20
jul
2014

A força da vida

a de sentir”**

Em uma tarde fria e ensolarada do outono, enquanto as primeiras folhas despencavam das árvores, a força de uma menina espelhada na força necessária do deixar ir, para nascer uma vida.

Deixar cair a folha, às vezes, é mais difícil do que fazê-la crescer. No despencar de todas as folhas e falhas a gente se vê nua diante do frio que o poder traz.

Ela pensava que seria fácil. Cada um tem a sua história, a sua montanha. Cada mulher tem o tempo necessário para nascer como mãe, para deixar a menina chorona afogar-se na banheira das impossibilidades da mente, vomitar o medo, para conduzir seu bebe, de 3.700 para seus braços, regendo e pedindo tudo que necessitava. Essa é a história de Milena.

No dia 03/05 às 18h18 eu vi uma menina morrer. Vi uma mulher forte nascer, em seu lar. Amparada pela equipe de parto Domiciliar Hospital Sofia Feldmancom quem já acompanhei 3 partos domiciliares. Ela gritou, chorou, negou suas dores, pensou em desistir, em sair correndo, mas mergulhou para a floresta escura de sua imensidão de poder.

Sentiu tudo, porque a vida tem um sabor a mais quando podemos fazer uma LONGA travessia, sentindo medo, cansaço, mas sem deixar de sentir o enorme prazer e o êxtase de sentir tudo, de presenciar e deixar as primeiras marcas em nossos filhos de amor, poder. O indescritível encontro com o amor quando a luz dos olhos se encontram e encantam.

Eu vi um bebê, ainda dentro do corpo, abrir os olhos debaixo da água. Eu vi um beijo, com a cabeça parida. Eu vi um pai a acariciar a cabeça do seu bebê antes que chegasse para o mundo.

Eu ouvi uma avó desabar de chorar porque ela também deve ter visto a sua menininha morrer naquelas águas em que vi ressurgir uma mulher de tamanho poder que o mundo pode ficar pequeno depois de tudo

“Meu coração só quer bater por ti
Eu me coloco em tuas mãos
Para sentir todo o carinho que sonhei”**

Eu ouvi essa música ser cantada entre lágrimas, segundos antes do bebê nascer.

Eu vi o amor. Nos olhos de uma doula companheira de jornada, a amável Helena.

Milena pariu Raul, pesando 3700 com 52cm e períneo íntegro em 20 horas de trabalho de parto.

Parabéns é pouco, Milena! Que o que você experimentou nessas horas intensas esteja dissolvido em todos os seus dias: superação, amor, poder e êxtase.

**Música Céu de Santo Amaro

Crie o site do seu Neném

Você também irá gostar destes

A arte do nascer
Precisamos falar sobre cocô no parto
Quero ficar no seu corpo feito tatuagem
3 partos em 24 horas e lagrimas sem fim