a credibilidade da Pais e Filhos e da “Margarida”, a indústria alimentícia não pode dizer que o leite artificial é melhor do que o materno. Isto é ILEGAL, ofende a lei 11.265/06, além de absolutamente falso. Eu ia destacar aqui os artigos da lei que são violados, mas não teve jeito, amiguinhas, porque é a lei toda que é jogada no lixo!!!
É por estas e outras que temos estatísticas tão bizarras de amamentação . Ainda bem que azativista sanguenozoio estão de olho, e encheram o post com mais de 3.500 comentários sobre a indecência daquela postagem. Rapidinho o banner da Danone sumiu da página! Ainda bem que somos espertinhas e tiramos um print, né, colegas?

Danone, Pais e Filhos e Margarida

 

Para mim, não basta encher o saco da revista. Então, amiguinhas, já que dizem por aí que a publicidade é autorregulável, que tal lotarmos o site do CONAR com a nossa indignação???

Eu sou bacana e já adianto o serviço para vocês!!! Basta entrar no site do CONAR e preencher o formulário de denúncia. A parte mais chatinha, que é a narrativa dos fatos, quem está ocupado de costura pode copiar daqui:

Em um post patrocinado no site da Revista Pais e Filhos, denominado Leite Artificial, de autoria da Sra. Mariana Reade (http://revistapaisefilhos.uol.com.br/blogs-e-colunistas/bebe-blogando/ha-um-ano-atras-leite-em-po), sem declarar a publicidade, a empresa Danone (inscrita no CNPJ sob o n. 23.643.315/0001-52, com endereço na Av. Paulista, 2300 5o Andar Cerqueira Cesar, São Paulo/SP, Cep: 01310-300) faz propaganda contra o aleitamento materno, ofendendo diversos artigos da Lei 11.265/2006, que regulamenta a comercialização de alimentos para lactentes.

A imagem do leite artificial Milnutri estava associada ao texto, no final e ao lado direito do post (a imagem foi retiradado site, mas temos prints). Além da publicidade disfarçada, por si, já condenável, a propaganda dissemina informações falsas e preconceituosas contra o aleitamento materno.

Requeiro urgentes providências.”

Que coisa feia, Danone!!!! Que horror, Pais e Filhos!!! Espero que vocês tenham muitas cólicas de verdade, destas causadas por leite em pó – e azia, enjôo, joanete, dor de dente, queda abrupta das vendas…

 

Pós-post:

Olhem a resposta do Conar, recebida em 12/12/13:

“Prezado(a),

Em atenção à queixa enviada, relativa a eventual publicidade irregular do produto Milnutri, do Anunciante Danone, especialmente pelo fato de aparecer ao lado de texto que desmerece ou diminui a importância da amamentação, cumpre informar que o CONAR instaurou, no dia 04/12/2013, a representação n° 320/13, na qual é examinada a campanha do produto em diversos Blogs.

Cabe registrar, entretanto, que não há comprovação de que referido texto constitui matéria publicitária. E, sendo conteúdo editorial, fica fora da competência do CONAR. O que podemos analisar é a inserção do anúncio do Milnutri ao lado da matéria denunciada.

Além do pedido de concessão de medida liminar a ser apreciado pelo Relator do processo, a decisão, assim que exarada, será divulgada no site www.conar.org.br

Outrossim, agradecemos a colaboração tão relevante de V.Sas.

Atenciosamente,

Secretaria do CONAR”

A que conclusão vocês chegam? Dá para confiar na autorregulamentação da publicidade??

Sei não, viu… Tô cada vez mais fechada com as meninas do Infância Livre de Consumismo…

 

Crie o site do seu Neném

Sobre Gabi Sallit

Gabriella Sallit virou Gabi ainda pequenininha. E, para não ter um filho que tivesse que explicar a vida inteira a grafia do seu nome (aprendeu a falar "meu Gabriela é com 2 Ls" antes de papai e mamãe), escolheu um nome pequenininho para o seu filhote. João está começando a falar e já escolheu como prefere ser chamado: Jão!

VENHA, e CONECTE-SE COM A VILA!

Receba as novidades em primeira mão!

Esta entrada foi publicada em Amamentação, Imprensa e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

167 respostas a A Danone, a Margarida e a Pais e Filhos deviam se enterrar num buraco de leite em pó

  1. Ludmila disse:

    Olá….bom a primeira vez que venho aqui sabe vi um link no vida materna e achei bem interessante a sua abordagem e visão das coisas…bom enfim……acredito que nao seja como vc ou outras maes aqui que tiveram parto natural ou normal eu tive uma cesária e segundo meu médico graças a DEUS……entrei em trabalho de parto como eu queria e quando tirarm minha bb ela ja tinha eliminado meconio então graças a DEUS foi cesárea enfim…..amamentação pra mim foi natural apenas comprei um bombinha para ajudar a esvaziar o peito e só…….aos 4 meses tive que começar dar a mamadeira com LM na vdd a tentar pois com 6 meses voltaria a trabalhar……entao foi a coisa mais dificil e triste que ja fiz ….mesmo com meu LM eu chorei mto e minha filha tbm….pensei em jogar tudo pro ar e ficar com ela amamentando e em casa…mas minhas condições financeiras nao permitiriam….entoa insisti e aos 6 meses ela pegou a mamadeira……olha ela nao largou o peito nunca rejeitou ama de paixão e mamadeira so uma por dia e de 120 ml e só….no começo eu esgotava mtoo meu LM jogava tudo fora pois tirava no banheiro ahhh como eu ficava triste gente…..mtoo triste pois éra 200 ml de LM por dia depois tirava uma vez 150 ml e hj nao esgoto mais….sofri um bocado…hj minha bb tem 1 aninho fez dia 03/12 e ainda mama no peito…duo mais mamadeira mas so como complemento…ela mama mto pouco formula somente quando nao estou ou quando vejo que esta com fome e mei leite ja nao produz tanto……mas estamos felizes assim…..tive que encontrar meu equilibrio……entre o industrializado e o natural…..mas está tudo bem minha filha é saudavel nao fica doente da pra contar nos dedos de uma mao as vezes que ficou…nem refriado tem nada…..e adora mamar no tete me pede e faz carinho vou amamentar ate quando a BEATRIZ quiser e niguem tira isso da minha cabeça…….as vezes fico insegura com meu LM (até hj) e pensando se devo dar mais mamadeira……imagino mamaes que tem dificuldades em amamentar como li relatos aqui no seu blog…e aí vem uma revista de grande circulação e de nome e faz uma matéria dessas……é de devastar qqr mae com duvidas ou com receios…….o que nao se faz por dinheiro nao é mesmo?? o ser humano ultrapassa todos os limites por dinheiro…….poder…absurdo…

  2. Pingback: Uma discussão ecológica sobre o nascimento de um bebê humano e sobre o aleitamento materno | Eco Maternidade

  3. Ana disse:

    O que podemos fazer? Fiz a denúncia do Conar e recebi a seguinte resposta (achei a postura deles bem legal):

    Prezado(a),

    Em atenção à queixa enviada, relativa a eventual publicidade irregular do produto Milnutri, do Anunciante Danone, especialmente pelo fato de aparecer ao lado de texto que desmerece ou diminui a importância da amamentação, cumpre informar que o CONAR instaurou, no dia 04/12/2013, a representação n° 320/13, na qual é examinada a campanha do produto em diversos Blogs.

    Cabe registrar, entretanto, que não há comprovação de que referido texto constitui matéria publicitária. E, sendo conteúdo editorial, fica fora da competência do CONAR. O que podemos analisar é a inserção do anúncio do Milnutri ao lado da matéria denunciada.

    Além do pedido de concessão de medida liminar a ser apreciado pelo Relator do processo, a decisão, assim que exarada, será divulgada no site http://www.conar.org.br

    Outrossim, agradecemos a colaboração tão relevante de V.Sas.

    Atenciosamente,

    Secretaria do CONAR

  4. Érika Domingues disse:

    Resposta do CONAR sobre a denúncia…lamentavelmente não deve gerar problemas a DANONE
    mais, continuamos de olho!

    Prezado(a),

    Em atenção à queixa enviada, relativa a eventual publicidade irregular do produto Milnutri, do Anunciante Danone, especialmente pelo fato de aparecer ao lado de texto que desmerece ou diminui a importância da amamentação, cumpre informar que o CONAR instaurou, no dia 04/12/2013, a representação n° 320/13, na qual é examinada a campanha do produto em diversos Blogs.

    Cabe registrar, entretanto, que não há comprovação de que referido texto constitui matéria publicitária. E, sendo conteúdo editorial, fica fora da competência do CONAR. O que podemos analisar é a inserção do anúncio do Milnutri ao lado da matéria denunciada.

    Além do pedido de concessão de medida liminar a ser apreciado pelo Relator do processo, a decisão, assim que exarada, será divulgada no site http://www.conar.org.br

    Outrossim, agradecemos a colaboração tão relevante de V.Sas.

    Atenciosamente,
    Secretaria do CONAR

  5. Helena disse:

    Fiz a denúncia e copiei e colei. Que tal no MPF tb?!

  6. Estou chocada. QUE ABSURDO!! Nós, profissionais de saúde, prezamos sempre por incentivar as mães à amamentarem e insistirem quando ainda tem jeito. É um desserviço para a população um veículo de “credibilidade” e uma marca famosa disseminarem esse tipo de informação equivocada. Um absurdo!! Já fiz minha parte denunciando. Bjs!!

    maternidadenodiva.com

  7. Lea Hikawa disse:

    Oi Gabi, to esperando minha menininha pra fevereiro e se td estiver nos conformes, vou ser uma “hippiezinha” do parto normal e na moda da amamentação exclusiva 😛 estou pesquisando se a mamadeira com leite materno é uma boa ou não (caso o papai esteja mais inteiro que a mãe em algum momento do dia ou da noite, com coleta / armazemanto etc) tem algum post ou artigo que ajude nesse tópico?
    Achei seu blog apos ter visto esse horror de matéria ou propaganda sei la… só mais um comentário, mas tenho medo desse povo que curte a Danone tanto assim, parece Fla / Flu gente… eu hein…

  8. Anne disse:

    Um grande pqp! Eu como médica fico todo santo dia falando das vantagens do aleitamento pro povo, e, de novo, mais uma vez, vem essas empresas fdp dizendo que o leite das mães são fracos, que a formula salva vidas e bla bla vla. E pior: ver gente aprovando e batendo palmas, opinando com achismo e “eupirismo”.
    Tem que rir de gente que acha que leite se resume a um liquido branco.

    A primeira vacina que a criança toma na vida se chama LEITE MATERNO. E isso formula alguma vai conseguir imitar.

    Muito bom o post. Serve pra ajudar os profissionais da saude e mães vigilantes por um crescimento saudavel de seus filhos.

  9. Maria Lua disse:

    Meu Deus, fiquei chocada! Não sei se mais pela falta de ética ou pela falta de senso em fazer uma publicidade descabida dessas!!
    Fui amamentada exclusivamente por não sei quanto tempo exatamente, mas foram seis meses ou mais, e até meus quatro anos minha mãe manteve o peito. O resultado? Nunca precisei de médicos, nunca tive alergias e até na formação dentária interferiu! E isso levando em conta que logo depois do parto o leite da minha mãe empedrou e o bico do seio rachou, mas minha avó muito sabiamente insistiu para que ela continuasse.
    E queria muito saber uma coisa Gabi, a falta de aleitamento materno tem relação com intolerância a lactose? Ultimamente quase todo bebê que nasce na minha família tem essa intolerância que até então nunca tinha aparecido na família, e todos eles foram pouco amamentados (como virou costume agora, infelizmente).

  10. Isabelle Jácome disse:

    Gabi, o texto foi retirado do site (VIVA), mas não é a primeira vez que a revista dá mancada. “Ainda bem” que a revista não quer perder dinheiro e “acordou”.

    “Como demonstra nosso histórico de 45 anos, Pais & Filhos defende a amamentação como melhor maneira de alimentar o filho, seguindo a orientação da OMS (Organização Mundial da Saúde) e do Ministério da Saúde.” Vamos acreditar, claro. Como diz a moda, só que não.

    http://revistapaisefilhos.uol.com.br/na-midia/erramos

  11. Ana Luisa disse:

    Ja denunciei!
    Eu fui uma dessas. A ser enganada e acreditaríeis meu leite não era suficiente. A ter minha filha perdendo peso nas primeiras semanas e acreditar que era minha culpa, culpa do “leite fraco”. A complementar o que não havia necessidade de ser complementado.
    E só agora aos oito meses de vida eh que finalmente estamos conseguindo nos livrar de vez desse leite artificial.
    Que matéria chinfrim. Publicidade disfarçada, descabida e revoltante.

  12. leticia disse:

    Não é a primeira vez que a Pais e Filhos faz dessas.
    http://infancialivredeconsumismo.com/index.php/carta-aberta-a-redacao-da-revista-pais-filhos/

    O negócio é boicotar a revista, protestar contra até que eles aprendam a ser éticos como manda o jornalismo.

  13. Rebeca Sanches disse:

    Na vdd a formula infantil (vulgo leite em pó, leite “artificial”) da Danone nao eh o Milnutri, eh o Aptamil. Equivalente ao Nan.

  14. Maria Tristao disse:

    Gabi, muito bacana, obrigada pela iniciativa! Esses dias li um texto que tem tudo a ver com esse momento (pena que está em espanhol, mas coloco aqui pra quem se interessar: http://mammalia.info/las-primeras-denuncias-de-las-practicas-comerciales-agresivas-contra-la-lactancia-materna/). O artigo conta a história de Cicely Williams, uma das primeiras vozes no mundo contra a publicidade enganosa das fórmulas, e conta como o uso de fórmulas está associado a um aumento da mortalidade infantil. Principalmente em regiões pobres, essa propaganda enganosa se traduz em muitas mortes. Essas empresas são verdadeiras assassinas. É hora da gente atuar mesmo, todos juntos somos fortes!

  15. Fernanda Lino disse:

    Gabi,
    Parabens pelos seus posts. Sao otimos!
    Nao existe leite fraco. A diferenca ‘e que o leite em po derruba o bebe… Experimenta bater um prato de feijuca de lanche da tarde todo dia, sem dispensar o jantar a noite, e vai ver se nao ganha peso tambem… dai a dizer que isso ‘e saudavel…
    O “pouco leite” se deve ou a pouco sono da mae (ou nervosismo/agitacao) ou a pouca ingestao de agua ou a pouco estimulo efetivo do seio (as vezes uma pega ruim vai estimulando pouco)…
    E por ultimo, ha que ser muito ingenuo para nao ver nada de tendencioso na materia…

  16. Giulia disse:

    Forever mimimi…. Amamentem sim, isso é o melhor para os seus bebês sem duvida. Não julguem aqueles que precisam dos leites sejam eles da nestle, danone, etc.
    E mais, muita gente precisa de informação antes de fazer um post como esse.

    • Giulia disse:

      E vc ainda se julga uma pessoa informada sobre aleitamento artificial, os posts são moderados…. Muito imparcial vc. De vdd, passe um tempo num consultório de pediatria e escute oq as mães dizem para os pediatras sobre amamentação…

    • Gabi Sallit disse:

      Vc leu o post, Giulia? Quem aqui está julgando quem dá leite artificial? Estamos falando de propaganda ilegal e disfarçada.

    • Mariângela disse:

      Muita gente precisa de informação sim! Principalmente sobre a importância da amamentação, para se sentir segura para dizer NÃO ainda na maternidade, antes de parir deixar avisado que NÃO quer que seu filho tome um complemento assim que sair da sala de parto, que amamentação na primeira hora de vida é proteção sem demora! E o leite artificial é para casos muito específicos, que a maioria das mulheres pode amamentar e que ‘forever mimimileite’ é o tal do leite fraco.

  17. Acabei de fazer a denúncia no Conar. (sim, mesmo sabendo que eles enrolam, me sinto obrigada a cumprir meu papel; se todos fizessem isso, talvez a situação mudava de figura…)

  18. Michele Borges disse:

    Olá, pra fazer a denuncia eles perguntam se é revista, internet, etc.. Devo colocar o que? Se for revista ele pede a data e a edição, se for internet pede o site. Não tenho nenhuma dessas informações. Se alguém puder me repassar, agradeço!!

  19. jucelia ferreira disse:

    Muito bom o texto, já denuncei. Um abraço.

  20. Aline disse:

    Longe de mim ser ativista de qualquer coisa no quesito maternagem, ao contrário, tenho minha opinião e não levanto nenhuma bandeira. Minhas filhas mesmo não mamaram por questões bem particulares e vejo que errei um pouco por falta de informação mesmo (coisa que hoje tenho de sobra)
    Mas olha, realmente essa matéria ultrapassou os limites do bom senso!!! É quase um teste de ignorância, porque ler e achar que não tem nada por trás disso… Só sendo muito alheio mesmo para acreditar!

  21. alerib disse:

    Gabi, excelente iniciativa, obrigada.

    Tenho escrito muito sobre amamentação no blog, se quiser dar uma olhada.

    http://barrigadebebe.com/2013/11/29/o-que-aprendi-sobre-a-amamentacao/

    Um abraço.

  22. Miriam disse:

    Aproveito para registrar um fato que pessoalmente considero grave : as novas sobremesas para bebes, lançadas pela Heinz, contém açucar. Não é indicado ministrar açucar para bebes, e esta informação está lá nos ingredientes, em letras minúsculas que ninguem le até pq quem vai desconfiar que esta marca iria produzir um alimento nocivo à saúde? Mamães, fiquem atentas.

  23. Gabi, texto incrível, movimento indispensável. Ainda bem que existem “azativistas sanguenozóio” pra protestar contra uma babaquice dessas! Denunciei no site do CONAR e divulguei seu post na fan page do meu blog.

    beijo grande e vamos em frente!

    http://www.mulherquecorrecomlobos.com.br

  24. Ane disse:

    Tenho um filho de 2 anos e não pude amamentar, fiz de tudo pra aumentar o leite, ,tomei remédio, chás, spray nasal, mas não teve jeito….Infelizmente com 2 semanas parti pra mamadeira…Eu chorava cada vez que via alguém outro dando mamadeira pro meu filho, me sentia a pior mãe do mundo em não poder alimentar e via amigas com o peito cheio de leite pedindo remédio pro médico pra secar o leite, pq tavam de saco cheio do bebê pendurado no peito..
    Graças ao leite em pó, o NAN no meu caso, meu filho começou a engordar, a dormir melhor e aos poucos fui me acostumando e aceitando a idéia de que pelo menos dessa vez não pude realizar o sonho de toda mãe, que é poder amamentar…

    • Gabi Sallit disse:

      Querida, aqui é um lugar para encontrar apoio. Vc pretende tentar de novo, com eventuais outros filhos? Conhece os blogs De Peito Aberto e Mamadeira Nunca Mais?

      • Ane disse:

        Sim, pretendo ter outro filho e buscar mais informação..
        Acho que o assunto amamentação deveria ser mais discutida entre obstetra e gestante…Infelizmente a realidade é outra!!! Fiz todo pré natal, várias ecografias pra ver o bb, e outros tantos exames, mas nessa parte hj vejo que fui mal orientada e mal preparada pela médica…

  25. Luciana Sarmento disse:

    Oi, Gabi!

    Entrei no site do Conar e registrei minha queixa.
    Isso precisa ser feito, e os meios de comunicação precisam aprender a ser mais honestos… Se nada fizermos, nada acontecerá…

    Obrigada pela informação e pelo gesto.
    Abraço!
    Luciana

  26. Gabriela disse:

    Parabéns! disse tudo!

    e para aquelas que dizem que o leite materno “não sustenta”, impossível! ainda mais quando se diz que se doa o leite, mas o filho não se sustenta. Dica: é preciso esvaziar bem uma mama antes de oferecer a outra. O leite posterior é o que contém maior quantidade de gordura, e portanto, o que “sustenta”. FIca a dica. E quanto a matéria da revista..sem comentários… é melhor estudar primeiro antes de querer discutir e dizer inverdades sobre um assunto tão sério!!

  27. Gilse disse:

    Fiz a denúncia ao Conar. Parabéns pelo texto!! bjs

  28. mariangela disse:

    Como já comentaram tive 03 filho, 02 meninas e 01 menino foram 02 partos normais e 01 cezária, tive muito mas muito leite até doei para o banco de leite da maternidade mas mesmo assim meu leite não foi suficiente, tive de complementar na época o mais indicado era o Nhan, e teria ficado louca se não tivesse optado por uma segunda alimentação pois enquanto não complementei não tinha o qua satisfizesse a fome dos meus pequenos, isto porque todos mamaram mais de nove meses no peito, meus netos também precisaram de complemento do leite em pó e o melhor adaptado foi o leite da DANONE sim senhora, ele não interfere em nada no metabolismo (das crianças que são alimentadas com este leite), e acho que a senhora está fazendo tempestade em copo d’agua, e por falta de assunto, sempre fui consumidora em toda linha DANONE, e mesmo Nestlé em matéria de Iogurte até mesmo de leite em pó não supera. Cada um tem sua opinião e devemos respeitar, o que pode ter acontecido é que a agencia publicitária tenha exagerado neste tal Baner, e a empresa deve rever os métodos desta agência ou até mesmo substituíla.

    • Gabi Sallit disse:

      Mariângela, há consenso científico que o leite materno é o melhor alimento para bebês até seis meses. Não é verdade que “ele não interfere em nada no metabolismo”. Há altíssimos índices de intolerância aos leites artificiais, até porque eles são leite de vaca.
      Não é ético fazer propaganda disfarçada. A Danone sabe disto, tanto que tirou o banner do ar. A revista e a blogueira tb sabem, tento que o post também saiu do ar.
      Tenho amplo respeito pela opinião alheia. Por mim, você pode consumir o iogurte que quiser. Só não tolero o desserviço e a disseminação da ignorância.

  29. Pingback: Crise nas redes sociais – caso Revista Pais & Filhos_Jornalismo Digital.org | Jornalismo Digital.org

  30. Elisa disse:

    Fiquei passada com o texto da Margarida. Que texto mais horroroso, além do conteúdo sofrível é muito brega (eu como cientista me senti ofendida pelo machismo como colocaram meu trabalho!). Adorei os comentários, claro que teve umas com discurso “menasmain”, mas ainda bem que foram poucas, acho que devagarinho há o entendimento que o problema nao sao as maes que deram LA ou fizeram uma cesariana, mas sim o sistema que transformou a custa de muita mentira o que era pra ser a excessao na regra e ainda vem falar de ditadura ou moda da amamentacao e PN (?!). Muito obrigada pelo teu trabalho!

    • Gabi Sallit disse:

      Hum… Acho que o recorte dos comentários te induz a erro, Elisa. São as ativistas que estão ali.
      Muita gente com dó da Danone, ainda. Mesmo aqui.

      • Elisa disse:

        É Gabi, depois do meu comentário entrou alguns bem cheios de mimimi. Nunquinha vou entender na vida alguém que tenha pena de uma indústria do porte da Danone em detrimento de uma coisa tao séria e com tao pouco apoio como a amamentacao.

  31. Érika Domingues disse:

    Fiquei irritada, porque eu sei o que passei para amamentar meu filho, encontrando gente sem as informações corretas, ainda bem que colocarão os anjos do leite no meu caminho e meu lindinho mamou!
    ……………………………………………..acabo de enviar a reclamação!
    Reclamação enviada com sucesso!
    O CONAR agradece o seu contato.

    ABSURDO esse tipo de reportagem!

  32. Caio disse:

    caros(as), no caso dos blogs (não da revista) existe uma nova atividade econômica no mundo virtual onde empresas criam perfis falsos de pessoas e começam a fazer um blog com posts que parecem reais. É uma editora de revista do mundo moderno/virtual, onde faz contratos de longo prazo com agências de publicidade. Se der algum problema, o fabricante diz que não tem nada com isso. A agência de publicidade blinda o fabricante e diz que o blogueiro pisou na bola. Outro ponto, Blog de verdade usa BlogSpot, WordPress e outras plataformas que são transparentes em relação à publicidade. No caso do http://www.askmi.com.br é claro que é um espaço para press-release. Tenho dúvidas se e personagem que aparece ali como autora existe. Internet é uma selva… e a bússola precisa estar na sua mão.

  33. jessica kottke disse:

    Olhe, minha filha ficou até aos 6 meses apenas com o leite materno, e até um ano e cinco meses comendo de tudo, mamando mamadeira e na hora de dormir o peito.
    E realmente, esses leites em pó não fizeram a diferença. A minha filha não deixava o peito encher então tomei um remédio para me ajudar a produzir mais leite, mas em nenhum momento quis que ela trocasse o peito por esses leites químicos.
    E realmente o leite materno ajudou até na conjutive que ela teve logo depois que nasceu. E hoje tenho certeza que ela dificilmente fica doente em questão do peito. Uma coisa eu faço que é errado por estar tirando ela do peito, mas uma vez ou outra eu do o peito para ela (quando ela chora muuito, tipo, muuito mesmo)

  34. Armando Divan disse:

    Acho engraçado que tem sempre alguém para refutar o argumento e dizer que não há nada de mais no abuso ao direitos do cidadão. Como a internet é terra de ninguém, não vemos olho no olho e nem conhecemos as pessoas nem se seus interesses são isentos não é possível saber se as pessoas acreditam mesmo no que postam ou é má-fé.
    Mais escandaloso ainda do que isso, são médicos que sem a menor cerimônia e sem fazer um diagnóstico correto fazem a recomendação da amamentação suplementar com esses leites em pó. Caso que aconteceu com minha primeira filha.
    A propaganda além de estúpida do ponto de vista científico e de saúde é pra-lá de machista, pois afirma que os cientistas são HOMENS que inventam coisas novas. Sabendo, atualmente, que talvez a maioria dos cientistas de certas áreas como biologia e biomedicina são MULHERES, é bem capaz de muitas pessoas também acharem que não há nenhum viés machista na afirmação da propaganda. Sinal de que a propaganda alia a desinformação com a ignorância para disseminar ideias velhas e preconceituosas com o único objetivo de ganhar dinheiro fácil.

  35. Julia Lazaro disse:

    Me desculpem mas acho tudo isso muito exagerado. O texto em nenhum momento falou para trocar um leite pelo outro, mas sim de complementação pq tem muitos bebês que passam fome mesmo. Meu filho com 5 meses acordava de meia em meia hora de noite qdo estava no peito para mamar. Com um mais velho em idade escolar que mãe aguenta noites assim? Então, o tão ruim na opinião dos radicais leite artificial foi a minha opção na manada noturna. E tem mães que não podem amamentar por diversos motivos e são vilões como o leite da Danone que salvam a vida destes bebes. Me cansa demais o radicalismo pró peito, pró parto normal e etc. Cada mãe sabe onde o calo aperta e devem sim existir textos dizendo que olha vc não amamentou, mas não se culpe, o leite artificial existe e vai te ajudar. Este mundo do politicamente correto é muito hipócrita e cansativo. Ninguém mais tem coragem de assumir que não curtiu amamentar ou que fez uma cesárea eletiva pq vem um monte de mãe que se acha mais mãe pq ficou com o bebê até seis anos de idade no peito ou pq fez parto normal sem analgesia julgar essas mães. Ser mãe é no dia a dia e não nas escolhas isoladas.

    • Gabi Sallit disse:

      Querida, se você não quis amamentar, ou escolheu cesárea, não é aqui que será julgada. Nem penso nisso.
      Meu tempo é pouco para pensar em milhares de mulheres que queriam parir e foram enganadas por argumentos que nada tem de científicos. Nas que sonhavam em amamentar e foram desestimuladas, ou não encontraram apoio. Este espaço aqui é delas. Para serem acolhidas com a verdade, com senso crítico, para que consigam escrever uma outra história, no futuro, ou ajudem outras mulheres a fazê-lo.

    • Armando Divan disse:

      Acompanhei de perto o aleitamento de meus dois filhos. A minha filha mais velha devido a um diagnóstico apressado de um médico que não recomendava o aleitamento materno foi recomendado que recebesse suplementação com NAN até completar um ano. Acabou com 1 kg de sobrepeso até o primeiro ou + anos de idade, além de dificultar bastante a introdução de outros alimentos sólidos. Trocamos de pediatra, mas o estrago já estava feito, pois o diagnóstico inicial não levou em conta outros fatores que poderiam estar atrapalhando a relação mãe e filha. Nosso segundo filho, mamou no peito até completar dois anos e não precisou suplementação. Atualmente na adolescência minha filha está acima do peso ideal para a sua idade e tem uma alimentação inadequada que foi mal orientada desde o início por sermos inexperientes, era nossa primeira filha e por termos azar de pegar um médico ruim, mesmo ele sendo considerado um dos melhores da cidade.
      Hipócrita na verdade são pessoas que acham que podem viver sempre o melhor dos mundos e que suas opções A ou B não terão consequência nenhuma posteriormente. Todas as opções sempre terão aspectos positivos e negativos, cabe sempre pesar ambos e fazer uma análise de custo-benefício e ver qualquer a que menos prejuízo dá. Nesse caso também vale a máxima de que é melhor prevenir do que remediar, até porque é mais barato e mais eficiente. Há um pequeno texto atribuído ao Dalai Lama que os homens perdem a saúde para juntar dinheiro e depois o gastam para recuperar a saúde, se é dele mesmo eu não sei, mas é bem apropriado.
      Para mim, parece que a seleção natural de nossa espécie já facilitou as coisas, pois a milhares de anos o meio selecionado pela evolução foi o aleitamento materno. Portanto, o artificial deve ser usado com ponderação apenas naqueles casos em que a condição natural não supre as necessidades alimentares do recém-nascido.

  36. Brenda disse:

    Espero que eles não fiquem impunes!! Foi o maior absurdo que eu já li na minha vida! Pior q escutar conselho de vizinha intrometida!!! Espero que eles paguem caro!!! #indignada

  37. Ana disse:

    Não vi nada demais na publicidade… Em nenhum momento a publicidade indica que o aleitamento materno deve ser substituído pelo leite em pó, apenas dá a alternativa para o caso das mulheres que tem o leite fraco. E elas existem, fato.

    • Gabi Sallit disse:

      Ana, o problema, inicial, é ético. Propaganda disfarçada é moralmente condenável (melhor prova não há do que a Pais e Filhos ter tirado o banner tão logo o CONAR recebeu as primeiras denúncias).
      Quanto ao “leite fraco”… A ciência não confirma isto. 90% das mulheres brasileiras não conseguem amamentar exclusivamente até os 6 meses. Será que 90% da nossa espécie é inapta a alimentar seus filhos? Como chegamos até aqui, como mamíferas? Temos um problema cultural, de falta de apoio, despreparo de profissionais e interesses econômicos envolvidos. A Nestlé patrocina a Sociedade Brasileira de Pediatria. Acha isto decente?

    • Juliana disse:

      Leite fraco NÃO existe. Estude um pouco antes de dizer esse tipo de coisa.

      Bebê que não ganha peso, na maioria das vezes, tem uma de três coisas:
      – mãe que amamenta apenas a cada 3 horas, em lugar de amamentar em livre demanda, ou que não permite que a mama seja esvaziada (troca de seio a cada x minutos)
      – pega incorreta, extraindo quantidade insuficiente de leite independente da produção da mama
      – alergia a leite de vaca e/ou outros alimentos ingeridos pela mãe.

    • vanir cardoso de oliveira reznde disse:

      Tive cinco filhos e amamentei todos no peito. fiz as contas e vi que amamentei por doze anos, nuca ficaram doentes e nem pediatras eles tinham.Sei, que na Europa a Nestlé e a Danone sãomuito criticadas pelas ativistas e concordo, pois tudo que é da Nestlé se tornou mais conceituado. É pura enganação. Leite de vaca sofisticado, igual a qualquer outro, repleto de antibióticos, hormônios, vacinas bovinas, carrapaticidas e muito mais. E paga-se um preço absurdo. O leite Aptimil
      é acrescido de óleo de girassol e outros,mas será que é óleo prensado a frio? Duvido.Coitadas das nossas crianças!!!

  38. Dani disse:

    Gabi, olha o que acabo de ver: um publipost mal disfarçado aqui http://www.askmi.com.br/2013/11/a-escolha-do-melhor-composto-lacteo.html
    Já denunciei
    Beijos

  39. Eliana disse:

    Fiquei indignada ontem quando o post. Além da falta de respeito com todas as campanhas (importantíssimas) sobre aleitamento materno, o texto era muito escrito, num tom totalmente prepotente, arrogante e mentiroso. Que alívio ver tantas outras mulher igualmente indignadas.

  40. Marcela disse:

    Olha ainda não sou mãe, mas fiquei imensamente horrorizada com isso, é de não acreditar que uma empresa que se diz tão seria, tenha permitido uma publicação tão infeliz como essa. Uma publicação que do inicio ao fim é um grande deboche da sociedade entre outras entidades que sabem que não existe nada que substitua o leite materno.
    é revoltante!!!!

  41. Karla Moraes disse:

    E já surtiu efeito, o post foi tirado do ar!

  42. Ana Carla Roque Brunhara disse:

    Parabéns pela iniciativa!! Onde fiquei tão brava quando li que respondi pra eles exatamente me referindo ao suborno que eles estão recebendo pra acabar com um trabalho tão sério e importante como é o incentivo ao aleitamento materno!!!

    Resumindo queria te agradecer por mostrar que existe tanta gente decente nesse país de indecencias.

  43. Sabe o que eh realmente triste nine, vc passar a gestação toda planejando um parto natural domiciliar, frequentar cursos, desejar muito sentir esse momento e quando menos esperar se ver dentro de um hospital fazendo a tal da cesárea! Triste eh ver seu bebé chorar sem parar e perder peso, e vc acreditando que seu leite ainda eh suficiente! Nunca quis dar leite industrializado ou fazer cesárea. A pessoa que fez o texto foi muito infeliz, mas no meu caso o leite industrializado foi nnecessário!

  44. Eduardo Dieb disse:

    Elogio e apoio sua ação em denunciar péssimos anunciantes e veículos (Danone e a revista).
    Eles não podem dizer que desconhecem a Lei. Não são empresas “fundo de quintal”.
    Mas não concordo quando você diz que a publicidade é terra sem lei. Você se desmente ao dizer:
    “já que dizem por aí que a publicidade é autorregulável, que tal lotarmos o site do CONAR com a nossa indignação”.
    (na verdade é autorregulamentada)
    Você pode não saber, mas o CONAR é feito por publicitários, anunciantes e entidades civis não ligadas à publicidade.
    O CONAR funciona sim e muito bem.
    Você verá o resultado da sua campanha em breve, com punição para a Danone.
    Do jeito que colocou no texto, você generalizou e me ofendeu.
    Sou publicitário há mais de 20 anos. E leciono publicidade há 15 anos.E sempre defendi a ética na publicidade.
    O que a Danone fez foi absurdo.
    Apoio, de novo, sua iniciativa.

    • Pollianna Fernandez disse:

      Oi Eduardo, bom dia, espero que esteja bem!

      Minha intenção era somente fazer um comentário elogiando o blog e a Gabriella, que me deixa super empolgada com seus posts e seu jeito de se expressar, muito parecido com meu!

      Acabei me deparando com seu comentário e resolvi responder do jeito que entendi o que ela disse sobre a publicidade ser Terra sem Lei e quanto a ela se contradizer ao falar sobre o CONAR. Eu concordo com a afirmação dela, porque não quer dizer que não exista regulamento, lei ou o escambau para a publicidade, mas que dentro da publicidade “vale tudo” e a ética não tem estado presente, muito menos o respeito. E o CONAR não evita que a propaganda seja feita, ele age depois que ela já está “rodada”, enfim, não existe um “filtro” para a publicidade. Além disso, o CONAR também não tem o poder de punir.

      E, bem, é uma surpresa para mim, que algum publicitário diga que defende a ética publicitária! Muito maneiro um professor dizendo isso, mas eu convivo com muitos publicitários e não é isso o que tenho visto, pelo contrário, a maioria simplesmente se vende. Não quero lhe ofender, mas é a imagem pintada na minha frente durante anos, desculpe! :(

    • Gabi Sallit disse:

      Ei, Eduardo! Obrigada pela correção, gostaria de entender melhor. O que é autorregulamentável não é autorregulável? Não conheço a diferença técnica, vou me aproveitar que há um professor por aqui 😉
      Querido, não tenho visto bons resultados na atuação do CONAR, no que diz respeito à proteção das crianças, que é o que me interessa. Em regra, a sua atuação, nesta área, tem sido para inglês ver, muito pouco efetiva. Um pequeno resumo da minha frustração você pode encontrar aqui: http://infancialivredeconsumismo.com/?s=conar&submit=Search
      Lamento tê-lo ofendido. Infelizmente, não acredito na autorregulamentação de algo tão envolvido em interesses econômicos, como a publicidade. Não sugeri que as pessoas denunciassem levianamente, sei que isto vai dar certa dor de cabeça à Danone e à Pais e Filhos. Só acho que o mal já está feito, e nenhuma retratação vai conseguir consertá-lo.

Deixe uma resposta para Roberta Duval Assis Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>