Viagem internacional com bebê – Malas, hotéis e rotina!

Ah! Se você chegou até aqui, já é uma vitoriosa! Passou por desafios que fazem muitas amarelarem! Decidiu fazer uma viagem internacional com bebê, pagou por ela (não é fácil), escolheu democraticamente o destino (não é fácil²), ultrapassou o desafio do avião (não é fácil²²²²). Agora a história é: onde ficar? Há lugares melhores e piores para se hospedar com os filhos?

O hotel

Antes de ter o João, escolhia minha hospedagem pensando assim: boa cama, bom chuveiro, ar condicionado funcionando e excelente localização. Para mim, que passava pouquíssimo tempo no quarto nas viagens, era só o que importava. Com o João, o básico continua o mesmo, mas preciso de um pouco mais de infra.

Caso tenha chance, escolha um flat. Os motivos são fáceis de perceber: você terá mais espaço, liberdade para aquecer a comida do bebê e lavar os vasilhames sem ter que pedir room service (bebês não gostam de esperar!), uma geladeira decente para guardar frutas, um lugar confortável para fazer um suco fresquinho. Dependendo da duração da viagem, é interessante considerar a possibilidade de lavar a roupa do pequeno – isto te poupará de uma mala imensa, já que eles sujam muitas peças por dia. Eu já lavei na pia, com o sabonete dele (e coloquei para secar naquele dispositivo que aquece toalhas, que há em lugares frios, ou no box) e já mandei para lavanderia. É pura conveniência: você escolhe se está disposta a pagar por este conforto ou não.

Normalmente, mando uma cartinha para o hotel, uns dias antes de ir, para “lembrá-los” que vou com o bebê. Mais do que receber as informações, meu objetivo é criar uma empatia com a minha situação. Charminho de mãe, sabem como é, né 😉 ? Uso, normalmente, o seguinte texto, com poucas variações:

Prezados, boa tarde.

Meu nome é Gabriella Sallit e estarei hospedada em seu hotel do dia X ao dia X deste mês. Viajo com meu filho João, que tem X meses.

Gostaria de tirar algumas dúvidas:

1) Chegaremos na cidade às 09:00 horas, antes da abertura do check in. Como o bebê estará muito cansado, há a possibilidade de prepararam nosso quarto um pouco antes? Seria maravilhoso!

2) O hotel disponibiliza berço e banheira para bebês?

3) Posso usar o room service para aquecer a comida do bebê?

4) O hotel tem serviço de lavanderia?

Agradeço a atenção.

Gabriella

 Como sou amiga de vocês, segue a versão no meu inglês macarrônico (quem puder me ajudar a melhorar, não se acanhe):

Good afternoon.

My name is Gabriella Sallit and will be hosted in your hotel the day X to day X this month. I travel with my son João, who is 9 months old.

I would like to take some questions:

1) We arrive in the city at 09:00 am, before the opening of check-in. As the baby will be very tired, there is a possibility they prepared our room a little before?

2) The hotel provides cots and bath for babies?

3) Can I use room service to heat baby food?

4) The hotel has a laundry service?

I appreciate the attention.

Gabriella

Minha experiência é 100% positiva, sempre me responderam e estavam preparados para receber o João quando chegamos. Na verdade, uma vez recebi um e-mail dizendo que não tinham o registro da minha reserva (comprei por uma agência) e isto me deu a chance de resolver o problema antes de viajar. Imagine a dor de cabeça que me poupou!!!

Nossos nomes registrados na parede da Bodeguita, em Havana

Nossos nomes registrados na parede da Bodeguita, em Havana

O mapa

(antes de qualquer coisa: se alguém me chamar de neurótica paro imediatamente de dar dicas aqui, ok? Estou me tratando. 😉 )

Sou do tipo que viaja na viagem. Então, antes de embarcar, crio um arquivo no Google Mapas, marcando o hotel, as farmácias e supermercados mais próximos, o hospital mais perto, a estação do metrô. Também sinalizo as lojas que quero visitar, e os lugares que quero ver. Isto é ótimo, pois, quando chego, estou familiarizada com a região e ainda impressiono o marido com meu cosmopolitismo e meu maravilhoso senso de direção, quando digo: “há uma farmácia dois quarteirões para lá”, ou “vamos à padaria ali da frente, que só vende orgânicos.” Estar preparada é tudo!

A rotina

É muito difícil palpitar sobre a rotina do bebê dos outros. Há famílias mais tranquilas, cujas crianças não sofrem tanto comendo ou dormindo em horários diferentes e outras cujas mudanças mais sutis viram um super drama. Aqui em casa, neste aspecto, estamos no caminho do meio – como em quase tudo na vida. João aceita bem comer fora, ama frutas (o que é um pé na roda), experimenta outros sabores com boa vontade (provou pato em Paris e joelho na Alemanha, olha que phyno!), mas não dorme na rua de jeito nenhum. Tira os cochilos numa boa, mas, no horário do seu sono noturno tem que estar em casa, porque senão… sai de baixo!!!

Meu melhor conselho é: você conhece o seu bebê melhor do que ninguém. Podem estar em Hong Kong ou na Jamaica, mas ele continua sendo o seu filho. Você sabe o que ele aguenta e o que não e ninguém é mais apta do que a mãe para criar soluções criativas que deixem a família feliz.

Vou dar um exemplo. Alexandre e eu adoramos comer. Ficávamos tristes de pensar que estaríamos em Paris e perderíamos os jantares, que é algo que amamos, porque o João dorme cedo. O que fizemos??? Mantivemos o Pequeno no fuso do Brasil!!! São 4 horas de diferença daqui para lá, para mais, ou seja, João, que dormia às 19:00 e acordava às 07:00 horas, passou seus dias na Europa indo para a cama às 23:00 e acordando às 11:00hs! Olha que luxo! Fazíamos as reservas para 20:00hs, jantávamos com tranquilidade e chegávamos no hotel a tempo de relaxar, dar banho, por na cama sem drama. Delícia!

Em Cuba não conseguimos fazer a mesma coisa. A diferença de fuso não nos beneficiaria, mas, por outro lado não dá para dizer, exatamente, que Havana é uma capital gastronômica (pelo contrário). Então, substituímos os jantares por almoços e aproveitamos muito a praia e os outros passeios que começavam cedinho.

As malas

Prepare-se, querida: você vai custar a viajar leve de novo.

Quando João era bem pequeno, eu levava TUDO que era dele. De toalhas a lençóis. Com exceção de uma vez, cuja roupa de cama que o hotel me forneceu tinha cheiro de naftalina, as roupas de cama geralmente voltavam intactas. Então, fica a dica: se você escolhe um bom hotel, economiza espaço na mala.

Agora eu desencanei. Levo as roupas dele, um nécessaire com versão para viagem dos seus produtos de higiene e seja-o-que-deus-quiser. Calculo 3 jogos de roupas por dia (dia + noite + acidente de percurso) , para  5 dias e, se a viagem for mais longa que isto, mando lavar. Caso o destino seja muito frio, lembre-se da regra de vestir em camadas: na rua é gelado, mas dentro dos lugares o aquecimento deixa a temperatura bem quente. Não mate seu bebê de calor.

Little tips:

Berço portátil: não tenho e nunca levei. Nunca tive problemas para conseguir um no hotel.

Banheira: tenho uma inflável, fofa, que nunca tirei da mala. Nas viagens, desde muito pequeno, ou João toma banho na banheira do hotel, ou no chuveiro, conosco.

Remédios: João nunca ficou doente. Eu não medico febre, não levo nem antitérmicos.

Mamadeiras e bicos: Não usamos. Olha de quanta tralha isto me poupa!!!

Pratinhos, colheres e copos: os pratinhos são dispensáveis, mas levar as colheres e os copos que seu filho já está acostumado, por causa do tamanho e do formato, vai te poupar alguma fadiga. Eles serão usados inclusive no avião, por isso, vão na mala de mão. Vale a pena colocar detergente em um potinho pequeno e uma buchinha na mala do bebê, porque nem sempre as pessoas nos restaurantes têm boa vontade de lavar nossos utensílios.

Se o destino for uma grande cidade, leve apenas um pacote pequeno de fraldas: deixe as outras para comprar lá. João usa aquela Pampers verde, e encontrei a mesma em Londres, Paris, Buenos Aires, São Francisco, Miami, Berlim… Em Havana também tinha, mas custava os olhos da cara. Fique longe da tentação de experimentar novos produtos no exterior: você não quer passar pela experiência de uma alergia em francês. Se a vontade de provar aquele super-ultra-modelo-de-fraldas-noturnas for muita, põe na mala e traz para usar aqui. Já te adianto: as gringas serão melhores que as nossas e você vai ficar frustrada para sempre (sempre me acontece).

Se for a algum restaurante bacana, mencione ao fazer a reserva que vai levar um bebê. É simpático e prudente: dá a oportunidade de te dizerem antes se ele é bem-vindo e te darem dicas de qual o melhor horário para recebê-lo.

http://www.ferrylasperlas.com/es/p-12/equipaje-lo-que-puede-o-no-puede/

Bem, meninas, por enquanto é isto. Espero que seja útil. Vou contar no próximo post os pepinos que já enfrentamos e darei dicas de blogs de viagens com bebês.

Estou tentando respondem todos os comentários! Se eu demorar com o seu, puxe a minha orelha! 😉

Bjs enormes!!!

Crie o site do seu Neném

Sobre Gabi Sallit

Gabriella Sallit virou Gabi ainda pequenininha. E, para não ter um filho que tivesse que explicar a vida inteira a grafia do seu nome (aprendeu a falar "meu Gabriela é com 2 Ls" antes de papai e mamãe), escolheu um nome pequenininho para o seu filhote. João está começando a falar e já escolheu como prefere ser chamado: Jão!

VENHA, e CONECTE-SE COM A VILA!

Receba as novidades em primeira mão!

Esta entrada foi publicada em Viagens e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

38 respostas a Viagem internacional com bebê – Malas, hotéis e rotina!

  1. tatyana rocha disse:

    boa tarde, Gabi!
    você sabe me dizer se existe a possibilidade de esterilizar mamadeira no hotel? Não tenho esterilizador de microondas, e em casa utilizo o metodo tradicional.

  2. Marcia Muller disse:

    Minha filha e eu queremos viajar com meu neto para o Peru em Novembro, o altitude seria problema?

  3. Marília Cândida disse:

    Dicas maravilhosas!! Sempre acompanho seu blog! Parabéns pela dedicação.

  4. Sara Simas disse:

    Olá Gabi, sou uma leitora assídua do Vila Mamífera mas confesso que tive uma grata surpresa ao encontrar, após pesquisar “viagem com bebês para Cuba”, no google, o breve relato da sua experiência com o João. Eu e meu companheiro decidimos passar uns tempos em Cuba com nossa filha, logo após seu aniversário de um ano. Eu tô enlouquecida fuçando essa internet atrás de dicas… mas não sem aquele friozinho gostoso na barriga, que a gente sempre fica quando está planejando uma viagem 😉 Será que você poderia me dar mais algumas dicas sobre Cuba? Qual hotel ficaram? Que tipo de passeios/atividades fazer com o bebê? Isso me ajudaria demais! Desde já, obrigada! Um super beijo.

  5. Barbara Vaz disse:

    Seu post me estusiasmou em viajar com a minha pequena. Sempre tive medo, porque ela é bem agitada e gosta de ficar andando (1ano e 3 meses). Mas vou enfrentar o medo e vale a experiência. Obrigada pelas dicas de alimentação e papinhas.

  6. Camila Maria Câmara Costa de Moraes disse:

    Bom dia! Este post é bem antigo, mas buscando pelo google algumas informações, acabei dando a sorte de cair nele! :)
    Querida, tenho um menino de cinco anos e oito meses e uma menina de um ano e dois meses. Eu e meu marido estamos pensando em tirar o carnaval pra viajar com as crianças, qd o maior estará prestes a completar seis anos e a menor, com um ano e meio, e queria saber quais os destinos (nacionais e no exterior, tb), que vc indica e que abranja estas duas faixas etárias.
    Agradeço a atenção desde já!
    Camila.

  7. Tati disse:

    Olá,
    Vamos viajar para a California em outubro e são 4 horas a menos. O que vc me indicaria fazer com o meu bebê de 11 meses sobre os horários de dormir. Aqui ele dorme entre 20:00 e 20:30.
    Obrigada
    Tati

  8. Christiane disse:

    Oi gabi estava pesquisando sobre viagem com bebês e achei o seu blog adorei! Me diz uma coisa você acha tranquilo levar uma bebê de 10 meses para Orlando em fevereiro? Tem alguma dica?

    • Gabi Sallit disse:

      Querida, Orlando foi a viagem mais difícil que fiz com o João, mas ele tinha 1 ano e 11 meses.
      Eu estava acostumada com aquele batidão parque-compras, de 16 horas por dia. Sabia que com ele não seria assim, então, programei os dias para durarem umas 10 horas. Mesmo assim, ele ficou exausto e nós não conseguimos fazer o que queríamos (enxoval do Francisco).
      Acho que é mais fácil com um bebê que não anda do que com uma criança pequena, que fica excitada com os brinquedos, etc. A comida é INTRAGÁVEL, principalmente nos parques. O primeiro passeio deve ser ao supermercado. Há um Whole Foods, que é maravilhoso.

  9. nicolly disse:

    Oi Gabi! Amei tudo, a forma como você escreve, o seu jeitinho, parecia que enquanto eu lia, podia ouvir vc, como uma amiga mesmo… simplesmente adorei.
    Irei em outubro para Londres, nunca viajei para fora dopais. Vou ficar com meu cunhado que já mora lá. Gostaria de saber o que levar para meus filhos( clara de 3 aninhos e daví de 1 ano e 10 meses), gostaria de saber o que não pode faltar na mala, o que levar para distrair no avião, lugares show para irmos, eu não conheço nadinha, então preciso de dicas!
    obrigada desde já!

    beijos!

  10. Teresa disse:

    Gabi, comecei do começo a ler o blog hoje, e cheguei aqui. Puxa, que delícia, até porque o blog é muito bem escrito, e isso faz uma super diferença! Obrigada pela disposição e generosidade… Nem sou tentante ainda, mas ando naquela vontade de ter filhos, e lugares como este só aumentam isso!

    Já que você pediu, posso dar uns pitacos no inglês da sua carta? rs

    Good afternoon, team from the xxxxxx hotel,

    My name is Gabriella Sallit and I will be staying with you from the X to the X of this month. I’m traveling with my son João, who is 9 months old.

    I would like to ask you some questions:

    1) We’ll arrive in the city at 09:00 am, before the check-in opens. As the baby will be very tired, is there any possibility of preparing our room a little earlier? That would be wonderful and deeply appreciated.

    2) Does the hotel provide cots and bath for babies?

    3) Can I use room service to heat baby food?

    4) Does the hotel offer a laundry service?

    I appreciate the attention and any assistance you can give my family during our stay.

    King regards,

    Gabriella

  11. Letícia disse:

    Olá Gabi…poderia me.passar dicas de Cuba ppr email!?
    Letsvip@hotmail.com
    Vou c minha baby de 1 ano e 3
    Bjs

  12. Pingback: 10 dicas para viajar com as crianças! | HubHub

  13. Pingback: 10 dicas para viajar com as crianças! | Just Real Moms

  14. Ana Roman disse:

    Olá! usei todas as tuas dicas, são ótimas. Já enviei até um e-mail para o hotel perguntando do berço etc..Obrigada pelas dicas!!!

  15. Viviane disse:

    Maravilhoso o seu ´post viajamos sempre como o Vinicius e agora iremos para a Europa em outurbro, vc deu muitas dicas legais.
    Quanto ao hotel esses dias comprei gato por lebre na internet em Monte Verde só dormi na espelunca, saí na hora quarto apertado e velho com criança até o Vinicius meu filho estava nervoso lá dentro…
    Ele já é um viajante só q com o tempo tem mais vontades é bem difícil agradar eles o dia todo, sempre rola um stress.

  16. Ai, Gabi! Vc é tão eu. Hahahaha Sobre a escolha do hotel, agora, que não tem baby, são exatamente as mesmas exigências, sendo que excelente localização vem no topo.
    Viajar na viagem! Acho que é 50% da diversão toda! Levo o meu próprio guia, com toooodas as informações, tipo essas que você falou, incluindo as referências do transporte público entre os lugares. Hahaha
    Adorei as dicas de usar o fuso e/ou se adaptar a ele. 😉
    Sobre a mala, é meu maior medo!! Eu costumo viajar super-leve. Só não digo que sou mochileira, porque não dispenso mais a minha malinha de quatro rodas, mas é uma só, média, pra 20 dias de viagem, seja quente ou seja frio.
    Enfim, fa-vo-ri-ta-do!

    • Gabi Sallit disse:

      Ah!!! Temos mmmmuuuiitto em comum, Naninha! Estou até devendo um comentário no A Louca, porque passei pela mesmíssima situação, com a espera para engravidar. O problema é que sempre quero escrever algo muito especial e acabo não escrevendo nada :(

      Eu vi que vc viaja na viagem quando foi à Austrália! Vivi com vc!

  17. Elisa disse:

    Ótimas dicas Gabi, o nosso aqui tb vai embarcar cedinho pra conhecer minha família no Brasil. Medo e pavor nas 12h de aviao!
    A Adriana do Drieverywhere tem um blog ótimo de viagens e mesmo com o bebe eles continuaram a viajar enlouquecidamente.

  18. Nine disse:

    Estou amando estas postagens sobre viagem! Sempre viajamos com os nossos e ano que vem temos uma viagem grande com os dois pela Europa. Suas dicas serão muito aproveitadas! Manda mais! Beijos! Nine

  19. Cintia disse:

    Sensacional, Gabi! Que post super mega útil, mulher!!!
    Adorei todas as suas dicas!
    Obrigada, querida :)

  20. Bárbara disse:

    hahaha nunca procurei hospital e farmácia perto do hotel (será que isso muda a partir de fevereiro?), mas AMO ficar dando voltas virtuais. Geralmente, vejo como chegar via transporte público e como ir aos principais pontos turísticos, onde tem supermercado, que tipo de supermercado é, onde tem restaurante, etc e tal…A diversão começa muito antes!

    E te contei que já temos viagem marcada com o baby que ainda nem chegou? pois é. Em julho do ano que vem temos um congresso em Buenos Aires, e vamos aproveitar pra leva-l@ pra conhecer a outra metade da família. (baby é meio pão-de-queijo e meio alfajor…). Suas dicas vão super ajudar.

    beijoca

  21. Cássia disse:

    Estou adorando todas as dicas, viajo nos próximos dias e vc tem me ajudado muito, obrigada.
    Vou usar seu texto em inglês rs. Rs
    Só uma pergunta minha viagem é de 20 dias vou ter que lavar roupa, é fácil de achar lavanderia em NY??
    BJS

  22. Gabi Arantes disse:

    Me diverti a valer lendo o texto!!! Não vou te chamar de neurótica, mas que o parágrafo que se segue é hilário, não vou negar!!! Mas concordo com você em tudo!!! Não devemos deixar de passear e viajar com os pequenos!!! Se eu pudesse faria várias dela durante todos o ano!!! Parabéns!!! Bjos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>