16
out
2014

Duas voltas no mundo

Conheci Gisele Werneck no início de sua primeira gestação. Desde o primeiro encontro aquela empatia que faz o coração brilhar. Um reencontro, diria. A jornada de seu parto foi suave, cheia de dúvidas, como é quase sempre na primeira gestação. Diana nasceu em um parto na água domiciliar, em um dia frio de inverno.

Dois anos depois, na mesa do Café com Letras do Centro Cultural Banco do Brasil recebo a notícia: Gisele estava grávida novamente. Uma gravidez que veio como um presente surpresa, daqueles que a gente tem que abrir espaço para receber. Estávamos em um processo de oficinas literárias para meu livro. Ela era minha doula das palavras: a revelar meu estilo e me orientar como expressá-lo com beleza e poder.

Nossos encontros se tornaram um misto de confissões e construções. Ela se mudou para São Paulo e passou a maior parte da gestação lá.

Estamos no mundo para servir a quem nos cabe. Ela não sabia se Davi nasceria em Sampa ou entre montanhas. No fim da gestação, Gisele decidiu por parir em Belo Horizonte. A dúvida era: parir na casa dos Sogros ou ir para a casa de parto do Sofia?

Fizemos um lindo ensaio de gestante, com direito a um delicioso banho de cachoeira em uma tarde fria.

IMG_8010-2 IMG_7678IMG_8024 IMG_7989 IMG_7934
IMG_7821 IMG_7753 IMG_7729 IMG_7661

Existe uma frase indiana que diz: quando se retira uma parte da perfeição o que resta é perfeito!

Estava viajando e recebi a ligação da Gi dizendo que a bolsa tinha rompido e tinha mecônio. Liguei no Sofia e encontrei a Enfermeira Obstetra Adelaide. Ela recebeu Gisele, levou-a para as terapias (escalada pés, aurícula).

Lá de Campinas fiquei tentando adiantar meu vôo, sem sucesso e novamente uma certeza interna: confia que você estará onde deve estar.

Desci do avião, peguei um taxi e em 10 minutos estava lá. Encontrei Gisele agachada. Liguei a música. Ela estava no final do trabalho de parto. Durante o processo foi acolhida por uma Doula Voluntária do Sofia. Quando me viu me pediu: Kalu, me dá um estímulo?

– Coloca o dedo e sente onde está seu bebê.

E lá estava Davi, na porta do mundo, fazendo a perfeição com elementos não programados. Ele veio vindo, rápido. Lá estava a mesma parteira do primeiro parto. Eu estava ali, há 10 minutos, para presenciar o ato final, deliciar-me com a emoção de ver uma e outra vez a vida se refazer nos olhos desta menina que dança com o criador; nas lágrimas de um pai que deu a volta na Terra de bicicleta e descobriu que com 2 filhos o mundo dá muito mais voltas tamanha a transformação que a jornada da vida nos convida”.

IMG_9487 IMG_9489 IMG_9494 IMG_9505 IMG_9561
IMG_9604 IMG_9617 IMG_9646-2 IMG_9712 IMG_9737

A  vida recomeçou mais uma vez: ” Cada criança que nasce é uma prova de que Deus ainda não perdeu as esperanças em relação á humanidade.”, disse Tagore.

E uma vida que começa com respeito e de uma forma tão natural semeia a paz, o amor e o respeito para todo sempre.

Crie o site do seu Neném

Você também irá gostar destes

A arte do nascer
Parto Domiciliar pelo SUS: Eu vou na valsa
Quando uma enfermeira resolve parir em casa
Precisamos falar sobre cocô no parto