13
set
2016

O que fazer com sua placenta?

 

 

13895521_702796029874806_7104192887552843894_n

Quando estava grávida do Miguel, alguém me perguntou: o que você vai fazer com sua placenta?

Eu nem imaginava que era possível (ou importante) fazer alguma coisa com a placenta! Nem pensava que existia algo que deveria pensar além do bebê.

Você tem o direito de não querer fazer nada com ela, nem ao menos querer conhece-la. Isso não desmerece nenhum pouco o seu processo materno.

Algumas pessoas me perguntam: qual a função de fazer algo com a placenta?

Não tem função alguma, nem mesmo comprovações biológicas.

Algumas pessoas comem a placenta e sabe-se que muitos mamíferos, mesmo os herbívoros fazem o mesmo. Por enquanto não há comprovação científica. Hoje as placentas são enterradas em cemitérios e não mais incineradas.

Voltando lá, há 10 anos,  pensei na função deste órgão incrível. Ele nasce e cresce durante a gestação. Do seu centro sai o cordão que nutre o bebê e esse órgão temporário fica fixo no útero. Ao redor da placenta está a bolsa de águas e o bebê ali dentro, sendo nutrido. A placenta é a responsável por todos os nutrientes e oxigênio que o bebê recebe durante toda sua vida no útero. Ela simplesmente faz TUDO para que o bebê possa crescer e sobreviver. Após o nascimento, a placenta continua dando sangue e oxigênio extra, enquanto o bebê ainda aprende a respirar pelos pulmões. Quando o cordão finalmente para de pulsar, é que então deve ser cortado. A placenta deve ser eliminada espontaneamente.

O que fazer com a placenta depois que o bebê nascer?

Plante uma árvore. Eu fiz isso.

Se estiver em casa separe um pote, do tamanho de um pote de sorvete para armazenar a placenta. Pode coloca-la dentro de um saco plástico e depois envolver o pote em uma outra sacola plástica. Guarde na geladeira se for plantar no dia seguinte ou no freezer se quiser ter mais tempo. Em um hospital ou casa de parto, leve o pote e as sacolas. Não esqueça de colocar no plano de parto que deseja levar a placenta para casa. Você pode pedir para alguém íntimo (Mãe, Tia) para levar e colocar no freezer para você.

Escolha um local que você visite sempre ou que seja perene. Você pode fazer um ritual ao plantar sua placenta.

Se você mora em apartamento pode plantar em um vaso grande: coloque terra, pedra, terra placenta terra, pedra terra e a planta.

Impressão

Pegue um papel tamanho A3 mais grosso e poroso.

Coloque a placenta sob um saco plástico e vire a parte com ranhuras para cima. Faça o cordão parecer o tronco de uma árvore.

Você pode fazer a impressão com sangue ou tinta.

Ela vai ficar como na foto abaixo

IMG_4683

Como fazer tintura com a placenta:

O uso da tintura da placenta como medicamento para uso vitalício
 para o bebê durante toda a sua vida.

Reconhecendo o poder medicinal da placenta, ter uma tintura feita da própria placenta seria como ter uma poção mágica para o bebê.

Para ser usado em momentos de enfermidades. Contém células histamínicas, sendo assim um ótimo remédio imune. Deve ser usada durante traumas, choques, transições da idade, transições familiares, mudanças em geral, processos emocionais entre mãe-filho, processos espirituais e muitos outros.

Sendo considerada a essência do indivíduo, contêm todas as suas forças e fraquezas, e assim ela irá sempre proporcionar o equilíbrio ideal para a pessoa.

Usado também pela mãe, para se restabelecer fisiologicamente, emocionalmente, mentalmente após o parto, e também durante toda vida, para harmonia interior e harmonia na relação mãe-filho.

A tintura também pode ser usada por qualquer pessoa, pois as propriedade da placenta atua em todos os organismos, ótimo remédio para lidar com questões de abandono, fraquezas, falta de nutrição (física, emocional, maternal/familiar), depressão, problemas espirituais, psíquicos, medos, ansiedade, doenças variadas, entre muitas outras enfermidades).

Porém quando usada a sua própria placenta existe um potencial maior e mais profundo.

13892138_702796009874808_2658806731934468635_n

 

Como fazer uma tintura da placenta

Adicione uma parte de placenta para nove partes de conhaque. Ex: 1 colher de chá de placenta para 9 colheres de chá de conhaque)

Deixe curar por no mínimo três dias (num frasco de vidro escuro ou uma garrafa coberta em lugar frio e escuro.)

Pegue 1 parte desta mistura e adicione a 99 partes de conhaque (ex: 2 ml da mistura mais 198 ml de conhaque).

Pode-se então descartar a mistura original (a primeira).

Ponha a nova mistura em um frasco de vidro bem fechado e bate-o firmemente contra a palma da sua mão 100 vezes, se concentrando na tarefa.

Deste procedimento nasce a tintura mãe de 200mls.

Guardar em um frasco de vidro escuro, em um local fresco.

 

Você pode comer a placenta! Recentemente fiz um suco de tangerina, pitanga, mel e placenta!

Kalu, Doula, servindo um suco com placenta para Nana, recém parida.

Kalu, Doula, servindo um suco com placenta para Nana, recém parida.

 

Curiosidades sobre a placenta:

  • Na África existem povos que consideram a placenta a parte espiritual da criança, aquela parte dela que a acompanhou do Céu para a Terra. Portanto a conservam e a usam para diferentes rituais pessoais e sociais.
  • Em outras sociedades todas as placentas são enterradas numa colina, a “colina das placentas”. Assim a colina é o equivalente dos nossos cemitérios, somente que está orientada para a vida, não para a morte.
  • Existem métodos empíricos usados pelas parteiras tradicionais da América central e meridional para reanimar uma criança nascida morta: dando fogo à placenta expelida, com o cordão ainda íntegro, ligado ao bebê, para que este retome vida.
  • Em outras culturas a placenta é conservada ao lado da criança até a queda do cordão, sem nunca cortá-lo, como sinal de extremo respeito pelos recursos endógenos e pelos tempos da criança, e também na convicção que a placenta continue nutrindo a criança e lhe transmita ainda substâncias preciosas para seu sistema imunológico até estar completamente seca, em seguida poderá ser transformada em remédios (tinturas) que curarão a criança por longos anos e de várias doenças
Crie o site do seu Neném