Viajar sem os filhos: bão também

Alexandre e eu na London Bridge, em 2013, quando descobri que estava grávida do Francisco.

Alexandre e eu na London Bridge, em 2013, quando descobri que estava grávida do Francisco.

João e Francisco nasceram com mochilinha. Nunca tive medo de colocá-los para voar. Eles estavam onde nós estávamos e, nesta brincadeira, já têm um passaporte bem carimbadinho. Adoro levá-los pelo mundo, porque é uma delícia viver as experiências através dos seus olhares. Sabará ou Paris, todo lugar tem outra cor quando estamos com eles.

Sou mãe já faz três anos e, sim, também gosto de viajar sem os meus filhos. Acho gostoso dormir até o sono acabar, ficar de pilequinho, comer antes de esfriar, namorar o meu marido-lindo sem pensar que alguém vai chegar, ou se alguém vai ouvir. 😉

A primeira vez que viajei sem o João, ele tinha 11 meses e ainda mamava no peito #azindiapira. Passei os quinze dias anteriores à viagem tirando leite e deixando um super estoque. Fiquei cinco dias no Peru. Nos dois primeiros, num chororô sem tamanho. Depois, de tanto ver as fotos dele gargalhando com a minha mãe, relaxei. Aproveitei, bebi pisco, fiz longos passeios de bicicleta, ri até de madrugada, fui feliz. Voltei uma mãe melhor, cheia de gratidão e de saudades.

Francisco ficou para trás a primeira vez faz pouco tempo, quando fui para Chicago. Confesso que estava um pouco tensa: ele é mais grudado no peito do que João, ainda acordava para mamar diversas vezes por noite, não consegui tirar leite. Pergunta se o menino acordou alguma vez, pergunta????? Dormiu como um anjinho, tomou leite de amêndoas feliz da vida e mal lembrou que tinha mãe!

Em cada uma de nós cabem muitas mulheres: a mãe, a profissional, a filha, a esposa, a amiga e tantas outras. Cada uma com sua fome, suas vontades e o direito de ser atendida!

Aí vão as minhas dicas, com o que aprendi na minha vida de mãe-viajante:

Tips:

● A família é sua: só você saberá quando estarão prontos para passarem uns dias separados. Nem Londres tem graça se você fica chorando em cima da foto do pequeno; não existe diversão que resista à notícia que seu neném está em pânico do outro lado do mundo.

● As crianças devem ficar com quem já estão acostumadas a dormir. Sacanagem viajar durante uma semana antes de deixá-lo passar uma noite com a vovó. Vamos devagar, por favor.

● É MUITO mais tranquilo para os pais quando os cuidadores dão notícias full time. Quando João nasceu não tinha whatsapp (como ele é velho!). Era muito mais sofrido do que agora, que recebo uma foto a cada cinco minutos.

● É MUITO melhor para as crianças quando elas não têm notícias dos pais a cada segundo. Deixe-as se divertirem com outras coisas. Se elas perguntarem, ou pedirem para falar no telefone, ou pelo skype, ok. Caso não, deixe-as em paz. Não force a barra.

● Viagens curtinhas são melhores: para mim, passou de 7 dias deixa de ser divertido. A saudade vai batendo forte e tudo deixa de ter graça.

● Se você amamenta, leve sua bomba de tirar leite, se não quiser atrapalhar a lua de mel com uma super mastite.

● Se vai deixar leite estocado, nada de mamadeira, hein! Copinho nele!

● Meus filhos não desmamaram mesmo ficando uns dias longe de mim, mas não me sinto à vontade para dizer que isso é regra. Acho que é um risco. Pense bem se está disposta a corrê-lo.

● Não crie ansiedade. Crianças têm pouca noção de tempo. Se você começa a avisar que vai viajar seis meses antes, quando compra a passagem, ela vai passar a sofrer naquela hora. Cada vez que você sair para trabalhar ela vai achar que não vai voltar. Não precisa disso. Dois ou três dias são suficientes para não gerar insegurança desnecessária.

● Tem gente que prefere que os filhos fiquem em casa e não saiam da rotina. Não é o meu caso. Gosto que estejam na casa da avó, onde tudo é festa, tudo é diferente, cheio de estímulos novos. Acho que assim a ausência dos pais fica mais dissolvida.

● Não se esqueça de deixar os documentos dos pequenos: RG, carteirinha do convênio médico, contato do pediatra. Eu, que sou advogada e lido com isso todos os dias, deixo uma procuração para representar os meninos e informações sobre o meu seguro de vida.

Quer dicas para viajar com os filhos? Você encontra aqui e aqui.

Crie o site do seu Neném

Sobre Gabi Sallit

Gabriella Sallit virou Gabi ainda pequenininha. E, para não ter um filho que tivesse que explicar a vida inteira a grafia do seu nome (aprendeu a falar "meu Gabriela é com 2 Ls" antes de papai e mamãe), escolheu um nome pequenininho para o seu filhote. João está começando a falar e já escolheu como prefere ser chamado: Jão!

VENHA, e CONECTE-SE COM A VILA!

Receba as novidades em primeira mão!

Esta entrada foi publicada em Sem Categoria, Viagens e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

6 respostas a Viajar sem os filhos: bão também

  1. Ana Paula disse:

    Foi dica da pediatra: como minha filha iria para a casa da avó, em outra cidade, elas foram embora duas horas antes de eu e meu marido seguirmos para o aeroporto. A Bia não teve a sensação de que estava ficando para trás… pelo contrário, estava indo se divertir! Deu tchau toda sorridente e curtiu muito!

  2. Ciça disse:

    Gabi
    Adoro seu blog e sempre leio seus posts….
    hj entrei e vi a mensagem de “boas-vindas” que eu AMEI!!!!

    Você é muito linda mesmo, bjos

  3. Cynthia disse:

    Gabi, tava aqui numa aflição danada porque hoje recebi uma notícia de que terei que fazer uma viagem de 7 dias a trabalho (não tem escolha). Estava super aflita pensando :levo ou não. Ele tem 11 meses e amamenta, o que torna tudo mais difícil. Esse post era tudo que eu precisava ouvir.

  4. Ai meu Deus vc existe mesmo?Não é possivel!Encontrei alguém que pensa o mesmo que eu!Aleluiaaaa!kkkkkk

    Quando voltei a trabalhar depois de 6 meses minha propria familia me julgou vc acredita?Acham que ser melhor mãe eh ficar 24 horas com a criança grudada no peito.Mais que quantidade eu acredito na qualidade do tempo que devemos passar com nossos pequenos.Parabens a vc!Ja percebia que vc eh uma super mãezona!Um grande beijo!

Deixe uma resposta para Cynthia Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>