PLANO DE PARTO

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Realizar o Plano de Parto foi, sem dúvida, um dos momentos mais especiais e importantes da minha gestação. Ali eu consolidei uma série de importantes decisões que me acompanham, desde o momento em que optei por buscar o parto natural e humanizado. Por isso, recomendo a todas as futuras mamães: façam o Plano de Parto! Ele é uma importante ferramenta de reflexão, que as deixará mais conscientes, mais seguras e mais empoderadas.

O Plano de Parto é uma lista, feita pela mulher, na qual ficam registrados os seus desejos em relação ao trabalho de parto. Essa lista deverá ser distribuída para toda a equipe envolvida no parto, para que eles estejam cientes das opções feitas pela gestante e respeitem suas solicitações. Essa medida pode evitar que a gestante e seu bebê passem por procedimentos indesejados e/ou desnecessários, além de ajudar a garantir que o parto seja exatamente do jeito que ela sonhou.

Sendo o parto um momento tão marcante e que, geralmente, não se repete muitas vezes na vida de cada mulher, creio que não devamos poupar esforços no sentido de garantir a concretização dos nossos sonhos e, acima de tudo, o respeito aos nossos direitos. Portanto, converse muito com a sua equipe, tire todas as suas dúvidas, não se acanhe em perguntar quantas vezes forem necessárias. Isso a ajudará a definir o tipo de experiência de parto que você deseja ter.

Para que a mulher consiga realizar seu Plano de Parto, da melhor forma possível, é fundamental que ela esteja muito bem informada sobre todos os procedimentos que podem estar envolvidos, em cada tipo de parto. Só assim ela poderá fazer opções conscientes e consistentes. A partir daí, a gestante terá o que necessita para deixar documentado o que ela quer (e como quer) que aconteça, bem como tudo o que deverá ser evitado, durante o trabalho de parto.

Existem várias formas de redigir esse documento e cada mulher poderá criá-lo do jeito que melhor se encaixar às suas necessidades e à sua personalidade. Para exemplificar um dos modelos possíveis para se fazer isso, compartilho com vocês (abaixo) o meu Plano de Parto (os nomes e dados pessoais foram retirados e/ou alterados).

(Este Plano de Parto foi feito para um parto domiciliar planejado.)

“Queridos! Antes de mais nada, quero agradecer a vocês por estarem conosco em um momento tão crucial, mágico e desejado de nossas vidas. Chegamos até aqui com todo o amor do mundo e é com esse mesmo amor que queremos viver cada minuto dessa passagem, dessa transformação que acreditamos ser o parto. Nosso desejo maior é receber o nosso filho da forma mais humana, mais familiar, mais natural e mais inteira possível. Queremos viver intensamente essa experiência e estamos certos de que a nossa natureza e os nossos instintos estarão ao nosso lado, para isso.

Escolhemos o parto domiciliar, por acreditarmos ser esse o melhor ambiente para o nascimento de uma família. Embora saibamos que, na vida, nem sempre as coisas acontecem do jeito que planejamos, estamos certos de que fizemos tudo o que tínhamos ao nosso alcance para garantir a concretização de nossos desejos em relação ao parto. Por isso, estamos tranquilos para viver a nossa experiência, como ela tiver que ser.

Segue o nosso plano de parto, com algumas informações que consideramos importantes a respeito de como queremos nascer.

Plano de Parto

Quem estará nascendo?

Filho: (nome completo do bebê)

Mãe: (nome completo da mãe e telefone)

Pai: (nome completo do pai e telefone)

Onde? 

Na nossa casa.

(endereço completo)

Quando?

DPP …

Pela lua, a previsão é …

Quem faz parte da nossa equipe?

Doula: (nome completo e telefone)

Obstetriz: (nome completo e telefone)

Obstetra: (nome completo e telefone)

Pediatra: (nome completo e telefone)

Quem estará na nossa casa?

Além de mim e do meu marido, os nossos gatos (…), nossos cachorros (…), meus pais (…). Caso o parto ocorra entre (…) e (…), estarão presentes também dois amigos nossos, o fotógrafo (…) e o videomaker (…).

O que achamos importante que seja do conhecimento de todos os que estarão presentes, durante o parto domiciliar?

  • Caso o trabalho de parto comece durante o horário de trabalho da nossa empregada, ela deverá ser dispensada e só retornará após o nascimento do nosso filho.
  • Caso o TP comece antes do dia (…), meus pais deverão ser imediatamente comunicados para que possam se deslocar.
  • Apenas meus pais (e as pessoas diretamente envolvidas – equipe) sabem que nosso parto será domiciliar. Portanto, amigos e outros familiares só deverão ser comunicados após o nascimento e sem pressa. Isso poderá ocorrer horas depois do nascimento ou, até mesmo, no dia seguinte (dependendo do nosso estado de espírito).
  • Peço que o pediatra seja mantido informado sobre a evolução do TP (desde o princípio), para que possa programar seu deslocamento, já que precisará vir de longe para a nossa casa.
  • Todo o material solicitado para o parto domiciliar está dentro de uma caixa transparente, guardada no quarto do nosso filho. O acesso está bem fácil. Qualquer dúvida, meus pais e meu marido poderão ajudar.
  • Queremos liberdade para nos movimentarmos em todos os cômodos da casa, enquanto isso for possível.
  • Haverá café e comidinhas disponíveis para os presentes. Caso necessitem de algum auxílio em relação a isso, poderão solicitar a meus pais. Se meus pais ainda não estiverem aqui, meu marido deverá organizar isso.
  • Também quero que me seja oferecida a possibilidade de alimentação e hidratação, durante o TP. O nosso quarto deverá estar abastecido com algumas opções de minha preferência (água de côco, suco, chá, frutas, chocolate). Providenciaremos tudo.
  • Quando o TP começar a entrar em uma fase mais adiantada, usaremos (preferencialmente) apenas o nosso quarto.
  • Queremos estar em contato com todos os presentes na casa (inclusive nossos pets), enquanto nos sentirmos confortáveis para isso. A partir do momento em que expressarmos a vontade de fechar a porta do nosso quarto, apenas a equipe deverá ficar conosco, a menos que eu solicite a presença de mais alguém. Fotógrafo e videomaker também estarão no quarto, da forma mais discreta, distante e silenciosa possível.
  • A partir desse momento, meus pais ficarão responsáveis por cuidar dos nossos pets. Caso os cachorros fiquem muito agitados, ou comecem a chorar muito (após o fechamento da porta do quarto), deverão ser mantidos em algum cômodo mais distante dessa área da casa.
  • Caso o parto ocorra fora das datas dos nossos amigos, fotógrafo e videomaker, gostaríamos que (se possível) os presentes pudessem alternar essa função de registro da evolução do TP, com algumas fotos e pequenos vídeos (fazendo isso da forma menos invasiva possível). Teremos câmeras disponíveis no ambiente. Em especial, o registro da fase final do expulsivo e dos primeiros momentos do nosso filho conosco, em foto e vídeo, é muito importante para nós (quem puder fazer isso, nesse momento, eu agradeço muito).
  • Todos os aparelhos eletrônicos deverão permanecer desligados. Celulares que não puderem ser desligados, deverão ficar no modo silencioso. Caso alguém necessite atender ligações, deverá fazê-lo em um local afastado de onde eu estiver. O telefone fixo do nosso quarto deverá ser levado para outro cômodo.
  • Não faço ideia de como ficará meu estado de espírito na hora, mas tenho motivos para acreditar que conversas paralelas poderão me incomodar. Enquanto eu demonstrar descontração, não há problemas com as conversas. No entanto, se eu começar a demonstrar maior introspecção, o ambiente próximo a mim deverá permanecer em silêncio, apenas com música tocando e com o mínimo de intervenções verbais possível.
  • A iluminação do quarto deverá ser suave e indireta, utilizando apenas as nossas luminárias e, talvez, algumas velas.
  • Se estiver muito frio, poderemos acender a lareira da sala e ligar os aquecedores, ou o ar condicionado (se já estiver instalado).
  • Queremos música tocando, durante todo o tempo (a não ser que eu solicite o contrário, na hora, por algum motivo). Já temos um playlist pronto, é só deixar rolar.
  • Enquanto acharem que meu marido e eu estamos evoluindo bem, queremos que deixem as interações fluírem apenas entre nós. Gostaríamos que toda e qualquer interferência fosse guardada para os momentos de real necessidade. Queremos muito viver esse momento da forma mais natural e intuitiva possível. É claro, porém, que se a nossa intuição não estiver sendo o suficiente, toda a ajuda será bem-vinda.
  • Se eu estiver concentrada e em boa evolução, evitem falar comigo. Falem somente o necessário, quando necessário, para evitar que eu me prenda no plano racional. Quanto menos verbal puder ser a interação comigo, melhor.
  • Mentalizações e visualizações, com palavras-chave, costumam funcionar bem comigo. Lembrar-me de algum tipo específico de respiração ou postura, caso não ocorra de forma intuitiva,  pode ser muito útil (contanto que seja feito da forma mais breve possível, para que eu mantenha a concentração).
  • Quero ser informada de tudo o que envolva a evolução do TP, do que estiver acontecendo comigo e com o nosso filho, sempre da forma mais objetiva possível.
  • O nosso filho deverá ser monitorado quantas vezes forem necessárias.
  • Se houver qualquer sinal que possa indicar a necessidade de uma mudança de planos, eu quero ser comunicada o quanto antes para que sejam tomadas as devidas decisões.
  • Peço que alguém fique atento ao trânsito (através de aplicativos), especialmente se desconfiarem que possa haver necessidade de deslocamento.
  • Se tem uma coisa que faz tudo fluir melhor na minha vida, é massagem. Aceito massagem a qualquer momento e, sempre que possível, vou adorar que seja feita pelo meu marido (caso ele necessite de orientação, sintam-se à vontade). Se o toque me incomodar, eu vou sinalizar.
  • Como tenho bruxismo, acredito que eu possa concentrar tensões na região do maxilar, pescoço e ombros. Caso isso ocorra, peço que me ajudem a perceber.
  • Queremos muito que o parto aconteça na água e gostaríamos que tudo fosse conduzido para isso. No entanto, estaremos abertos e atentos para respeitar as sensações do momento, para que tudo aconteça da melhor forma para mim e para o nosso filho.
  • Assim que o nosso filho sair de dentro de mim, deverá ser colocado sobre o meu peito. Se perceberem que eu sou capaz e que é possível, eu gostaria muito que me fosse dada a possibilidade de “pegá-lo”, eu mesma (ou, pelo menos, ajudar a ampará-lo em sua saída).
  • Nosso filho deverá ser estimulado a mamar, logo após o nascimento.
  • Gostaríamos que fosse oferecida ao meu marido a possibilidade de cortar o cordão umbilical, depois que este parar de pulsar. Se ele se sentir à vontade para isso, no momento, ele gostaria de fazer.
  • Assim que a placenta sair, queremos que ela seja “carimbada” (teremos cartolina para isso). Logo depois, deverá ser colocada em um pote (destinado a ela), para posterior descarte.
  • Tão logo o nosso filho tenha nascido (e se todas as condições estiverem favoráveis), quero que meu marido e eu possamos ter algum tempo com o nosso filho.
  • Logo em seguida, meus pais deverão ser chamados ao nosso quarto para conhecê-lo.
  • Assim que possível, gostaria que a porta do nosso quarto fosse aberta liberando o acesso também aos nossos pets, para que eles possam se aproximar naturalmente (no tempo deles) e conhecer o nosso filho. Nós mesmos iremos sinalizar esse desejo, quando nos sentirmos à vontade.

O que achamos importante que seja do conhecimento de todos, caso os planos precisem mudar?

Plano B:

(endereço do hospital)

Plano Z:

(endereço do hospital)

Em caso de parto hospitalar:

  • Meu marido deverá estar comigo em todos os momentos. Não quero ficar sozinha, nunca.
  • Nossa equipe toda deverá estar conosco, o máximo de tempo possível.
  • O meu obstetra assumirá a condução de qualquer procedimento necessário e eu não quero ser examinada por ninguém que não seja ele (em caso de plano Z, deverá ser chamado o obstetra humanizado do “hospital …” ).
  • Em caso de plano Z, os exames deverão ser sempre realizados pela mesma pessoa.
  • Não quero ocitocina, a menos que seja indicação da nossa equipe.
  • Não quero analgesia, a menos que seja indicação da nossa equipe.
  • Não quero cardiotocografia, a menos que seja indicação da nossa equipe.
  • Não quero lavagem intestinal.
  • Não quero tricotomia.
  • Não quero episiotomia.
  • Quero liberdade para me movimentar.
  • Quero acesso a métodos não farmacológicos para o alívio da dor.
  • Durante o TP, quero liberdade para consumir líquidos e alimentos leves.
  • Durante todo o TP e após o nascimento, deverá ser respeitada (o máximo possível) a conduta indicada no plano de parto domiciliar.
  • Deverá ser reproduzido (o máximo possível) o ambiente idealizado para o parto domiciliar (música, iluminação reduzida…).
  • O cordão só deverá ser cortado depois que parar de pulsar e, se possível, pelo meu marido.
  • Se for possível, o nosso pediatra deverá determinar e acompanhar qualquer procedimento que julgue necessário com o nosso filho. Se possível, não quero interferência do pediatra do hospital (Em caso de plano Z, qualquer procedimento deverá ser autorizado por mim e/ou pelo meu marido).
  • Não quero que pinguem colírio no nosso filho.
  • Meu marido deverá acompanhar o nosso, o tempo todo.
  • Sempre que possível, quero que eu mesma (ou o meu marido), possamos fazer todas as trocas do nosso filho, bem como dar banho nele.
  • Não quero, em hipótese alguma, que meu filho seja alimentado de outra forma que não seja no meu peito.
  • Não quero que meu filho se afaste do local onde eu estiver, nem por um minuto. Se por alguma razão isso for inevitável, quero que ele fique o menor tempo possível longe de mim e sempre acompanhado pelo meu marido.
  • Qualquer procedimento necessário comigo, ou com o meu filho, deverá ser autorizado por mim e/ou meu marido.

Em caso de cesariana:

  • Em caso de real necessidade e apenas por indicação do meu obstetra, deverá ser realizada da forma mais humanizada possível (em caso de plano Z, deverá ser chamado o obstetra humanizado do “hospital …”).
  • O meu marido deverá estar comigo em todos os momentos. Não quero ficar sozinha, nunca.
  • Quero ver o meu filho saindo de mim.
  • Ele deverá vir direto para o meu peito e eu não quero estar amarrada, nesse momento.
  • Meu filho deverá mamar, assim que possível.
  • Se possível, o nosso pediatra deverá determinar e acompanhar qualquer procedimento que julgue necessário com o nosso. Se possível, não quero interferência do pediatra do hospital.
  • Não quero que pinguem colírio no nosso filho.
  • Meu marido também deverá acompanhar o nosso filho, o tempo todo.
  • Quero que eu mesma, ou o meu marido, possamos fazer todas as trocas do nosso filho, bem como dar banho nele, sempre que possível.
  • Não quero, em hipótese alguma, que meu filho seja alimentado de outra forma que não seja no meu peito.
  • Não quero que meu filho se afaste do local onde eu estiver, nem por um minuto. Se por alguma razão isso for inevitável, que ele fique o menor tempo possível longe de mim e sempre acompanhado pelo meu marido.
  • Qualquer procedimento necessário comigo, ou com o nosso filho, deverá ser autorizado por mim e/ou meu marido.”
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>