Benefícios do Parto Normal 2


Por incrível que pareça, ainda não tinha feito um post sobre benefícios do parto normal.

Mas prefiro falar sobre os benefícios do parto normal fisiológico. Porque como todas sabemos existe o parto normal medicalizado, e este apesar de também ter muitos benefícios para o bebe, tem muitos efeitos colaterais sobre a mãe e para o bebê também.

partolandiaprintCoquetel hormonal envolvido no trabalho de parto:

Não existe nada mais poderoso e intenso do que todo coquetel hormonal que o corpo da mulher produz em trabalho de parto. Em nenhuma outra fase da vida, o corpo da mulher chegará ao ápice de ocitocina (o hormônio do amor) como chega no auge do trabalho de parto. A ocitocina é um hormônio produzido e excretado para que ocorram contrações uterinas que vão favorecer a dilatação do colo do útero. Toda mulher, que é deixada em paz independente de quanto tempo precise, produzirá ocitocina em quantidade suficiente para o processo do trabalho de parto. A ocitocina também é liberada quando estamos amando, apaixonadas, quando olhamos para nosso bebe, quando amamentamos. Toda gota de ocitocina endógena (produzida pelo próprio corpo da mãe) não é em vão. Mesmo mulheres que acabem precisando de uma cesárea intra-parto, se beneficiam e beneficiam a seu bebe por ter recebido toda essa ocitocina.

Além da ocitocina, o corpo da mulher também libera outros hormônios, como a endorfina. A endorfina é o hormônio responsável pelo alívio da dor e pelo bem-estar. E o mesmo hormônio que liberamos após o ato sexual, quando sentimos aquele bem estar corporal após o orgasmo. A endorfina também é liberada após exercícios físicos. Mas apenas durante o trabalho de parto, a quantidade de endorfina liberada no corpo da mulher em conjunto com a ocitocina, é capaz de transporta-la para outra dimensão. Portanto, quando deixamos uma mulher em paz para vivenciar seu trabalho de parto podemos vê-la totalmente mergulhada em seu interior, olhos fechados, boca aberta, movimentando seu corpo como se estivesse dançando ao som de uma música que só ela consegue ouvir.

Quando se aproxima do nascimento, uma grande injeção de adrenalina é liberada na corrente sanguínea da mulher. Essa adrenalina toda permite que a mulher tenha toda força e vitalidade para colocar seu bebe no mundo. Essa combinação de ocitocina, endorfina e adrenalina, além de outros hormônios também envolvidos no processo, promovem uma sensação imediata de alegria e bem-estar, beneficia mãe e bebê facilitando a criação do vínculo entre ambos, favorecendo a amamentação e reduzindo as chances de baby-blues, tristeza materna e depressão pós-parto.

Além de tudo isso, vivenciar o trabalho de parto garante que o bebê está maduro (salvo partos prematuros que podem acontecer por alguma intercorrência na gestação). Portanto vivenciar um trabalho de parto garante que estará na hora certa do bebê nascer.

 Acupuncture-for-Pregnancy-and-Inducing-LaborAs dores do parto

Muitas pessoas podem ver a dor do parto  como um malefício. Pois eu digo e repito. A dor do parto é um grande benefício para a mulher. E nesta dor nova, inimaginável e surreal que a maioria das mulheres relatam vivenciar, faz com  que elas se livrem de todo e qualquer pré-conceito sobre si mesma. É nesta dor que ela se vê forte e capaz de atravessar esse processo e, portanto, capaz de atravessar quaisquer outras dificuldades futuras que virão com a maternidade. A dor do parto nos faz sentir forte, capaz e poderosa! A dor do parto conecta a mulher com seu corpo muitas vezes esquecido, camuflado, envergonhado. A dor do parto a desnuda para uma nova fase em sua vida. A dor do parto a convida à  morte desta mulher que ainda não é mãe (ou que é mãe de um, mãe de dois , mas que será mãe de uma nova família) para o renascimento de uma nova mulher-mãe. A dor vem em ondas e o processo do trabalho de parto é uma grande onda. E quando atinge o pico mais alto desta onda, a mulher se entrega. Se joga. E deixa o bebê nascer. Este é o primeiro grande aprendizado da maternidade: não temos controle sobre tudo. E não teremos. E vai passar.

doula birthSentir-se apoiada, amparada, cuidada

Em um parto normal fisiológico, com equipe que respeite a parturiente, é possível a participação do acompanhante que a mulher escolher, e até de uma doula. É um momento que a parturiente poderá ser acolhida, apoiada, amparada e cuidada. Não tem coisa mais gostosa do que ser cuidada. A experiência pode ser tão marcante que facilitará o entendimento da maternidade para essa mulher. O sentido de cuidar, de doar-se para quem precisa dela, no caso o bebê que vai nascer.

 

Passagem do bebe pelo canal de parto

slide-gestacao-04

Quando a dilatação se completa e as contrações conduzem o bebe para o canal de parto, uma incrível vontade de empurrar esse bebe pra fora acontece. A passagem do bebe pelo canal de parto, que é muscular e elástico, permite que qualquer resíduo de líquido aminiótico presente no pulmão do bebe seja eliminado devido a forte pressão positiva que é feita no torax do pequenino. Um bebe que nasce por via cirurgica invariavelmente poderá ter a sindrome do pulmão umido, o que muitas vezes, se não leva-lo a uti, poderá se manifestar futuramente como problemas respiratórios.

expulsivo

Além disso, quando o bebe passa pelo canal de parto, todo seu corpo, inclusive seus orificios (nasal, auditivo, oral, genital e anal) serão colonizados por bactérias da mãe. Essas bactérias serão o primeiro estímulo para formação do sistema imunológico do bebe.

Estudos comprovam que o simples fato do bebe passar pelo canal de parto e ser colonizado pelas bactérias da flora vaginal da mãe, ele terá menos chance de desenvolver alergias dos mais variados tipos e obesidade. 

Um bebe que nasce por cirurgia cesariana será colonizado por bactérias presentes na sala do centro cirúrgico. Só  por aí já dá pra ter uma ideia de como será o sistema imunológico desse bebe.

Imprinting e vínculo mãe-bebê

1205 Amora e Erika

 

 Quando o bebe nasce e é imediatamente entregue pra sua mãe, todo aquele coquetel hormonal  que inundou mãe e bebe proporcionará o IMPRINTING que é nada mais que o reconhecimento de ambos. Sabe aquele olhar de um para o outro de “ahhhhhhh era voce o tempo todo!!!!!!”. Então… é isso. Só em um parto normal fisiológico com equipe que entregue o bebe imediatamente para contato pele a pele com a mãe antes de qualquer procedimento, por tempo indeterminado, pode proporcionar o imprinting. Quem já passou por essa experiencia incrível sabe do que eu estou falando <3

Descida do colostro e amamentação

Quando uma mulher passa por um parto normal fisiológico, o coquetel hormonal vai beneficiar a descida do colostro e a amamentação. Além disso, por sentir-se inteira, a mulher consegue adotar diversas posições que irão favorecer a pega do seio pelo bebê. Em contra-partida, em um parto normal fisiológico e sem anestesia, o bebê nasce mais ativo e portanto o vínculo mãe-bebê  é facilitado e consequentemente a amamentação também.

Estar inteira para cuidar de um recém-nascido e de tudo o mais

Vivenciar um parto normal fisiológico, além de ser uma experiência marcante, inesquecível, proporciona que a mulher esteja fisicamente bem. A recuperação muitas vezes é imediata, e muito mais rápida do que a recuperação de  uma mulher que passou por uma cirurgia cesariana. Mulheres, que assim como eu, tiveram as duas experiências relatam que não há como comparar um parto normal fisiológico com uma cesárea.

Estando inteira para cuidar de um recém-nascido, a mulher pode tomar banho sozinha após o parto, pode cozinhar, pode pode sentar no chao para brincar ecuidar dos irmãos mais velhos, e fazer o que lhe der vontade. Pode ir ao banheiro sem medo dos pontos abrirem, pode espirrar, tossir, gargalhar. Imediatamente após o parto. Sem medo, sem dores, sem neuras.

Futuro obstétrico (e ginecológico)

Uma mulher que vivencia um parto normal fisiológico, garante um melhor futuro obsétrico. As chances de aborto, de gravidez ectópica, de placenta prévia, de descolamento de placenta, de acretismo placentário são muito menores de acontecer em quem teve parto normal fisiológico em comparação com quem teve cesárea. Além disso, mulheres que sofrem com cólicas menstruais, relatam redução na intensidade e duração após o parto normal fisiológico (as minhas desapareceram!).

 

Mortalidade materna e neonatal reduzida

As taxas de mortalidade materna e fetal em um parto normal fisiológico são 3,4 vezes menores em relação as taxas de mortalidade materna e fetal em uma cesareana sem indicação.  Além disso as taxas de internação em UTI e comorbidades são 7 vezes menores na mesma comparação. (Aqui você pode ver porque a cesárea traz mais complicações do que um parto normal)

 

Se vocês lembrarem de mais algum benefício que não está aqui (afinal são muitos!!) podem escrever nos comentários abaixo :)

 

Viva o parto normal natural, fisiológico, com respeito às decisões e desejos da mulher <3

 

 

 

 

 

 

 

 


sobre Gisele Leal

Sou Bióloga, formada pela Puc Campinas em 1997. Minha primeira filha, Beatriz, nasceu em 1998, e m 2007 nasceu o Arthur ambos de prováveis cesáreas desnecessárias. Em 2010 me vi grávida novamente, e inconformada com a notícia de que teria que agendar minha cesárea. Busquei informações, me preparei, me empoderei e assim, nasceu Catharina de um parto natural maravilhoso após 2 cesáreas, após 42 horas de bolsa rota e com parteira e doula num hospital em São Paulo. A experiência do parto mudou minha vida. Em apenas um mês do nascimento da Catharina escrevi um livro e publiquei o blog Mulheres Empoderadas. Menos de um ano após, larguei carreira de 14 anos na indústria onde eu atuava como gerente de qualidade, e vivia dividida entre as pontes aéreas e viagens internacionais e minha família. Então me capacitei como Doula pela ANDO – Associação Nacional de Doulas em abril de 2011, embora já acompanhasse eventualmente a gestação e parto de amigas e primas desde Outubro/2010, tamanha era a minha vontade de estar nesse meio. Ainda em 2011, inconformada com o modelo de assistência obstétrica no nosso país, reuni doulas, parteiras, mães e simpatizantes do movimento de humanização e juntas fundamos o MAHPS – Movimento de Apoio á Humanização do Parto em Sorocaba, elaborei o projeto Doula Social para ser implementado no SUS e comecei a atuar voluntariamente em um hospital público de Sorocaba. Em apenas 14 meses de MAHPS, idealizei e coordenei a organização de 2 encontros voltados à Humanização do Parto e Nascimento e um Encontro Nacional de Parteria Urbana, além de mais de 22 encontros do grupo de apoio à gestantes. Em 2012 fiz o curso de Formação em Parto Ativo com a Janet Balaskas, inglesa, precursora do conceito Parto Ativo e ingressei no curso de Obstetrícia da USP. Em julho de 2013 nasceu a Sophia, em casa nas mãos do pai, cercada pelos irmãos. Diferente da história da Catharina que foi uma história de empoderamento e superação, o parto de Sophia foi uma história de entrega, fé e aceitação.


Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

2 thoughts on “Benefícios do Parto Normal

  • Elisa

    Aprendemos a ser pacientes para esperar o parto e todos sabemos, né, o quanto paciência é fundamental na maternidade (e paternidade, afinal o pai espera junto pelo parto). Ah, e tem mais uma ótima vantagem, nao deixa cicatriz!

    Eu amei tanto o meu parto, Devia ser direito sagrado qualquer mulher ter condicoes de parir bem. Da minha parte conto e reconto o meu parto que foi fácil, rápido e lindo. Gestantes ouvem tantas histórias horríveis de parto, acho que faz bem ouvir de partos bons.