Muitos pintos

Estou começando a entender este negócio de Google Analytics e ando rolando de rir dos argumentos de pesquisa que acabam trazendo as pessoas ao blog. A impressão que tenho é que a busca é feita juntando todas as palavras que já escrevi algum dia, mesmo que em contextos completamente esquizofrênicos: aparecem misturebas interessantes, tipo “quarto estilo hippie para bebê”, linkando o post sobre o quarto do João e a descrição aí ao lado, na qual falo que sou “muito hippie para o Direito”, até umas coisas sem pé nem cabeça, tipo “ver se patati patata nos aceitou” (!!!).

Gosto de dividir a comédia com vocês, então, olha aí o que trouxe alguns visitantes para o bloguinho nos últimos dias:

Malu Mader tricotando

Nome da santa que está no processo

Eba vou para praia no feriado

Parto da Lícia Ronzulli

Pesquisa o país do mundo que não e superana

Como servir melancia

Grudar folhas moleskine

Quarto bebê surfista

Mãe faz tatuagem em bebê em Cuba

Ver se patati patata nos aceitou

Si bora trabalha ganha $$

Mulher foge em trabalho de parto

Como não sou boba nem nada, resolvi aproveitar meus recentes conhecimentos e usar o título do post para aumentar o nosso público (espertona!!) Vou testar se é verdade este papo que o que segura a internet é a pornografia. Vamos ver se o número de visitas dobra, com o título de safadinho aí. #todaspira

Para que as fiéis leitoras, que vêm aqui de propósito – mesmo que não saibamos se a Malu Mader prefere tricot ou ponto cruz –  não se sintam enganadas, vou falar sobre três pintos:

1 – O primeiro é o livro llllliiiindddooo, que a fofa da Juliana da Livraria Quixote me indicou, chamado O Pintinho, de Ed Vere, publicado no Brasil pela Brinque-book.

As ilustrações são bacanas e o texto não tinha como ser mais cotidiano: o pintinho nasce, a mamãe chega, o pintinho come, faz cocô e dorme. João AMA e está quase furando a mão, de tanto fazer a coreografia do Pintinho Amarelinho, para que contemos a história de novo. Vale o sacrifício de ficar o tempo todo o vigiando, já que o livro é de pop-ups e não aguenta a mãozinha pesada do meu Pequerrucho.

O Pintinho

2 – O segundo papo sobre pinto é uma dúvida para as mães de menino: como lidaram com a fimose dos seus garotões? Passaram pomada? Deixaram a natureza agir? A pediatra nos recomendou o remédio, fiquei insegura, coloquei o assunto na minha lista de discussão (partoativobh, no Yahoo Grupos) e isto está rendendo pano para manga. Um milhão de opiniões bacanérrimas que depois quero dividir com vocês!!!

3 – Não há mais nenhum assunto pintístico que eu possa tratar em público, então lembrei da música da Arca de Noé, cantada pelas Frenéticas, que é fofa de tudo e ótima para começar a semana que só chegou na quinta-feira!

O Pintinho by As Freneticas on Grooveshark

Bjs procês!

Crie o site do seu Neném

Sobre Gabi Sallit

Gabriella Sallit virou Gabi ainda pequenininha. E, para não ter um filho que tivesse que explicar a vida inteira a grafia do seu nome (aprendeu a falar "meu Gabriela é com 2 Ls" antes de papai e mamãe), escolheu um nome pequenininho para o seu filhote. João está começando a falar e já escolheu como prefere ser chamado: Jão!

VENHA, e CONECTE-SE COM A VILA!

Receba as novidades em primeira mão!

Esta entrada foi publicada em Sem Categoria e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

25 respostas a Muitos pintos

  1. Ricardo Andrade Magalhães disse:

    Gostaria de receber email ou contato de Cláudia Elias Magalhães.

  2. Ricardo Andrade Magalhães disse:

    Gostaria de receber o email ou contato de Cláudia Elias Magalhães

  3. Sim!
    Funciona! Fiquei curiosa sobre o título do post e estou aqui conhecendo o blog! Já li uns outros 10 posts e já estou APAIXONADA por seu blog! Muito bom… muitas reflexões ótimas… muito bom humor! Ah! E já curti a fanpage também… tudo em meia hora!
    Beijos e até a próxima visita!
    Iza Garcia
    http://www.roteirobaby.com.br

    • gabisallit disse:

      Ô, Iza! Desculpe a demora para responder, seu comentário foi para a caixa de spans. Que bom que está gostando do blog! Depois passo lá no Roteiro Baby, para retribuir a visita!

  4. Malisa disse:

    Delireiiiiiiiiii, kkkkkk. vamos ao tópicos:

    1- parece bacana mesmo o livro.
    2- Quanto a fimose…cada um é cada um a do Pedro nem com o remédio não soltou então a própria pediatra o instruiu para massagear durante o banho, como o Tiago escutou ele também sempre faz e lembra o Pedro. Como a do Tiago sempre esteve na “cronologia da soltura” rs não teve problema…. claro que sempre limpando o pintinho, que até ter filhos, desconhecia este lado sujo.
    3- Isso ai gabi, vamos ver com quantos Pintos se faz a web, google ou seja lá o que for.
    Bj e boa semana

  5. Cláudia Elias Magalhães disse:

    Amei!!!
    Vc está fantástica!
    E eu adorando….

  6. Gabi Magalhães disse:

    Que coisa engraçada! Sabe que o Dido fez a tese de mestrado e agora está fazendo a de doutorado nessa área de instrumentos e logaritmos de busca? Eu acho o tema bem interessante…
    Quanto ao título, me me interessou de imediato, mas acho que pelos motivos impublicaveis… 🙂

  7. Erica de Castro disse:

    Estou de TPM, mau humor do cão e sono atrasado… ESSE POST SALVOU MEU DIA! ahuahauahauahauhau!

  8. Simone disse:

    Aqui Gabi conta e as visitas aumentaram…kkkkk pq imagino que palavras tao sugestivas assim….hehehe,agora em como servir a melancia #misericordiaaaaaaaaa# a coisa ta preta sera que essa pessoa esta realmente com uma melancia…??mas voltando ao assunto presente,na questao do que fazer eu nem me manifestei la na lista pois tenho uma menininha em casa,mas meu esposo quando criança teve que operar mesmo a mae dele fazendo as massagens e diz ele que oh cruel,que dependendo de como se puxa realmente machuca doi….e indo pra adolescencia ele realmente teve que fazer a intevençao,entao assim segundo ele so ajudaria na limpeza e que de certa forma tbm acaba ajudando mais deixando seguir em frente,eu acho que manter um dialogo aberto entre maes,pais e filhos seja muito importante pq da uma brecha que mesmo que ele nao queira talvez se abrir com vc,mas tera seu esposo pra isso,eu falo pq la em casa nao tivemos isso entao toda mudança nossa foi um custo,pq tudo era aprendido na rua,nos livros nao tinha abertura pra falar ai fica realmente muito complicado e boa escolha la pro melhor pra vcs que certamente seu coraçao dira.bjs

  9. Patricio Yuraszeck disse:

    Olha só no meu caso como foi: encontrei você pelo muito hippie para o direito. Estava na sala de casa no note quando apareceu sua foto pb com o baby no colo. Chamei minha esposa e disse: você tem um blog?
    Ela riu mas quando viu a foto ficou pasma, pedi pra que não falasse nada e chamei a Laura minha filha, perguntei quem era na foto e ela respondeu: não conheço esse bebê no colo da mamãe. De tão certa que você era minha esposa a única dúvida que sobrou pra ela foi de quem era o tal bebê no colo da mamãe.
    Sei lá se está dentro do contexto, mas mudando o tema google, as pessoas se encontram e não é por acaso. Minha esposa teve nossa segunda filha de parto natural com doula e é uma defensora da técnica natural.
    Beijo no coração e parabéns por mais um texto interessantíssimo.

  10. Fê Nahás disse:

    Ahahahahahaha!!!!!
    Eu a-d-o-r-e-i este post!!!!!!
    Tem uns que pra quem não é mamãe (como eu) não me dizem mto (fico meio boiando no assunto). Mas este foi hilário!
    Sobre os assuntos de busca…
    “Quarto bebê surfista”: uma conhecida minha usou a prancha do falecido marido pra decorar o quarto da baby deles (e ficou mto fofo!).
    “Mãe faz tatuagem em bebê em Cuba”: espero q sejam tattoos como as que meu afilhado João lindão usa, senão… vamos lá em Cuba bater na mãe?????

  11. Eu até me interessei pelo assunto dos pintos mas só consigo pensar na pessoa que vai no google perguntar como se serve melancia.
    x

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *