João, aos 4 ou Sim, ele é alguém diferente de você.

João, este ano, fez a lista de convidados da sua festa de aniversário. Excluiu gente que eu tenho certeza que mora no coração, colocou em local de honra uns amigos que eu nem sabia que tinham este título.

Quando eu perguntei quais frutas queria na festa, ele foi categórico: “sem frutas. Não aceito nenhuma na minha festa. Só doces.”

Eu queria marcar no parque e estava triste por causa da chuva. Ele prefere que a festa seja no nosso apartamento and no salão de festas do prédio. Pretende enfeitar o elevador e quer um bolo exclusivamente para lá.

Ele AMA televisão e, dia destes, revoltado porque só pode assistir a um filme por semana, aos domingos, soltou: “Já dormi dois dias e esta porcaria de domingo não chega!”

Eu queria criá-lo para ver todos como iguais, ele enxerga a diferença o tempo inteiro, desde o primeiro olhar.

Eu achava, na feliz inocência que nos assola antes de sermos mães, que bastava a gente criar os filhos “do nosso jeito” que eles cresceriam do nosso jeito. Este menino que se esconde atrás da mesa para comer outro brigadeiro, só conheceu açúcar quando tinha mais de dois anos. O carinha que fica duas horas hipinotizado na frente da tela como se fosse a melhor coisa do mundo foi criado na pracinha. A pessoa que pesca dois homens de mãos dadas na multidão nasceu e cresceu com dúzias de tios do mesmo sexo frequentando sua casa, beijando-se na sua frente, mostrando que toda forma de amor vale amar.

João, aos quatro anos, não sou eu. Ele nunca foi uma caixa vazia, que eu tinha a chance de preencher com que achasse bom e digno. Já nasceu sendo alguém; com personalidade, qualidades e defeitos. A mim, como mãe, nunca coube o papel de “fazedora de mentes”. Estou aprendendo, devagarzinho, que educar é lapidar, aparar arestas. O material que temos em mãos é sólido como pedra, não maleável como argila.

Feliz aniversário, filho. Que eu aprenda com as qualidades lindas que você tem e que possa te ensinar algo, mesmo com as minhas limitações.

Ah! Na sua festa vai ter fruta. O elevador não é lugar de brincar. Nas férias, podemos ver três filmes por semana, mas só nas férias. O moço que está beijando o namorado provavelmente o ama, como o papai a mim. Não sou chata, sou sua mãe. Alguém diferente de você, mas que te adora mais que tudo.

Nola, Bahamas e Miami out 2015 158

Crie o site do seu Neném

Sobre Gabi Sallit

Gabriella Sallit virou Gabi ainda pequenininha. E, para não ter um filho que tivesse que explicar a vida inteira a grafia do seu nome (aprendeu a falar "meu Gabriela é com 2 Ls" antes de papai e mamãe), escolheu um nome pequenininho para o seu filhote. João está começando a falar e já escolheu como prefere ser chamado: Jão!

VENHA, e CONECTE-SE COM A VILA!

Receba as novidades em primeira mão!

Esta entrada foi publicada em Sem Categoria e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

8 respostas a João, aos 4 ou Sim, ele é alguém diferente de você.

  1. Maria Luíza disse:

    Lindo lindo lindo! Me emocionei! Parabéns João!

  2. Marilia disse:

    Adorei e me emocionei!

  3. Katia disse:

    João, falei pra sua mãe que ia fazer um show na calçada do seu prédio quando você nasceu quatro anos atrás, pra comemorar. Ela me ameaçou dizendo que ia jogar água! Pelo que percebo, esse show vai rolar loguinho e se ela jogar água vai ser ainda mais legal!!! <3 Parabéns, lindezo!!!

  4. Bárbara disse:

    <3
    só isso.
    <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>