A vagina que pariu


Você aí, também fica escandalizada quando ouve ou lê que uma mulher pariu?

parto expulsivo

foto reprodução Google.

Se sente ofendida, assustada?

Ahhhh eu sei… tudo que é relacionado à vagina causa esse tipo de reação. Mas parir é um verbo, não é palavrão, está tudo na contra-mão.

Vamos conversar de mulher pra mulher. Parir é um verboooooooo. Que tal olhar o dicionário?

Significado de Parir

v.t. Dar à luz (falando-se da fêmea vivípara quando expele do útero o ser que gerou).
Fig. Produzir.
Pej. Criar.

Sinônimos de Parir

Sinônimo de parir: aliviarcausar e produzir

Definição de Parir

Classe gramatical: Verbo transitivo
Tipo do verbo parir: regular
Separação das sílabas: pa-rir

 

Vamos lá, você consegue. Vamos acabar com a dúvida que te persegue. Vamos conjugar. Você irá se libertar:

 

Eu paro

Tu pares

Ela pare

Nós parimos

Vós paris

Elas parem

 

Eu pari

Tu pariste

Ela pariu

Nós parimos

Vós paristes

Elas pariram

 

Eu parirei

Tu parirás

Ela parirá

Nós pariremos

Vós parireis

Elas parirão

 

Pronto. Aliviada? Acabou a confusão? Parir não é palavrão. Parir é mais que emoção, é êxtase.

Extase, quando o útero empurra pra seus braços a sua cria. É orgásmico, é poder. É alegria e orgulho.

Acabou a confusão? Então passe para outras essa reflexão :)


sobre Gisele Leal

Sou Bióloga, formada pela Puc Campinas em 1997. Minha primeira filha, Beatriz, nasceu em 1998, e m 2007 nasceu o Arthur ambos de prováveis cesáreas desnecessárias. Em 2010 me vi grávida novamente, e inconformada com a notícia de que teria que agendar minha cesárea. Busquei informações, me preparei, me empoderei e assim, nasceu Catharina de um parto natural maravilhoso após 2 cesáreas, após 42 horas de bolsa rota e com parteira e doula num hospital em São Paulo. A experiência do parto mudou minha vida. Em apenas um mês do nascimento da Catharina escrevi um livro e publiquei o blog Mulheres Empoderadas. Menos de um ano após, larguei carreira de 14 anos na indústria onde eu atuava como gerente de qualidade, e vivia dividida entre as pontes aéreas e viagens internacionais e minha família. Então me capacitei como Doula pela ANDO – Associação Nacional de Doulas em abril de 2011, embora já acompanhasse eventualmente a gestação e parto de amigas e primas desde Outubro/2010, tamanha era a minha vontade de estar nesse meio. Ainda em 2011, inconformada com o modelo de assistência obstétrica no nosso país, reuni doulas, parteiras, mães e simpatizantes do movimento de humanização e juntas fundamos o MAHPS – Movimento de Apoio á Humanização do Parto em Sorocaba, elaborei o projeto Doula Social para ser implementado no SUS e comecei a atuar voluntariamente em um hospital público de Sorocaba. Em apenas 14 meses de MAHPS, idealizei e coordenei a organização de 2 encontros voltados à Humanização do Parto e Nascimento e um Encontro Nacional de Parteria Urbana, além de mais de 22 encontros do grupo de apoio à gestantes. Em 2012 fiz o curso de Formação em Parto Ativo com a Janet Balaskas, inglesa, precursora do conceito Parto Ativo e ingressei no curso de Obstetrícia da USP. Em julho de 2013 nasceu a Sophia, em casa nas mãos do pai, cercada pelos irmãos. Diferente da história da Catharina que foi uma história de empoderamento e superação, o parto de Sophia foi uma história de entrega, fé e aceitação.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>