Esta é a diferença entre cesárea e parto humanizado

Hoje eu vi dois vídeos de parto: o do Francisco e o da Elizabeth Rosa Salgado. Foi m-u-i-t-o chocante. Quero horrorizá-las também.

Quero que coloquem o vídeo da Elizabeth no minuto 11.10.

Vejam o bebê sendo arrancado pelo pescoço. Vejam-no ser jogado sobre as pernas anestesiadas da mãe. Veja a médica, por um exato segundo, o apontando para a Elizabeth de longe, e dizendo “aí, é um meninão!”. Quando ela levanta o bebê, o cordão já está cortado. Não ficou nem dez segundos ligando mãe e bebê, depois que ele saiu do útero. Isto não é modo de dizer, é literal. Não ficou nem 10 segundos mesmo.

No minuto 11.47, veja a Elizabeth tentando levantar a cabeça para ver o filho. Enquanto isso, está rolando no fundo uma porcaria de um toque de celular. Ficou tocando o tempo inteiro, enquanto o bebê nascia.

 

Agora, coloca o vídeo no Francisco no minuto 2.47.

Me escuta urrando de dor. Me ouve gritando em 2.48 e me vê gargalhando no 2.54.

Vê a parteira entregando ele para mim DOIS SEGUNDOS depois que ele nasceu. Vê a doula saindo do meu lado, com um sorriso maior que o mundo, e cedendo lugar ao Alexandre. Vê que quem apresenta nosso filho ao meu marido sou. Olha a parteira vendo se o cordão ainda pulsava, antes de o pai cortá-lo. Vê que ele sai do meu colo e só passa pela enfermeira, que o entrega ao pai.

 
Não me perguntem a diferença de cesárea e parto humanizado, por favor.

Crie o site do seu Neném

Sobre Gabi Sallit

Gabriella Sallit virou Gabi ainda pequenininha. E, para não ter um filho que tivesse que explicar a vida inteira a grafia do seu nome (aprendeu a falar "meu Gabriela é com 2 Ls" antes de papai e mamãe), escolheu um nome pequenininho para o seu filhote. João está começando a falar e já escolheu como prefere ser chamado: Jão!

VENHA, e CONECTE-SE COM A VILA!

Receba as novidades em primeira mão!

Esta entrada foi publicada em Sem Categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

86 respostas a Esta é a diferença entre cesárea e parto humanizado

  1. Miria Ranzan disse:

    Estou gravida de 35 semanas, espero poder fazer meu parto o mais humano possível normal…Porem se tiver complicação eu creio que saira muito bem feito, não assim como esse parto cesariana que vc publicou no seu blog, o que deixa as pessoas temerosas achando que se não for parto normal elas passaram por isso que vc postou…nada intelinte sua publicação.

  2. Sil disse:

    Tenho 24 anos, ainda não sou mamãe, mas despenco chorar quando vejo vídeo de parto natural, é muito lindo! Pretendo passar por isso um dia, tenho medo de cesárea, é assustador, me deu desespero ao ver o vídeo!

  3. Pingback: É assim que bebês devem nascer?????? | parindocomamor

  4. Paula disse:

    Pois é Gabi… Te sigo há muito tempo, sempre comentei. Fiz tudo que meu coração pediu, me planejei para o parto natural, com equipe escolhida a dedo. Entrei em trabalho de parto em um domingo à noite. Na segunda feira de manhã as contrações perderam ritmo e no final da tarde ganharam força total. Enfermeira ob em casa, chuveiro, bola. Escutei meu corpo o tempo todo e chamava pela minha pequena. Com 6 de dilatação fomos para o hospital, as 6 da manhã. As 8 da manhã ainda com 6 cm, as 13 horas, sem progressão, decidimos intervir e entramos com oxitocina. E nada de progressão melhorar. Bebe ótima o tempo todo. As 16:00, sem mais nenhum sinal de progressão e com muita dor no coração fomos para a cesaria, temida, porém necessária. Olivia nasceu as 16:13, com luzes baixas, ar condicionado ameno na sala, veio direto pro meu colo, mamou no primeiro minuto de vida, cordão foi cortado o mais tardiamente possível considerando o tempo de uma cirurgia. Ninguém falou em nenhum outro assunto a não ser o meu bem estar e da minha filha, celulares desligados, respeito total pelo momento mais sagrado da minha vida. Apgar feito com ela no meu colo, sem aspiração, sem colírio. Tudo isso pra dizer que: escolhemos o caminho, não escolhemos o desfecho. Quer a cesarea? Vá em frente, seu corpo suas regras, eu te aceito. Mas por favor, deixe seu bebê dizer que está pronto. E escolha os profissionais que vão te tratar como você e seu filho merecem, no momento mais importante da vida de vocês dois.

    • Gabi Sallit disse:

      Paula, você conseguiu este respeito porque estudou, se preparou. Fez muito pela sua filha, garantiu para ela um nascimento digno.

      • Paula disse:

        Exato… Estudei e me preparei. E hoje ainda tenho um ponto de vista a mais, que eu não tinha antes: eu estou pagando por isso! Seja tudo no particular, via plano ou até pelo SUS- você está pagando pelo seu parto, esse dinheiro saiu do meu bolso, de um jeito ou de outro. Assim sendo, quero um nível de serviço que acho que mereço, não? Será que com esse ponto de vista a gente consegue enfiar de uma vez na cabeça da mulherada (e dos médicos) que respeitar esse momento é apenas o básico do nível de serviço pelo qual elas estão pagando???

  5. Suzane disse:

    Bom, vou contar sobre minha experiência com parto. Fiz o parto pelo SUS no Hospital Universitário, eu não tinha escolha, ou era lá ou lá. Me levaram pra conhecer o hospital uma semana antes de o meu filho chegar, já não gostei logo de cara, mas era o que tinha. A mulher que levou eu e as outras mães pra conhecer o hopistal foi bem clara ao dizer que cesarea só em ultimo caso. Realmente eles aplicam essa regra. Quando fui pra ter meu filho, senti muitas dores durante cerca de 6 horas no hospital, eu tinha a dilatação, mas o bebe não saía. Então depois de muito sofrimento com as dores, me levaram sozinha pra sala de cirurgia e tiraram meu bebe com fórceps, foi bem estranho, não senti meu filho saindo, devido a anestesia aplicada. Me mostraram ele de relance e depois ficaram me costurando, eu sentia dor nessa hora, mas eles não estavam querendo me dar outra anestesia. Depois disso fiquei cerca de uma hora deitada na maca com meu filho do lado, esperando no meio de um corredor liberarem uma vaga num quarto. Minha recuperação foi muito pior do que qualquer mulher que eu conheça que tenha feito cesárea, fiquei uma semana sem conseguir andar direito, não conseguia cuidar do meu filho. Resumindo, meu parto foi horrível, magia 0, e eu não quero correr o risco novamente de passar por isso. Da próxima vez eu quero um cesárea, mesmo que seja igual a esse primeiro vídeo, nem que eu pague caro. Por isso eu acho que a escolha é de cada uma, cada um sabe onde aperta o nó do sapato. Ah claro, foi lindo o seu parto e devia ser regra isso! Porém essa não é a realidade, os hospitais são cheios, não era apenas eu que estava no corredor, tinha mais pessoas,tantos e tantos problemas! Então eu acho egoismo lutar por um parto desse nível, sem pensar nos outros problemas que não são relacionados a parto também. Precisa de uma mudança completa. E isso não é só culpa dos médicos e enfermeiros, eles não foram simpáticos comigo, mas eu percebi que aquilo tudo podia ser devido a carga de hospital cheio. Finalmente, por mais dificuldades, eu ainda assim sou agradecida por ter tido meu filho com saúde, a magia está em ser mãe e não ter tido um parto maravilhoso não me deixou tão frustrada assim, afinal o que me entristece mais é a precariedade dos hospitais como um TODO!!

    • Gabi Sallit disse:

      Suzane, nada justifica violência no momento do nascimento dos nossos filhos. Todas as mulheres têm direito a um atendimento respeitoso, seja em partos ou cesáreas. O que você sofreu não é culpa da via de nascimento: é fruto do mal atendimento. Isto é lamentável… :(
      Sinta o meu abraço.

  6. Angelica disse:

    Bom
    Acho muito legal lindo e tal quem consegue ter parto normal, mas acho q as mães colocam muita a frente que um parto normal é mais mágico que um parto Cesária.Gente vamos parar para pensar, eu jamais iria fazer um parto em casa, jamais msm não colocaria a vida de meu filho em risco, pois sei q não devemos ser pessimistas e pensar no pior, mas temos que ser realistas. Se algo da errado e não se tem uma UTI neonatal em casa neh??? Vamos combinar, seu filho fica como????
    Só por Deus msm, gente temos que penssar em todas possibilidades, e sempre lembrar q a segurança da criança é o mais importante, afinal não tenho nenhuma lembrança de quando nasci, e nunca vi ninguém falar de ter lembranças de quando nasceu, então oq estou querendo dizer é que tenha seu filho como quizer, faça matérias sobre parto humanizado sim legal, mas não compare partos, não julgue, cada um sabe oque é melhor para sua vida e seu filho….
    Use seu blog para mostrar o quão bonita foi sua história, ai cabe a cada um fazer sua escolha.
    E só p constar n tive filho de Cesária, mas sou contra a comparação desnessesaria.
    Passar bem

    • Gabi Sallit disse:

      Angélica, aqui no blog lutamos para que cada mulher tenha o direito de decidir. Não há dúvidas, porém, que cada escolha tem consequências. Você pode não lembrar de quando nasceu, mas isto tem consequências na sua saúde: bebês que nascem de cesárea têm maior chance de ter problemas respiratórios, de desenvolver asma, obesidade… Isto já foi provado pela ciência.

    • Ola Angélica!

      Eu primeiramente gostaria de deixar claro que eu não sou mãe, não tô grávida, mas já escolhi como eu quero ter meu filho e respeito a opnião de todas, mas só para acrescentar uma informação no que vc falou, no parto domiciliar existe sim uma pequena base Neonatal disponivel ao lado da parturiente (até porque dá para ver ali no video que a Gabi ta ligada a uma especie de soro na mão) para o caso de qualquer problema que ocorra durante o parto e depois do nascimento do bebe. Quando essa modalidade de parto é escolhida as pessoas envolvidas estão ciente que para que ocorra esse tipo de parto tem que ter pelo menos um hospital até 20 mint de distância da casa da parturiente disponivel, então riscos tem em tudo que é lugar e qualquer tipo de parto, só acho (na minha opniao) que todos devem ter o direito de escolher o seu parto, mas baseado nas informaçoes e não no medo, não pensando na dor, não pensando na tia, mae, amiga, irma que passou por uma infelicidade porque cada um tem um organismo, cada um tem um medico e cada um tem uma cabeça, informações tem serem apresentadas e não manipuladas, se puder assista o filme “O Renascimento do parto”.
      E Gabi foi lindo o seu parto, chorei com o seu momento e nem imagino como deve ter sido mágico, parabéns por sua escolha!

  7. Thais disse:

    Na minha sincera e humilde opinião acho ridículo esses tipos de video que fazem essa comparação, e desnescessario, dizendo que é uma tortura com a criança fazer cesária, pois as pessoas se esquecem daquelas mães que nao tiveram opção que fizeram cesaria pra salvar seus filhos… E seriam elas menos mães do que as que fazem parto normal, ou humanizado?? Ninguem pensam em como elas se sentem ao ver essas comparações, onde tratam elas como verdadeiros monstros.

    Minha mãe teve três cesarianas, e nao foi por opção, e ela nunca foi menos mãe por isso, pelo contrario sempre nos encheu de amor e carinho, nos deu educação, respeito, sempre esteve ao nosso lado nunca nos desamparou, somos adultos entre 28 e 34 anos… Deus nao concedeu a minha mãe o privilégio “santificado” do parto normal ou humanizado por algumas horas, mas concedeu a ela o Dom de ser mãe de verdade daquelas que se preocupam, que se empenham, que por mais que esteja cansada sempre esta ao lado de seus filhos, por uma vida toda….

    Parabéns as mães de cesária e de parto normal tbm, pois ser mãe, vai muito mais alem da forma que se coloca seu filho no mundo.

    Tenho muito orgulho da minha mãe Aparecida Donizete Silva … Mãe de cesária… Mas de longe a melhor mae que Deus podia ter me dado.

    Pretendo ser mae daqui um ano, e se eu nao conseguir ter parto normal, nao me sentirei menos mae ou menos carinhosa com meu filho por isso.

    • Gabi Sallit disse:

      Thais, este post não é para quem escolheu uma cesárea, ou foi levada a ela, por alguma razão. É um texto para que mulheres como você, que ainda não tiveram os seus filhos, possam tomar as melhores decisões por eles. Ninguém está apunhalando nenhuma mãe: a Elizabeth, que está no primeiro vídeo, é uma vítima, assim como o seu filho. O post é um alerta, para que não aconteça com outras mulheres.

      • Thais disse:

        Ola Gabi!
        Me desculpe mas isso: “Vejam o bebê sendo arrancado pelo pescoço. Vejam-no ser jogado sobre as pernas anestesiadas da mãe”, nao parece nada instrutivo.
        Foi apenas dito o lado ruim da cesárea e o lado bom do normal humanizado… Em nenhum momento foi dito que cesáreas por vezes são nescsessaria pela posição do bebe a dilatação da mãe, por ter que ser prematuro o parto, nem que para se ter o parto em casa é preciso que tenha uma equipe medica, próximo ao local para o caso de algo der errado… Que a cesárea as vezes e preciso para salvar a vida do bebe e da mãe, mas que caso isso aconteça tudo bem, pois o importante é saúde dos dois… Já assisti video de uma cesárea e nao foi tudo isso.
        Pegaram o “video da pior cesárea x o video do melhor parto normal”, com descrições que nao expõe um esclarecimento, mas sim uma nítida preferencia.
        Esclarimento seria explicar sobre cada parto, e nao crussificar com palavras duras.
        Nao achei um post esclarecedor, pelo contrario.
        Acho que deixa um receio em pessoas como eu que nao é mae ainda… Sobre oque vai acontecer se eu nao tiver dilatação se meu filho estiver na posição errada,se tiver que ser prematuro… Oque vai sobrar pra mim?
        Ser mutilada por médicos sem interesse, que vão “arrancar” meu bebe pelo pescoço de dentro de mim e jogar sobre minhas pernar adormecidas?
        No me esclareceu nada, no minimo me deixou com medo de chegar no hospital e o medico dizer que nao tenho condições fisicas de ter parto normal… O parto nao depende só da minha vontade, depende do meu corpo, do bebe, do momento.
        Por isso nao gosto desses post, nao explivam nada, apenas passam um terror, pra quem nao sabe oque aguardar quando chegar a sua vez.

        • Gabi Sallit disse:

          Olha que bacana, Thais: por eu ter escrito o post, e você tê-lo comentado, você pode ter acesso a muitas informações bacanas, que podem te ajudar a se preparar para quando for ter seus filhos. Vamos lá:
          1) a única posição que impede o nascimento do bebê por parto normal é a transversa (quando o bebê está deitado horizontalmente na barriga). Ela é raríssima e, ainda assim, pode ser tentada uma manobra, chamada “versão cefálica”, a partir de 37 semanas de gestação, para que ele vire.
          2) Toda mulher tem dilatação. Leia este texto, é super esclarecedor: http://www.maternidadeativa.com.br/artigo6.html.
          3) Boa parte dos prematuros se beneficia do parto normal. No Brasil, a cesárea agendada é causa de prematuridade, não consequência dela.
          Para você evitar que o nascimento do seu filho seja diferente do que aparece no vídeo da Elizabeth, você vai ter que estudar, fazer um plano de parto, discutir ponto a ponto com a equipe que você escolher, independente da via de nascimento que escolha. O tratamento que você vê neste vídeo é a regra, não a exceção, infelizmente. Apenas nós somos capazes de mudar esta realidade, nos emponderando, conhecendo as práticas e nos levantando contra elas.

  8. Elen disse:

    To chocada em primeiro lugar com a cirurgia que se pareceu mt com a minha e com um detalhe, q a minha ninguém pôde me acompanhar (eu tinha apenas 17 anos) e não pude ver meu filho na h que ele nasceu enfim.. Um parto cheio de violência 😢 em segundo lugar com essas pessoas que jugam as coisas antes de pesquisar bem sobre o assunto. Boa sorte pra mim poois estou gravida novamente aos 24 anos e espero mt ter um atendimento melhor e vou levar comigo mts instruções para q eu não caia novamente no golpe da cesaria.

  9. Marcia disse:

    Quando tive a minha primeira filha ela estava sentada, foi assim a gestação toda, e fizemos então uma cesarea, com um atendimento exelente, sem traumas, sem horror nenhum, isso a 17 anos. Com 43 anos engravidei e o meu filho nasceu no dia q ele quiz, senti contrações, saiu o tampão e apos contactado meu médico estava no hospital em meia hora com toda equipe. Foi uma cesárea mais uma vez linda, com toda atenção e sem traumas. Nem tudo na vida é uma questão de escolha, como amamentar, não pude, nem um dos 2, mas não fui e nem sou pior mãe por isso. Tudo é uma questão de respeito, respeitar a decisão do outro, respeitar os problemas do outro, não adianta tentar enfiar guela abaixo das pessoas uma coisa q a maioria não tem acesso, mães q mal fazem um pré natal por conta de um sistema de saude falido, onde todo dia vemos mãezinhas e bebês morrendo por falta de assistência, isso sim é uma agressão, uma mãe q tem um filho com sequelas pq o parto não foi feito a tempo, pq não havia leito. Muito bonito o parto humanizado, mas lutemos primeiro pela humanização da saúde!

    • Gabi Sallit disse:

      Fico feliz que seu atendimento tenha sido respeitoso, Márcia. Infelizmente, esta é a exceção, não a regra. Geralmente as mulheres que se submetem a cesáreas são amarradas, ficam ouvindo as equipes falando de outras coisas, em total desrespeito ao momento da família, não amamentam na primeira hora (comprometendo de forma terrível o sucesso da amamentação). Seus filhos têm o cordão cortado precocemente, são aspirados, pingam colírios cáusticos… Quem dera toda mulher tivesse o atendimento que vc recebeu!

  10. André disse:

    Desnecessários estes vídeos. Para cada vídeo bonito de parto normal, existe um vídeo com final ruim. Para cada vídeo de cesárea com problema, existe um vídeo de cesárea de sucesso. Quem acredita em parto humanizado vai continuar acreditando, quem não acredita, continua não acreditando. Mas nem é preciso ir muito longe para saber como seria o mundo com o parto humanizado: basta voltar alguns 300 anos no tempo, onde não existiam médicos para fazerem cesáreas. Com certeza não era melhor do que hoje. Engravidar era quase uma sentença de morte para a mulher.

    • Gabi Sallit disse:

      André, você não tem a menor ideia do que está falando. O parto humanizado nada mais é do que o parto científico, no qual a atuação dos profissionais coaduna com o que estabelece a Organização Mundial de Saúde. Defendemos o atendimento por profissionais qualificados (enfermeiras obstetras e obstetrizes, em gestações de risco habitual, e médicos, em gravidezes de risco aumentado), as condutas comprovadas cientificamente. Os países que adotam estas práticas têm os melhores prognósticos maternos e fetais. Ninguém defende que se volte no tempo.

  11. Juliana disse:

    Por estas matérias que são repetidas na exaustão, alterando somente o título, que eu parei de ler estes blogs. Já fui ingênua e achei que a maternidade era somente o parto e amamentação. Até o dia em que acordei e entendi que maternidade é amor e que cada mãe sabe da sua.
    Parei de me torturar, tirei os blogs sobre maternidade com defesas ferrenhas do favoritos e fui viver o maior amor do mundo.
    Acredito no que vocês defendem, mas sigo em frente.

    • Ana Cristina disse:

      Parabéns pela resposta, adorei! Realmente maternidade não é só parto e amamentação, se vc conseguir fazer da melhor maneira possível ( e é bom se empenhar nisso) ótimo, se não?! Paciência, existe um amor que tudo, cura e supera!

  12. Andreza disse:

    Gente que coisa mais Linda, e esse rapazinho no finalzinho do vídeo deixando a gravidinha alegre em um momento tão cheio de dor e medo talvez, mais que é o momento mais magico e lindo que existe, parabéns florzinha por essa família Linda <3

  13. Milene disse:

    Tem coisa mais linda que esse vídeo do parto do Francisco? Fico emocionada sempre que assisto!

  14. kali ananda disse:

    olá!
    não consegui assistir os vídeos, mas já imagino como foram!afff
    desde que planejamos nossa gravidez aqui em casa fomos buscar informações sobre o parto e como nosso bebê poderia nascer da forma mais respeitosa e amorosa possível! frequentei o Grupo Luar, grupo que faz partos domiciliares aqui em Curitiba e ouvi vários relatos de parto, cada um diferente do outro! eu e meu marido nos fortalecemos cada vez mais na nossa decisão de termos nosso parto em casa. Como tive uma gestação muito tranquila (sou instrutora de yoga e sempre fui muita ativa) e como estava tudo se desenvolvendo bem com o bebê esse sonho foi se tornando possível.
    foram 38 horas total de trabalho de parto, sendo 12 horas de fase ativa. O grupo Luar, composto de enfermeiras obstetras experientes estava junto comigo e me deu todo o suporte necessário. Minha doula Amanda Nunes foi muito paciente e amorosa e também registrou fotos lindas que eternizaram todo este momento. Minha irmã que é médica esteve junto o tempo todo me dando muito carinho e me fazendo massagem e me trazendo segurança. Meu marido foi 50% da minha força, parindo junto comigo e vivendo comigo de verdade o processo do nascimento da nossa filha. Foi exaustivo, foi tudo muito intenso, mas foi da forma mais natural, mais respeitosa e amorosa possível. Todos foram muito pacientes comigo, e em nenhum momento pensei em desistir e ir para o hospital, somente se fosse realmente necessário, se realmente eu ou o bebê estivéssemos em sofrimento. A Luana nasceu em casa, na postura em que eu me senti melhor (de cócoras), sem laceração, sem nenhum procedimento desnecessário, veio direto para o meu colo e logo já mamou, e assim ficamos por mais de 2 horas juntas, pele com pele, até cauterizarmos o cordão umbilical com velas, num ritual desejando uma linda vida pra este novo ser. Não sou índia e nem hippie, sou uma mulher normal que luta pelo que acha que é correto e verdadeiro.
    Penso que no hospital seria muito diferente: não poderia estar junto com todas estas pessoas queridas, não teria toda esta atenção e respeito pelas minhas decisões, meu marido não teria o direito de parir junto comigo como fez, não teríamos esperado tanto tempo para cortar o cordão, enfim…. fui uma mulher empoderada, de sorte e iluminada por passar pelo processo de parto desta forma e fico muito feliz de ver que outras mulheres também fazem isso ser possível e que tem apoio para isso!
    A cesárea é sim uma cirurgia maravilhosa, mas que deveria ser feita apenas quando é necessária, para salvar vidas, e não para ser banal como está sendo.
    Namastê! :-)

  15. Luciane disse:

    Olá! Eu quis muito parto natural, mas foi uma desnecesárea. Choro todos os dias há 10 meses. Por mais que eu tenha buscado é difícil encontrar informação e os meios certos (profissionais, local, etc). É preciso lutar sim e muito para que o parto humanizado seja a regra e não exceção.

  16. Beto disse:

    Oi Gabi
    Parabens pelos videos ficaram bem bacanas.
    Fico impressionado com a falta de informacao de mulheres que querem ter filho, porque geralmente as que querem ser maes tem no minimo a curiosidade em estudar sobre o parto e sobre o que é melhor para o seu bebe. Continue fazendo sua parte e mostrando como essas coisas sao feitas aqui no Brasil, quem sabe um dia nos deixamos de alimentar essa industria milionario que é a do parto! Nao vejo muita opiniao masculina sobre esse assunto…

  17. Renata disse:

    Eu não ia comentar até ler algumas mães que tiveram suas cesareas criticando seu ponto de vista.

    Triste não é passar por uma cesarea, triste é escolher uma num ambiente nada acolhedor tendo a opção de um parto com respeito.
    As pessoas ainda confundem parto normal, que pode ser altamente repleto de violências, com parto humanizado, que também pode ser uma cesarea com muito respeito envolvido.

    Desculpa da mãe que diz que não é para todas um parto assim. Falta informação, falta emponderamento (palavra que está na moda, mas que faz tanta diferença).

    Eu estou abrindo mão de um convênio e um GO que tem sua sala repleta de pacientes marcando suas cesareas com 37 semanas para ir ao SUS e ter ao menos um pouco mais de dignidade em minhas escolhas. A lei me garante isso em SP.

    Parabéns pela postagem e continue assim, informando quem quer mesmo que cause tristeza e revolta nas que não querem enxergar!

    Abraços

    • Gabi Sallit disse:

      Obrigada, Renata!
      Boa hora para vc!

    • sheila ferreira disse:

      Sabe Renata sem sempre é simples assim… fiz a mesma coisa que vc larguei Go bonzinho de convenio e fui me informar me emponderar, procurei o hospital humanizado na minha região fui a curso lá me informei e disseram que la eles colocam em primeiro lugar o parto natural…faltando 1 dia pra completar 40 semanas pela ultra a qual passamos a gravidez inteira seguindo por minha menstruação ser desregulada, consegui uma doula voluntaria.
      No dia seguinte fomos ao hospital para ela se cadastrar e eu passar em consulta de rotina… e para nós conhecermos… Chegando la ja mudaram o assunto falaram que iriam ver pela minha dum e que era pra voltar na segunda para fazer o parto. pq estaria de 41 semanas e para quem cesariana anterior eles so esperam ate ai, e que faria indução por sonda de folen caso tivesse pelo menos 1 dedo de dilação… Resumindo o final… não induzirão mesmo estando com dilatação e com dor, pois só fazem indução por sonda com óbito fetal, não me deixaram sair do hospital fazendo pressão psicológica horríveis… e quando começou a piorar a dor a enfermeira que era uma amor chamou o médico “humanizado” e falou se não poderia me examinar pois estava com dor e podia ter aumentado a dilatação, eles simplesmente virou as costas e disse. Não ela Cesaria Anterior…. Acabei em uma desnecesaria ao qual até hj me doi pq poderia ter tido minha filha em um hospital particular e as vezes ter tido um parto normal e fui pro mais provável e cai no conto do vigário… Espero que seja diferente pra vc… ou foi…..

  18. Ludmila disse:

    de fato eu tbm so vi o bebe enroladinho na cobertinha ehhehe…..mas minha cesárea não foi assim não…..foi diferente e o plantonista e o meu médico que fizeram…de fato é sim diferente ne….mas tbm não é este terror todo…….minha filha foi acompanhada pelo meu marido sim…e tbm esta questão de o pai cortar o cordão sinceramente vai mto de pai pra pai viu quando fiquei gravida meu marido falou……tenha qqr parto menos em casa……..bom enfim….acho super bacana essa sua bandeira de aperto humanizado mas tbm tem cesáreas e cesáreas…….e tem partos normais que não são humanizados e o sofrimento tbm é mto grande…sou a favor do parto humanizado sim mas a violência obstétrica pode ser tanto na cesárea quanto no parto normal…….por isso a palavra humanizado é a parte mais importante…….mas essa cesárea de fato o descaso é grande não é….se eu tiver um outro bebe quero mto mto parto normal…mas no hospital e pode ate ser sem analgesia e tudo mais…porque meu marido e meio bundão pra essas coisas dai tbm nao quero ele desconfortável e se sentindo mal ne é momento de alegria…..acho que cada familia faz o melhor pra si….o que falta e incentivo e informação às mamaes para o parto humanizado isso falta….mas tbm nao sei se serei mamae de dois ne…..bom acho sua luta e as informações coerentes mas nem sempre as mamaes tem informações e preparo suficientes e acaba indo pela cesarea pela influencia dos medicos esses sim deveriam ser melhores profissionais….

  19. Elisa disse:

    Bem didatico, devia ser mostrado na escola quando se ensina a reproducao humana.
    E depois tem gente que acha que parto humanizado eh frescura, que cesariana humanizada tem a ver com luzes coloridas. Quando eh que o povo – profissionais de saude inclusive – vai entender que parto e cesariana humanizados tem pura e simplesmente a ver com respeito.

  20. Joanna disse:

    Oi Gabi,

    O seu site é muito interessante e tenho certeza que ajuda muitas mães a vivenciarem a maternidade da maneira mais plena possível.

    Sou a favor do parto humanizado. Aliás, sou a favor da escolha da futura mãe, que munida de todas as informações necessárias, possa definir como será o momento mais importante de sua vida. Muitas vão concordar com suas convicções e farão um parto humanizado em casa ou em um hospital que possua estrutura para tal parto. Outras, por sua vez, farão a opção por um outro tipo de parto. E, ainda, uma boa parcela não terá opção de escolha. Foi o que aconteceu comigo.

    Tive uma médica maravilhosa que me acompanhou e me acolheu durante todo o meu período gestacional. Sempre conversamos que meu filho nasceria na hora em que ele estivesse preparado para encarar esse “mundão doido”. Entrei em trabalho de parto, fui para maternidade e minha médica, sempre ao meu lado, fez o possível para que eu pudesse ter um parto normal. Por motivos que não cabem serem explicados e que a medicina já indicou que a cesária é a melhor opção, tive que ir “para faca”. Pesarosa, mas consciente que era o melhor. Minha médica foi de uma doçura e profissionalismo que me comovem até hoje. Peguei meu filho no momento em que ele nasceu e eu e o pai ficamos um bom tempo namorando nosso pequeno. Logo após a cirurgia, na sala de recuperação, meu filhote já estava comigo e ficamos juntos até a saída da maternidade.

    Foi o que eu esperava? Não. Foi maravilhoso? Foi. E é por isso que escrevo. Faça campanha pelo parto humanizado, pois realmente é lindo e deve ser uma experiência indescritível. Porém, não tire a magia do momento daquelas que não puderem ter a mesma experiência que você. Informação materna é imprescindível para que o momento seja maravilhoso como deve ser. Só que o parto humanizado não será para todas. Não foi para mim e minha cesária não se parece em nada com a do vídeo publicado. E torço para que no meu próximo parto eu possa ter a possibilidade de ter o empoderamento tão lindo do parto normal.

    Um grande abraço, Joanna

    • Gabi Sallit disse:

      Joana, estas informações têm que ser divulgadas. Vc exigiu uma cesárea bacana, porque estava informada e queria um parto. Se as pessoas continuam achando que “é a mesma coisa”, “não faz diferença”, ou “isso de pensar em parto é uma bobeira” o tipo de atendimento que a Elizabeth recebeu vai se perpetuar.
      Eu não escrevo este tipo de post pensando em quem já teve a cesárea. Escrevo pensando nas que ainda podem evitar. Sei que magoa gente como você, mas é um custo que tenho que assumir, por algo que penso que é um bem maior. :)

  21. Lair disse:

    Gabi,
    Quando essas mulheres falam de dinheiro eu as entendo. Um parto humanizado no Brasil é caro. Custa muito. Pouquíssimas podem pagar. Assistência humanizada pelos planos de saúde? Quase impossível. No teu caso, o parto seria domiciliar (penso que terias um custo) mas as coisas acabaram te conduzindo pro Sofia (que é exceção isolada no sus). O que me leva a concluir que não basta querer. Infelizmente. Tem que poder. Espero que nossa cultura em relação ao parto e ao nascimento mude e que todas possam ter uma assistência digna. Isso sim me faria suspirar!

  22. Daniela Ramos disse:

    Meu parto foi cesárea e foi perfeito para mim e meu bebê. Logo que ele nasceu o médico me mostrou sim, segurando o bebê com muito cuidado. Cada caso é diferente, não dá pra generalizar e cada um tem as condições que tem.

    • Gabi Sallit disse:

      Daniela, fico feliz por vc e pelo seu filho. Não é a regra. Na verdade, penso que seu bebê deveria te ser entregue, e não “mostrado”. A primeira hora de vida da criança é super importante, inclusive para o estabelecimento da amamentação. Bebês recém-nascidos devem estar com as mães.
      Um abraço!

  23. Sonia disse:

    Gente, pra mãe é um acontecimento, pro médico profissão. Quem pode pagar pra ser paparicada que pague. Quem não, sujeite -se sem dramas. Tive os meus de parto normal, sem ninguém me abanar e sem frustrações. Mulher de hoje é cheia de frescura, minha avó teve 6 com parteira que rasgava com a mão o perineo todo e faziam sua quarentena trabalhando.
    Vamos por a fila pra andar e questionar como milhões de mães irão poupar seus filhos dessa política nojenta e poupa – lo de se contaminar.

    • Gabi Sallit disse:

      Sonia, parte da profissão é tratar o ser humano com respeito – está no Código de Ética dos médicos, inclusive.

      Este parto humanizado que vc está vendo no post aconteceu no SUS, no Hospital Sofia Feldman. Ninguém pagou para ser paparicada.

      • Ludmila disse:

        nossa mas tbm nao precisa ser uma mulher das cavernas……como a Gabi disse é questão de ética SIM os médicos devem se preparar MELHOR sim concordo com a gabi falta preparo dos médicos e eles tem que informar as mamães…..

  24. Camilla Comar disse:

    Madre mia!!! triste demais… de embrulhar o estômago!
    Mais triste me ver nesse lugar por nao ter conseguido o parto que eu lutei 41 semanas e 6 dias! No nosso caso a cesarea nos salvou… mas isso nao me deixa menos frustrada ou menos triste!
    Aqui (na España) o sistema acabou me tirando de uma cesarea… mas infelizmente e nao escapei de uma! :(
    Continue brigando… alertando… nao entendo porque siguem preferindo uma cirurgia a um parto natural… anestesia… pós-operatório… se sentir a paciente deixada de lado (e aqui eu acho que ainda é pior… porque é cirurgia de verdade… nada de marido… camera ou qualquer coisa do estilo!).
    beijo grande

  25. Andressa disse:

    Tristeza é ver uma mãe julgando o parto de outra mãe como “inferior” “menos mágico” que o dela pq decidiu que as suas escolhas são “acertos universais”, talvez o parto humanizado tenha sido o melhor para você, porém não significa que é o melhor para outras mães, que não tem condições de ter um filho do mesmo meio ou até mesmo não querem. Agora dizer que o seu parto foi mais “mágico , com passarinhos cantando ao fundo” do que o meu ou de qualquer outra mãe que fez cesárea é insensível, mau educado, grosseiro e egoísta. Meu parto foi mágico e os seus comentários sobre o parto de outra colega me fazem pensar que o seu talvez não tenha sido tanto como quer parecer aos outros, afinal o parto, o fato de ser mãe deve nos mudar para melhor… de tão mágico e lindo que foi o momento que vi o rostinho de meu filho pela primeira vez não consigo ser tão negativa com o parto de outra mulher, seja ele na água, cesárea, normal, com fórceps… enfim, um parto!!!! O dia em que a maternidade te tocar de verdade vc vai entender… fica a dica….

    • Gabi Sallit disse:

      Você viu o vídeo da cesárea, Andressa? Quem o narra é a Elizabeth, a mãe que passou pela cirurgia.

    • Bruna Mairesse disse:

      Concordo plenamente com cada palavra escrita em seu comentário Andressa.
      Eu passei por uma cesárea, pois precisei, mas nem por isso o nascimento do meu filho foi menos “mágico” do que o nascimento de qualquer bebê nascido de parto normal. Muito pelo contrário, fui muuuuito bem atendida e muuuuuuuito bem acompanhada, com médicos Humanos, se é que me entende. Não com qualquer “açougueiro”. Ao contrário da minha mãe, que teve a pior experiência da vida dela em um parto normal ou “ANORMAL” (pois é assim que ela o chama), ela sofreu calada, sem derrubar se quer uma lágrima, para que não sofresse ainda mais.
      Me revolta ver pessoas que em vez de cuidar das próprias vidas e das próprias escolhas, se metem nas escolhas e decisões dos outros, Sem sequer saber os seus motivos.
      Não é porque uma mãe teve seu filho de forma “cesárea” ela se torna menos mãe.

      • Gabi Sallit disse:

        Bruna, fico feliz que tenha garantido um nascimento respeitoso para o seu filho. Não é a regra. Na maioria absoluta dos casos, acontece isso que está no vídeo: bebês nascendo em cesáreas eletivas, fora do trabalho de parto, mulheres privadas do seu direito de decidir, nenens arrancados do útero, com clampeamento precoce de cordão, sem contato pele e pele. É uma tristeza.
        O post não é para vc, que está feliz com a sua cesárea. É para aquela moça que que parto normal, mas está ouvindo mil empecilhos do médico. É para quem acha que é tudo igual. Não é. Eu não escrevo para quem tem a opinião formada, escrevo para quem está buscando.

        Grande abraço!

        • Maíra disse:

          Eu que não entendo como uma pessoa que está feliz e realizada com o parto – que já teve – vem comentar e “reprimir” uma pessoa que está tentando AJUDAR, ESCLARECER, DAR INFORMAÇÕES, pra quem busca DECIDIR e ESCOLHER como terá seu filho. Gabi, parabéns pelo seu trabalho e por enfrentar esse sistema de gente que julga e é egoísta. Sim, porque quando manda você ir cuidar da sua vida e deixar as pessoas pensarem como querem, manda você parar de dar informação e orientar quem QUER INFORMAÇÃO. O problema do Brasil é esse, as pessoas não querem pensar coletivo, porque dá trabalho e tudo parece que ofende. Deus é mais! Bom trabalho, vou continuar passando por aqui pra me emponderar cada vez mais! Obrigada!

  26. Raquel Sbrissa disse:

    Já disse minha amiga do peito… “Quanta empatia no texto!!!” Minha humilde opinião é que deve ser pre requisito de parideira essa arrogancia ou talvez seja efeito adverso da ocitocina. OHHHH Mulher parideira você é tão doce e meiga que jamais perguntaria qtos milhares de reais vc pagou por esses urros, gargalhadas e pulsações.

  27. Regiane disse:

    Não se pode generalizar!
    Sempre fui extremamente a favor do parto vaginal, seja como for. Tanto que gostaria muito, mas muito mesmo de ter tido meu filho dessa forma. Porém, nem tudo é como gostaríamos que fosse. Não consegui. Não dilatava.

  28. Ciça disse:

    Gabi
    Não existe explicação maior do que é um parto humanizado.
    Vi o vídeo de seu parto mais de uma vez e chorei de alegria vendo tanto amor e afeto. Acredito que não exista forma melhor de receber um bebê nesse mundo.
    Não tem como não se emocionar.
    Parabéns pela coragem e por desenvolver tão bem seu papel de mulher, mãe e ativista.
    Deus não poderia ter escolhido pessoa melhor para compartilhar conosco essas preciosas experiências!!!

  29. Lucélia disse:

    Misericórdiaaaaa!!!! Genteeee tô chocadaaaa…quanta violência nessa cirurgia brutal. Meu coração tá apavorado. Ainda bem que tem o seu vídeo para aliviar.

  30. Izabella disse:

    Ola Gabi,
    Nao tenho palavras para parabeniza-la pelo seu trabalho (melhor chamado de missão)!!!! Ja li varias vezes a maioria dos seus posts e me emociono sempre que leio.
    Estou em estado de choque com essa violência (paga!!). Dói o coração ver como tantas mulheres são enganadas no Brasil para sustentar um sistema doentio e mesquinha. Apesar de o sentimento que predomina ser o de tristeza por essas mulheres, numa hora dessas dou graças a Deus de morar na Holanda, um pais onde o parto natural/humanizado eh a regra. Muitos, muitos aplausos para voce e aqueles com quem voce trabalha!!!
    Precisamos de muitas Gabis!!!
    Bj, Izabella.

  31. Ana disse:

    Gente, eu ri de emoção, gargalhei com a mudança dela de dor pra alegria em segundos, que coisa maravilhosa!! Sem contar a recuperação depois que é super rapida!! Que maravilhoso <3 Parto Normal é tudo de bom!!

  32. Patricia Caleman disse:

    Chorei de tristeza vendo o primeiro vídeo só em lembrar que passei por isso. Só que no meu caso o medico nem me mostrou meu bb, qnd nasceu o pediatra já pegou levou ele. mt triste! :(

  33. disse:

    na boa. quero nem ver o primeiro video! !!!
    :(

  34. Fernanda Arantes disse:

    Realidade triste ne Gabi! Me corta o coração!

  35. Carolina disse:

    Lindo, lindo, lindo o segundo video… Estou chorando de emoção!!! Qto ao primeiro video, fiquei com agonia… Temos q denunciar esses médicos que se acham no direito… Pq não criar uma lista de médicos que agem dessa forma? Assim futuras mamães terão acesso e mais informação… Morro de medo disso acontecer comigo…

  36. Lyla disse:

    Aff Gabi!!! O que era aquilo no primeiro vídeo??? Que movimentos eram aqueles??? Estavam mexendo na barriga de uma mulher ou virando uma chave de roda pra trocar pneu??? Ahhh meu deus… e o rostinho dela (da mãe)… sem palavras….
    Sabe, eu tive uma ótima obstetra que (pasme) me orientou sobre o parto natural domiciliar e sobre plano de parto. Eu cheguei lá só conhecendo parto normal e cesária… e queria parto normal.
    Tive uma gestação linda, super bem informada e orientada pela minha médica.
    Quando chegou a hora, depois de 41 semanas, 3 dias e mais de 36hs de trabalho de parto que passou pelo estágio do natural, depois para o normal, terminei numa cesariana humanizada. Meu marido, minha doula, minha médica e até o anestesista (que eu tinha acabado de conhecer) foram cuidadosos comigo. Minhas mãos estavam livres para que eu pudesse receber meu bebê assim que ele saísse de dentro de mim. E ficou comigo todo o tempo em que eu estava sendo suturada.
    Dói o coração quando vejo mulheres/mães sofrerem essa violência. Dói quando escuto mulheres/mães dizerem que não abrem mão de um parto cesário pq detestam sentir dor e pq é muito mais rápido e seguro (sem querer botar lenha no mimimi usual).

    O que acalenta são imagens como as do seu parto. É saber que cada vez mais mulheres/mães estão incomodando pq foram à luta, estudara, se informaram e estão se fazendo ouvir :)

    Gabi, parabéns pelo seu trabalho no blog e pela forma como aborda os assuntos.

    gratidão e bjo nas crias :)

  37. Thami Hull Fotógrafa e Doula disse:

    É muito triste que haja essa diferença né?
    Queria muito que o modelo de assistencia do 2:47 minutos fosse regra e não excessão.
    Beijos Gabi

  38. Lígia Chiari disse:

    Sabia que você não ia largar o blog 😀 hehe Taí o post perfeito pra sua amiga! :)

  39. Bárbara disse:

    E aí está o post que eu indico!
    :)

Deixe uma resposta para Andressa Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>