A Danone, a Margarida e a Pais e Filhos deviam se enterrar num buraco de leite em pó

Que a publicidade é uma terra sem lei, eu já sabia. Que a relação entre o jornalismo e a propaganda é, muitas vezes, promíscua, não é segredo para ninguém. Mas nunca perdemos a oportunidade de nos chocarmos, né, minha gente? Às vezes o povo capricha!!!!!
Vou contar um caso: a Danone quer vender leite em pó. A Pais e Filhos está apertada de dinheiro, afinal, publicações muito melhores andaram fechando. Uma roteirista da Globo quer fazer uma fezinha. Então, unem-se os interesses para propagar a ignorância na internet, sob a indecente forma de publicidade disfarçada. Feio, né??? Horroroso!
Se você está neste mundo, ouviu falar, nas últimas 24 horas, de um post BIZARRO, publicado no site da revista, com o título de “Leite em Pó”. A autora, assumindo a voz de um bebê fictício, a pobre coitada da “Margarida”, diz que está passando fome, que o leite da mãe é pouco, ela precisa é de leite em pó. Só faltou falar que o Milnutri vale por um bifinho. Para coroar a ignorância com preconceito, Margarida deposita sua fé na empregada doméstica, que vai lhe dar a mamadeira escondido da mamãe. Afinal, as domésticas são aquelas que chamam Maria e, além de ignorantes, agem em surdina, né! Grotesto²!
Sabe a razão da Danone não informar que o post é patrocinado? Além de querer contar com a credibilidade da Pais e Filhos e da “Margarida”, a indústria alimentícia não pode dizer que o leite artificial é melhor do que o materno. Isto é ILEGAL, ofende a lei 11.265/06, além de absolutamente falso. Eu ia destacar aqui os artigos da lei que são violados, mas não teve jeito, amiguinhas, porque é a lei toda que é jogada no lixo!!!
É por estas e outras que temos estatísticas tão bizarras de amamentação . Ainda bem que azativista sanguenozoio estão de olho, e encheram o post com mais de 3.500 comentários sobre a indecência daquela postagem. Rapidinho o banner da Danone sumiu da página! Ainda bem que somos espertinhas e tiramos um print, né, colegas?

Danone, Pais e Filhos e Margarida

 

Para mim, não basta encher o saco da revista. Então, amiguinhas, já que dizem por aí que a publicidade é autorregulável, que tal lotarmos o site do CONAR com a nossa indignação???

Eu sou bacana e já adianto o serviço para vocês!!! Basta entrar no site do CONAR e preencher o formulário de denúncia. A parte mais chatinha, que é a narrativa dos fatos, quem está ocupado de costura pode copiar daqui:

Em um post patrocinado no site da Revista Pais e Filhos, denominado Leite Artificial, de autoria da Sra. Mariana Reade (http://revistapaisefilhos.uol.com.br/blogs-e-colunistas/bebe-blogando/ha-um-ano-atras-leite-em-po), sem declarar a publicidade, a empresa Danone (inscrita no CNPJ sob o n. 23.643.315/0001-52, com endereço na Av. Paulista, 2300 5o Andar Cerqueira Cesar, São Paulo/SP, Cep: 01310-300) faz propaganda contra o aleitamento materno, ofendendo diversos artigos da Lei 11.265/2006, que regulamenta a comercialização de alimentos para lactentes.

A imagem do leite artificial Milnutri estava associada ao texto, no final e ao lado direito do post (a imagem foi retiradado site, mas temos prints). Além da publicidade disfarçada, por si, já condenável, a propaganda dissemina informações falsas e preconceituosas contra o aleitamento materno.

Requeiro urgentes providências.”

Que coisa feia, Danone!!!! Que horror, Pais e Filhos!!! Espero que vocês tenham muitas cólicas de verdade, destas causadas por leite em pó – e azia, enjôo, joanete, dor de dente, queda abrupta das vendas…

 

Pós-post:

Olhem a resposta do Conar, recebida em 12/12/13:

“Prezado(a),

Em atenção à queixa enviada, relativa a eventual publicidade irregular do produto Milnutri, do Anunciante Danone, especialmente pelo fato de aparecer ao lado de texto que desmerece ou diminui a importância da amamentação, cumpre informar que o CONAR instaurou, no dia 04/12/2013, a representação n° 320/13, na qual é examinada a campanha do produto em diversos Blogs.

Cabe registrar, entretanto, que não há comprovação de que referido texto constitui matéria publicitária. E, sendo conteúdo editorial, fica fora da competência do CONAR. O que podemos analisar é a inserção do anúncio do Milnutri ao lado da matéria denunciada.

Além do pedido de concessão de medida liminar a ser apreciado pelo Relator do processo, a decisão, assim que exarada, será divulgada no site www.conar.org.br

Outrossim, agradecemos a colaboração tão relevante de V.Sas.

Atenciosamente,

Secretaria do CONAR”

A que conclusão vocês chegam? Dá para confiar na autorregulamentação da publicidade??

Sei não, viu… Tô cada vez mais fechada com as meninas do Infância Livre de Consumismo…

 

Crie o site do seu Neném

Sobre Gabi Sallit

Gabriella Sallit virou Gabi ainda pequenininha. E, para não ter um filho que tivesse que explicar a vida inteira a grafia do seu nome (aprendeu a falar "meu Gabriela é com 2 Ls" antes de papai e mamãe), escolheu um nome pequenininho para o seu filhote. João está começando a falar e já escolheu como prefere ser chamado: Jão!

VENHA, e CONECTE-SE COM A VILA!

Receba as novidades em primeira mão!

Esta entrada foi publicada em Amamentação, Imprensa e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

167 respostas a A Danone, a Margarida e a Pais e Filhos deviam se enterrar num buraco de leite em pó

  1. Deisi disse:

    Denunciado! Parabéns pelo post :) Abração

  2. Fernanda lemos disse:

    Denúncia feita!

  3. Nine disse:

    Gabi, texto maravilhoso! Parabéns! Eu vi o texto da revista apenas hoje, ando meio “por fora”, mas me revoltou deveras. E tb tive muita, muita pena das mulheres e mães que são tão jogadas de um lado para o outro, porque não bancam escolhas. Sabe, é muito triste estar no cabresto e não saber como se posicionar, quem vc é de verdade, quais são as suas verdades. É triste se deixar iludir por grandes empresas, achando que essa empresa está mesmo ajudando a melhorar a quaidade de vida dos filhos. É triste, é desinformação, é viver uma vida inteira sem saber o motivo dos acontecimentos dela. Dói demais perceber que as mulheres que não amamentaram ainda se sentem agredidas por outras mulheres, aquelas que amamentaram, mas não se sentem agredidas por uma reportagem ridícula como essa, não se sentem agredidas por um sistema capitalista selvagem que faz com que todas nós tenhamos que sacrificar em algum grau o cuidado com os filhos ou a nossa realização pessoal. As empresas de leoite artificial não são como a cesareana salvadora, não. Não é a mesma coisa. Essas empresas só atrapalham a amamentação e são responsáveis, junto com a desinformação e nossos sistema capitalista e patriarcal pelos nossos baixíssimos índices de BBs que mamam no peito após os 60 dias. Os bancos de leite são a solução mais viável e barata para aquelas que por raras razões não conseguem amamentar a contento. Mas ninguém exige bancos de leite na sua cidade e tão pouco apóia a doação (ao contrário). Enfim, já me delonguei demais… Beijos lindona! Nine

  4. Suenia disse:

    Denúncia feita!!!

  5. Jéssica disse:

    Denúncia FEITA!! Que coisa feia, uma ofensa.

  6. Maiara disse:

    Detalhe também para a frase genial do texto da Danone que diz: “Os cientistas – são os HOMENS que inventam as coisas novas…”

    CLARO ne, pq não existe mulher cientista….

  7. Luana disse:

    E o pior, nem pode alegar o que anúncio foi randômico pois pelo menos, do adsense não veio!

    Shame on you, Reade!

    http://comosernormalsendomae.com.br/2013/11/27/e-o-trofeu-vergonha-alheia-vai-para/

  8. Barbarella Albuquerque disse:

    Denuncia feita

  9. Camila disse:

    Denúncia feita! E agora pergunto eu tenho “mania de perseguição” ou este foi um golpe totalmente premeditado?? Repararam, que já faz no máximo 2 semanas que todos os dias no intervalo do JN (sim Jornal da Globo) aparece uma propaganda da Revista Pais & Filhos, enautencendô-la por estar ajudando e orientando pais ao longo dos anos. Piada né!!!! Hoje qndo li a publicação lembrei disso na hora! ¬¬

  10. Propaganda mal feita e ofensiva contra cada uma de nós que amamenta! Denunciado!!

  11. Patricia disse:

    Amei o texto.

    Como a Mariana Girardi que escreveu acima que não pôde amamentar por muito tempo, eu também tive sérias dificuldades.

    Posso passar dias me questionando sobre o porquê de ter sido tão difícil. De sempre ter oferecido complemento e do meu leite ter, definitivamente, secado ao quarto mês da minha filha.

    No entanto, ao contrário dela, sofro muito por não ter podido por mais tempo desfrutar desse prazer absurdo que é poder alimentar o próprio filho.

    Leite em pó existe e pode, sim, ser usado quando necessário. Nos casos em que a mãe, por algum motivo, tenha a incapacidade de fazê-lo.

    Mas empresa nenhuma – principalmente uma revista com fins informativos e com grande poder de persuasão – pode comparar aleitamento materno à moda. É um crime privilegiar um leite artificial e humilhar o materno.

    Minha filha é usuária desses produtos e, sim, é saudável. Não é obesa, não fica doente com facilidade etc. Mas eu atribuo isso muito mais ao período que eu consegui amamentá-la e a forma como eu conduzo, hoje, sua alimentação. Fugindo, ao máximo, de produtos industrializados.

    Informação é tudo. Denegrir o leite materno deveria ser tratado como crime para beneficiar empresas deveria ser crime!

  12. Anne Rammi disse:

    Escrevi um post aqui e perdi!
    Eu disse que vejo isso por outro viés:

    Conteúdo materno na internet (e fora dela) é lixo.
    Tenho dó da Maezinha de Margarida e toda a ignorância dela que favoreceu – com a ajuda das ativistas, infelizmente – aquilo que Dani e e pais e filhos querem: acesso. E só!

    Seriedade? Passa amanha! Veja as ações que esse ano bateram recorde dos mais variados produtos atingindo até as calas das revistas: vide crescer desse mês pautada ba caridade pela Heinz!

    Quer saber uma bizarrice? Num evento da revista as crianças firam convidadas a trocar a chupeta por um pite se papinhas. Pode chorar!

    Pão e circo, meia dúzia de indignadas irrelevantes e metade do povo querendo ser Maezinha blogueira e outra consumindo o lixo de informação que vem disso.

    Maezinha-Shame!!

  13. Aline disse:

    Achei que a matéria incomodou as pessoas que não respeitam quem tem que dar LA para seus bebês por motivos que justifiquem tal escolha. Claro que aquela que não quer amamentar pra nãi ficar com o peito caído, pra ter tempo de ir na academia, aí sim é um absurdo, mas hoje as pesoias estão muito radicalistas e muito “bitoladas” na questão amamentação exclusiva e parto normal ou natural e quando vem alguma mãe que dá LA ou que fez cesárea, já soltam as cachorras criticando essa mãe, sem nem questionar o motivo de darem LA.

    Respeitem as mães que dão LA. Cada uma sabe o que faz e o que é melhor pro filho delas. Claro que leite materno é a melhor opção, todas sabemos disso, mas respeito é bom e não cabe a ninguém julgar a outra por dar LA.

    Realmente a forma como a matéria foi escrita está em um tom estranho e falar que amamentar é moda foi errado, mas de certa forma falaram a verdade quanto àquelas mães que insistem em dar leite materno apenas e os bebês ficam famintos.

    • Natalia disse:

      concordo plenamente… não estou defendendo a matéria da Pais & Filhos, estou apenas confirmando que há mesmo mães que sofrem preconceito pois precisam dar leite em pó ou seja o que for para os seus filhos e são criticadas exageradamente por isso…
      eu mesmo fui uma delas… não tinha leite suficiente pra amamentar o meu filho e tive que dar leite em pó pro meu menino e fui terrivelmente criticada por isso!
      acho que as pessoas deviam sim parar primeiro pra pensar antes de sair falando mal se vêem um bebê mamando na mamadeira… ninguém sabe o que aquela mãe está passando ou o porque ela teve que dar o leite, é muito mais fácil criticar…
      mas é como os antigos dizem: macaco senta no próprio rabo e fica falando do dos outros…
      não estou dizendo que não deva amamentar… é SIM muito importante, é SIM muito fundamental pra saúde tanto física quanto mental da criança, mas nem sempre é a única coisa que ele vai precisar… ele PODE SIM precisar de leite complementar… seja por falta de leite da própria mãe ou seja porque o leite dela não esta sendo suficiente pra suprir as necessidades daquela criança…
      vale lembrar que cada um é cada um, e medicina não é um livro de regras que são seguidas exatamente daquela forma… a natureza é mais forte que a medicina e se aquele organismo foi formado com genética “ruim” ele vai continuar sendo “ruim” independentemente do que a medicina diga!!

      o problema na verdade esta nas pessoas que, ao invés de prestarem atenção nos próprios problemas preferem se incomodar com os dos outros! porque é muito fácil fingir que não tem nenhum e mais fácil ainda fingir que o problema dos outros é mais importante do que o seu próprio!

      • Gabi Sallit disse:

        Queridas, pensem comigo: existe ditadura da minoria? 90% das brasileiras dá LA antes dos 6 meses (este dado é da Fiocruz), vocês acham que os 10% que sobraram são assim, tão poderosos?
        Por que tantas mães não acreditam que podem amamentar? Vocês tiveram apoio do pediatra? Ele indicou grupos de apoio e consultoras de amamentação, antes de receitar o leite em pó? Sugeriu que fizessem re-lactação?
        Não acredito nesta história de “cada um cuida de si”, Natália. Se você não amamentou porque não quis: ok, o problema não é meu. Mas se queria e se frustou, não teve acolhimento, experiências positivas, ajuda para superação… É problema meu sim. De todas nós!
        Já falei sobre isto aqui: http://vilamamifera.com/dadada/por-que-temos-estatisticas-de-amamentacao-tao-bizarras-2/

        • Natalia disse:

          só queria saber Gabi, onde coloquei que eu NÃO quis amamentar????
          sou totalmente a favor de amamentação como deixei bem claro! o que eu sou contra é pessoas como vocês que radicalizam tudo sem ao menos saber o contexto da vida de cada um!
          Eu fiz todo o possivel pra amamentar, passei por mais de 5 pediatras, tomei td quanto foi tipo de remédio, simpatias e td que vc possa imaginar pra tentar amamentar o meu filho e não foi possivel, paciencia… eu tive que COMPLEMENTAR (e bem grande pra ver se vc nao distorce o que eu disse) mas nao deixei de amamentar do mesmo jeito…

          e outra coisa que acontece é que muitas mulheres tem que trabalhar e, venhamos e convenhamos, enquanto o periodo de licença de maternidade for de apenas 4 meses essa taxa ainda vai ser de 10% pq é inviavel para a MAIORIA das mulheres levar seu filho pro trabalho ou sair pra amamentar!

          só acho que respeito é bom e todo mundo gosta! ninguem é dono da verdade entao pare de achar que sabe da vida do mundo e pare de querer imbutir uma ideia radicalista, pq a meu ver, vc esta fazendo igual a empresa da propaganda que vc criticou ate agora!

  14. Kátia Lima Greiffo Sampaio disse:

    Já Fiz A minha denúncia!

  15. Ursula Ferro disse:

    Também tem esse canal de denúncia. O seu texto serve para ser enviado para a ANVISA tb, Gabi???
    http://www.ibfan.org.br/denuncie/como_denunciar.php

  16. Anne Rammi disse:

    Eu avaliei essa história por outro viés. Não acho (mesmo) que o anunciante pautou a blogueira. Não significa que o resultado do post para o anunciante não disse altamente proveitoso. Mas já escrevi para uma coluna que teve por um tempo o mesmo (e deprimente) anunciante (que hoje investe fortíssimo para abocanhar a fatia de mercado que pertence à Nestle, e movimenta bilhões, coisa que a Maezinha de Margarida nem imagina, porque é nítido que se trata de uma pessoa literalmente ignorante em todos os níveis do assunto amamentação, além de é claro uma síndrome de “menas” latente e uma inabilidade incrível para escrever. Convenhamos, texto ruim do caramba.
    Para além da publicidade abusiva, que nesse caso, como nos outros não vão dar em nada – pois o maxo que pode ocorrer é que o post saia do ar – vejo essa bizarrice como uma expressão do óbvio: CONTEÚDO MATERNO INFANTIL NA INTERNET E FORA DELA = HÁ QUE SE DESCONFIAR.

    A pobrezinha da Maezinha da Margarida foi só o boi de piranha. Vítima da própria ignorância e provavelmente deslumbre de “peitar” o “politicamente incorreto”, coisa tão deliciosa para quem é (ou se comporta como) reaça – a coitada com sua coluninha meia boca e emprestando a filha e suas próprias historias se expôs ao ridículo à favor da revista.

    Milnutri CAGA se a menina vai falar de leite em pó ou de pintar as unhas da filha. Oq importa? Acesso. CLARO que nesse caso, quanto mais polemica, mais acesso. Favoreceu anunciante, favoreceu revista e confirmou o óbvio: no geral e salvo raras exceções blogueiras maternas e conteúdo “jornalístico” para mães são o vazio do vazio. Publicidade do começo ao fim, já dizia Orwell, jornalismo é só aquilo que ninguém quer que seja dito.

    Vejo também que a reação “ativista” só favorece o cenário. Pais e Filhos está preocupada com o bem estar das mães e bebes? Está querendo espalhar informação idônea e independente?? CLARO QUE NÃO. Eles querem números, compartilhar e comentar esses links só os ajuda.

    Um adendo sobre a situação calamitosa entre blogueiras e marcas: a capa da crescer desse mês, com com conteúdo patrocinado pela HEINZ – bebes high tech – no mesmo momento do lançamento da campanha de papinhas, que assim como milnutri vem competir com Neslte. Quer um dado sobre o nível “ético” dessa ação? No evento de aniversario da revista mães blogueiras levaram seus filhos para atividades variadas. Entre elas – sente-se – as crianças que queri largar a chupeta podiam troca-lá por um pote de papinhas Heinz!!!

    Pão, Circo, sucesso para as mega corporações, um punhado irrelevante de gente que se incomoda e o publico – que vai continuar recebendo esse tipo de informação indecente até o fim dos tempos, isso nunca vai mudar – metade sonhando em um dia ser colunista da revista…. Para ser tão importante como a ignorante Mae de Margarida. E outra metade só consumindo as bobagens que saem disso. Sinceramente, tenho pena.
    Bjo querida! Desculpe os erros to no cel 😉

    • Bárbara disse:

      Sabe que acho que vc deve ter razão, Anne?
      A fulana que escreveu essa porcaria (texto péssimo! muito mal escrito!) parece se sentir muito incomodada por ter precisado dar fórmula pro filho, como falou na sua “justificativa”, e se sente atacada por toda a movimentação e ativismo pró amamentação. Tem gente que “lê, mas não entende bem as palavras”, e não consegue perceber que não tem dedo nenhum apontado pra casos individuais, mas pra todo um sistema que impede as mulheres de amamentarem, parirem, etc.
      Ela não deve ter recebido um centavo da Danone. O que é pior ainda, né? ajuda a perpetuar um status quo totalmente desfavorável às mulheres, e nem se dá conta disso. É triste, muito triste.
      No entanto, isso não reduz a responsabilidade dela e da revista de disseminar boa informação, né? Se vai se meter a escrever algo, que pelo menos pesquise um pouco. Não, escrever a partir do ponto de vista de um personagem fictício não isenta a fulana de responsabilidade. (amanhã no FemMaterna vai sair um texto sobre isso, vc viu? circulou no grupo hj). E se a revista vai publicar, que se sujeite também às críticas.
      Eu fico feliz que tanta gente tenha se manifestado, ainda que ache que daqui a pouco aparece outro tema, e isso vai logo pro esquecimento. Não vai ter nenhum tipo de sanção, nada que impeça que textos como esse sejam publicados over and over again. E fora da bolha ativista as pessoas continuam achando que está tudo bem. Exagero dessas chatas que vêem problema em tudo…

    • Bárbara disse:

      Sabe que acho que vc deve ter razão, Anne?
      A fulana que escreveu essa porcaria (texto péssimo! muito mal escrito!) parece se sentir muito incomodada por ter precisado dar fórmula pro filho, como falou na sua “justificativa”, e se sente atacada por toda a movimentação e ativismo pró amamentação. Tem gente que “lê, mas não entende bem as palavras”, e não consegue perceber que não tem dedo nenhum apontado pra casos individuais, mas pra todo um sistema que impede as mulheres de amamentarem, parirem, etc.
      Ela não deve ter recebido um centavo da Danone. O que é pior ainda, né? ajuda a perpetuar um status quo totalmente desfavorável às mulheres, e nem se dá conta disso. É triste, muito triste.
      No entanto, isso não reduz a responsabilidade dela e da revista de disseminar boa informação, né? Se vai se meter a escrever algo, que pelo menos pesquise um pouco. Não, escrever a partir do ponto de vista de um personagem fictício não isenta a fulana de responsabilidade. (amanhã no FemMaterna vai sair um texto sobre isso, vc viu? circulou no grupo hj). E se a revista vai publicar, que se sujeite também às críticas.
      Eu fico feliz que tanta gente tenha se manifestado, ainda que ache que daqui a pouco aparece outro tema, e isso vai logo pro esquecimento. Não vai ter nenhum tipo de sanção, nada que impeça que textos como esse sejam publicados over and over again. E fora da bolha ativista as pessoas continuam achando que está tudo bem. Exagero dessas “chatas” que vêem problema em tudo, e insistem em apontar o dedo pras coisas bizarras que são reproduzidas todos os dias, inclusive por suas vítimas…

    • Gabi Sallit disse:

      Anne, mas e aí? Os acessos vão acontecer, as pessoas vão compartilhar, ainda que putas da vida, ainda que beneficiando as empresas. Isto está fora do nosso controle. Não vai haver voz dissonante? Eu produzo conteúdo para mães, você também, a Lígia, a Kalu, a Mari, tantas outras. Nós falamos de amamentação, demos/damos/daremos peito aos nossos filhos, em um país no qual só 10% das mulheres consegue amamentar exclusivamente por 6 meses, somos as únicas referências de muitas. Pode parecer egotripp, mas vivo recebendo e-mails tipo “não conheço ninguém que pariu/amamentou/crioucomapego”. Tenho certeza que você também. Estas pessoas vão ficar sem interlocutor?

  17. mariana sá disse:

    Ai, Gabi, pra começar: adorei seu texto, uma pena que eu não tenha mais fé que o Conar faça alguma coisa em relação a isso: depois de anos denunciando e vendo passar um par de meses antes da decisão sair, não vejo o Conar como um regulador eficiente. A revista já tirou o banner que é o máximo que o Conar podia mandar fazer. O que precisávamos mesmo fazer é uma denúncia na Anvisa (algumas pessoas fizeram e a Anvisa mandou para o balcão do lado – pfffff) ou ao Ministério Público para mandar tirar o texto e obrigar a revista e a roteirista escrever uma retratação. É nesta hora que sonho com uma linda carteira da OAB e um monte de colega no Ministério Público. Não repara, mas melhora, né?
    Abração!

    • Gabi Sallit disse:

      Minha carteira da OAB está à disposição, Mari!!! Tô com vc nesta!!!!
      Me escreve, para a gente conversar melhor gabisallit@dadada.com.br!

      • Roberta disse:

        Parabéns pelo texto, dona Gabi. Se a blogosfera tivesse mais meia dúzia de advogadas porretas que nem você fazia bancada no planalto central, ô!
        Eu fui das tetéias que mandou mensagem pra Anvisa. Mandei no 27 de manhã, eles responderam no 27 a noite. Pontuais, mas TAO evasivos. Mira só:

        Prezada Roberta; Inicialmente obrigado por sua participação, a ANVISA possui um setor somente para a fiscalização de propaganda: GERÊNCIA GERAL DE MONITORAMENTO E FISCALIZAÇÃO DE PROPAGANDA, DE PUBLICIDADE, DE PROMOÇÃO E DE INFORMAÇÃO DE PRODUTOS SUJEITOS A VIGILÂNCIA SANITÁRIA – GGPRO e especificamente o setor: Unidade de Monitoramento, Fiscalização de Propaganda, Publicidade e Promoção de Produtos Sujeitos a Vigilância Sanitária – UPROP
        Voce pode encaminhar sua denuncia (envie cópia digitalizada do anuncio) para o seguinte e-mail: ggpro_interno@anvisa.gov.br esperamos ter ajudado. Cordialmente;

        Mãos lavadas. Ass: Anvisa Evasiva.

  18. Sassá disse:

    Denunciadíssimo!

  19. Juliana Pessoa disse:

    Denunciado e divulgado no facebook,

    Grata pela colinha do motivo da denúncia!

  20. Karina disse:

    Denuncia feita!
    Tem mais algum orgão que podemos denunciar???

  21. Denise Rossi de Viveiros disse:

    Denunciado!

  22. Bianca disse:

    Denúncia feita no CONAR !!!

  23. Gisele disse:

    Denunciadíssimo!!!
    obrigada!

  24. Carla Maria disse:

    Gente. agora tem só 30 cometários!!!! tinha mais de 4.000.

  25. Liza disse:

    Denunciei como vc disse! Aliás, a ideia foi ótima! Recebi até um e-mail do CONAR confirmando a denúncia.

    bj

  26. Fabiana Faria disse:

    Ontem eu não consegui dormir sem antes escrever sobre isso. E fazia tempo que não falava sobre o assunto… http://depoisqueeudescobri.wordpress.com/2013/11/26/o-leite-em-po-a-pais-e-filhos-e-o-desservico/

    Obrigada pelas suas palavras e esclarecimentos sobre o caso.
    Fabi

  27. Mailis disse:

    Denunciado!
    Hoje de manhã quando uma pessoa de um grupo do facebook no qual faço parte postou isso fiquei indignada! Isso quer dizer que nós amamentamos por puro modismo? e não pelo “simples fato” de o leite materno ter absolutamente TUDO o que os nossos bebês precisam e muito mais. Ridículo! A se esse amamentar realmente “estivesse na moda” talvez assim muitas mulheres amamentariam mais e teriam menos medo de danificar os brinquedinhos do papai!

  28. Daniela disse:

    Denúncia feita!

  29. Daniella Tolari disse:

    Gabi, disse tudo!
    Denúncia formalizada!

  30. Ale Cruz disse:

    Acho que respeito é bom de ambas as partes…vocês que amamentam exclusivamente, por livre demanda ou como querem chamar, levantam suas bandeiras, diminuindo e deixando piores nós mamães que por algum motivo não conseguimos e não podemos amamentar!! Se acham melhores que todas nós…é isso?? Por que seus peitos jorram leite e seus filhos não têm cólicas, são lindos, mais inteligentes…e amamentar é um ato de amor…nós que não podemos, talvez odiemos nossos filho!! Cansei de ficar lendo em comunidades e em blogs essas críticas. Somos adultas e sabemos o que é melhor para nossos filhos…e muitas adoram enfiar o dedo nos narizes alheios…por favor né…RESPEITO É BOM E NÓS QUEREMOS!!!!

    • Mariana Girardi Barbosa Silva disse:

      Olha, meu filho mamou apenas 2 meses e não fiquei nada traumatizada por ele não mamar mais no meu peito. Ele é super saudável,inteligente e NÃO TEM cólicas terríveis como algumas mães que apenas dão de mamar no peito dizem que os que tomam leite em pó tem! Muitos me criticaram por meu filho estar tomando outro leite que não seja do meu peito e eu desconsidero esse tipo de comentário maléfico de dizer que apenas quem mama no peito é saudavel e inteligente! Seria muito interessante se as todas as mamães, aquelas que dão de mamar ou dão leite em pó cuidassem das suas próprias vidas e dos seus filhotes e não ficassem criticando umas as outras! Recado dado! Cada um na sua!

      • Gabi Sallit disse:

        Olha, Mariana, esta história dos julgamentos é muito importante para mim. Não passa pela minha cabeça: ela é menos mãe, não deu o peito. Se não aleitou porque não quis, não é problema meu. O que tenho é uma angústia imensa, pois a maioria absoluta das mulheres que conheço queria amamentar e foi convencida que não conseguiria. Queria, mas não teve apoio, confiança, informação de qualidade… meu coração parte em mil pedaços.
        Esta mulher tem que ser acolhida, mas antes do fracasso. Ela tem que ser ajudada a conseguir!!! Amamentar a fortalecerá, lhe dará mais autoestima. Deve ser muito ruim pensar que não foi capaz de alimentar seu filho. Nenhuma mãe deve ter este tipo de angústia, de dúvida.
        Quando acolhemos, sem senso crítico, aquela que não conseguiu porque não foi bem orientada, não foi instruída, estamos ajudando a perpetuar as mentiras que contaram para ela, sabe como é?
        Tudo tem que ser feito com amor, mas com verdade. Esta é a minha opinião :)

    • ana disse:

      Talvez seja a hora de se perguntar por que muitas mulheres não estão conseguindo amamentar, ao invés de se conformar com isso. Talvez seja hora de buscar orientação junto aos bancos de leite, às ongs, às consultoras.
      Acredite, qualquer mulher pode amamentar, inclusive as avós e as mães adotivas.

    • Flavia disse:

      Ale, a indignação recai sobre a falta de ética na publicidade, na inveracidade das informações. Não acredito que as mamães que não puderam, não conseguiram ou por qualquer motivo que seja optaram por não amamentar seus filhos os amem menos que as mamães que amamentam. Os leites artificiais são aliados nesses casos. O que é muito grave é uma publicação em uma revista desse porte desestimular a amamentação de uma maneira tão descarada e imoral.

    • Gabi Sallit disse:

      Alê, você leu o post? Em algum momento, percebeu algum ataque meu às mulheres que não amamentam?
      Querida, estamos falando aqui de publicidade disfarçada e ilegal. De interesses de empresas que se sobrepõem ao bem estar das crianças. Meu dedo está beeeeemmmm longe do seu nariz, fique tranquila.

      Já falei sobre isto aqui: http://vilamamifera.com/dadada/por-que-temos-estatisticas-de-amamentacao-tao-bizarras-2/. Passa lá!
      Abs,
      Gabi

  31. Patricia Agnel disse:

    Denuncia feita!

  32. Camila disse:

    Denúncia feita!

  33. Najara disse:

    Denúncia feita!

  34. Michelle disse:

    Denúncia feita! Grata por facilitar a expressão da nossa indignação…

  35. Bárbara disse:

    Coitada da Margarida!

    mas vou te contar, viu? quando vc acha que já viu de tudo, vem isso aí… é inacreditável! E quando vc acha que não tem como piorar, vem a “justificativa” da autora…

    é demais pra mim.

  36. MARISSA PEU DE CASTRO E BORGES disse:

    Denúncia feita! Obrigada Gabi.

  37. Sirleide Jacobina disse:

    NAO CONSEGUIR ACESSAR O SITE DA CONAR, E .COM.BR????

  38. Sirleide Jacobina disse:

    É UM ABSURDO… LEITE MATERNO É VIDA….

  39. Roberta Duval Assis disse:

    Já denunciei a publicação tbm no CONAR e no IBFAN Brasil!

  40. Suelen Hungaretti disse:

    Obrigada Gabi, ja fiz minha denuncia

  41. cariny disse:

    Tantas emoções num só post… obrigada por, como sempre, nos entregar tudo mastigadinho!!! Vou lá…

  42. Ana Amelia disse:

    entrei no site do conar e fiz a denúncia! obrigada por esclarecer q além de tosca, aquela publicidade disfarçada fere a lei!

  43. Lígia Chiari disse:

    Todos os dias somos bombardeados com informações falsas como essa e nada é feito! Algumas vezes (des)informações sutis, passam quase despercebidas e reforçam mitos que prejudicam o aleitamento materno e a opção da mulher pelo parto natural. Eu que ainda me preparo pra ser mãe daqui a uns bons anos fiquei chocada com o depoimento da Pilar em ‘Amor a vida’ ontem, dizendo ao Felix que ele quase morreu porque estava com “o cordão umbilical assim bem agarrado no pescoço” o que fez inclusive a mãe perder o leite. Será que a globo não consegue ter nem um pouquinho de noção ao levar ao ar esse tipo de informação??? Amo seu blog! Parabéns pelo excelente trabalho!

  44. Eu fiquei indignada, estou na batalha para continuar amamentando minha filha, mesmo voltando a trabalhar, como um lanchinho correndo para poder amamentar no trabalho e ter que ler esse tipo de coisa. Fui lá no site do CONAR e registrei a reclamação.

    Muito bom o seu post! Temos que nos revoltar mesmo!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>