Alimentação na gravidez

b221

Para quem já está familiarizada com a relação entre exercício e alimentação, fica fácil falar sobre como isso continua durante o período da gravidez: a relação é a mesma. Para quem quer saber mais sobre o assunto, vamos lá!!

Algum tempo atrás, encontrei um texto escrito por Cristiano Kalata Varela, que é um educador físico que manja muito de nutrição, bioquímica e cinesiologia. Ele explica que “o metabolismo da grávida tem um aumento em torno 300kcal/dia nesse período, além das necessidade aumentadas de alguns nutrientes.” Portanto nada de comer menos durante a gravidez pensando em não engordar. Isso pode levar à carência de nutrientes importantes para o desenvolvimento do bebê e a saúde da mamãe. O legal é comer como se comia antes, dando uma atenção especial para o consumo de ferro (contra a anemia), cálcio (saúde de ossos e dentes), zinco (ligado à imunidade) e ácido fólico (formação inicial e mais importante do bebê). Claro que existem vitaminas nas prateleiras prontinhas, mas o que vem in natura é sempre melhor aproveitado pelo organismo (e mais gostoso!).

Lembrando também que o seu corpo antes de engravidar é a memória mais recente que seu metabolismo terá. Se você estiver com a saúde e peso em dia antes de ficar grávida, será mais fácil emagrecer depois. Nunca, jamais, tente emagrecer durante a gravidez!  Coma direitinho, de maneira saudável e deixe os desejos pra ser exceção.  Não abra mão de satisfazê-los de vez em quando! Há quem diga que temos vontade de comer o que o organismo precisa... Não tenho nenhum estudo científico sobre isso aqui, infelizmente! Mas o começo da gravidez, por exemplo, é um momento muito particular. Os enjoos às vezes só nos permitem comer um tipo de alimento, algumas só conseguem comer frutas, outras só legumes... Eu não conseguia comer frango nem alho.

Quanto aos suplementos, usados por quem já tem uma rotina de treinos mais intensa, Varela diz “pós protéicos como caseína, whey protein, proteína isolada da soja e albumina, podem completar as necessidades protéicas da alimentação da gestante. Suplementos ergogênicos, relacionados à melhora da performance, como ribose, creatina, beta-alanina, não teriam grande validade já que haverá diminuição na intensidade dos exercícios”. Casos em que seja necessário o uso de suplementos devem ser acompanhados por médico e nutricionista, mas essas são atletas geralmente (apesar de que especialistas que entendem de suplementação e exercício na gravidez, pós parto e amamentação são raridades,  foi justamente por isso que passei a estudar essa área).

Então, mulherada, atenção e carinho na alimentação. Ela deve andar ao lado do exercício para uma gravidez saudável para mamãe e bebê. Cuidar de você e da sua auto estima também fazem parte de uma gravidez e maternidade feliz!

Curso Online de como lidar com birras
Você também vai gostar de:
Sobre a Autora

Camila Abreu

Educadora Física especialista em atividade física para gestante e pós parto em São Paulo-SP.